2009 com a Cara do Rio

2009 mal começou, e já temos uma triste prévia do que aguarda a população do estado do Rio nestes próximos meses.

Logo após o relógio marcar meia-noite, nos primeiros minutos deste novo ano, 05 (sim, você leu certo, CINCO!) pessoas foram baleadas, nas proximidades do palco principal do famoso “show da virada” no bairro de Copacabana. O Reveillon que é referência mundial do turismo, festa que reúne o maior público em todo o mundo, foi marcado pelo já previsível e violento cotidiano carioca, fruto de anos de péssima administração pública e, para dizer o mínimo, má gerência dos recursos financeiros do estado. E o mais preocupante é que, ao que se pode observar, a tendência é piorar.

Fora de Controle

Fora de Controle

Pouco depois, 04 (sim QUATRO!) policiais militares foram baleados. Dois deles estavam baseados com uma viatura em cima de um viaduto que liga outros bairros ao Centro da cidade. Não preciso nem criticar aqui este método de policiamento ostensivo adotado há décadas, que além de ser totalmente ineficaz, é um atentado contra a vida dos profissionais da segurança pública. Os assassinos seriam da favela da Mangueira.

Os outros dois militares foram assassinados com frieza no município de Rio das Ostras. Ao intervir para acabar com uma briga de trânsito, foram covardemente baleados por um homem, que acabou sendo preso logo após. A foto do preso está no blog da jornalista Roberta, que narra precisamente o que aconteceu, demonstrando a monstruosidade e torpeza do atirador.

Além disso, novamente uma sessão de assaltos praticados por bandidos fortemente armados varreu o bairro da Tijuca, na zona norte, deixando no prejuízo diversos cidadãos. Tal fato tem se repetido toda semana.

Até o momento, nenhuma ONG que de diz defensora de direitos humanos, nenhum sociólogo ou policiólogo com espaço cativo nos telejornais, bem como nenhuma entidade sem fins lucrativos entendida em segurança protestou contra os atos de extrema violência, praticados contra cidadãos, contra policiais, contra o Estado Democrático de Direito. Devem estar de ressaca ainda, haja champanhe…

Faltam 2 anos para os cidadãos eleitores terem uma nova oportunidade de reverem seus conceitos.

Uma ideia sobre “2009 com a Cara do Rio

  1. Eduardo, eu não conheço nenhuma ONG séria. As ONGs e os movimentos sociais estão, geralmente, ligados a políticos e a politicagem. Vide exemplo do MST que, só atua contra corporações e grupos contrários aos interesses dos latifundiários da situação ou da coligação do atual governo. Ah! Também não podemos esquecer daquelas ONGs internacionais, que atuam financiadas por grandes grupos agro-extrativistas e farmacêuticos com interesses nos recursos da Mata Atlântica. Por isso, tanta defesa às reservas indígenas.
    Na verdade, as ONGs são patrocinadas por grupos com interesses aqui e ali, portanto, apenas interpretam papéis de defensoras do “bem”.
    Também não acredito nessas de Direitos Humanos. Pode até haver pessoas com boa intenção em seus quadros, mas são apenas da boiada. Quem comanda essas ONGs são bem pagos e bem orientados e, conduzem o “gado” de acordo com as suas ordens.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *