Início » Em QAP

Denúncia do Praças da PMERJ

Publicado em 12/09/2008 - Categoria: Em QAP

Foi postado no blog Praças da PMERJ uma denúncia gravíssima. O fato necessita de apuração séria e isenta, a fim de que seja verificada a veracidade das informações.

Situação complicada, mas que só de ler já provoca repulsa. Com certeza, vai dar M. Sendo verdadeiros os fatos narrados, ou não.

Link para a postagem.

40 comentários »

  • Débora comentou:

    Grave, hein. Mas, de um abuso moral institucionalizado, como ocorre em corporações militares, a um estupro, o caminho não é tão longo. Não sei quantas verdades tem no texto, mas de fato, de um jeito ou de outro, é bem séria a denúncia… espero que o MP apure.

  • Eduardo comentou:
  • JOSELITO PROTÁSIO DA FONSECA comentou:

    SUMÁRIO DE CULPA DE TRANSGRESSÃO DISCIPLINAR

    Boletim Ostensivo da PM n.º 128, de 12/08/08, com as alterações constantes do Boletim Ostensivo da PM n.º 131, de 15/08/08 – itens n.º 4, 5, 6 e 9

    1 – O DRD (Documento de Razões de Defesa) *(FATD – Ficha de Apuração de Transgressão Disciplinar) é o instrumento através do qual a administração militar dá ao policial militar (bombeiro militar), ativo e inativo *(súmula Nº 55 do STF) (exceto o reformado – súmula Nº 56 do STF), a oportunidade para que ele possa se defender de uma transgressão disciplinar que lhe foi imputada, que normalmente teve a sua origem no resultado final de uma AVERIGUAÇÃO, SINDICÂNCIA e IPM ou na chamada VERDADE SABIDA, configurando-se esta no momento em que a autoridade com competência para punir (vide art. 10, do Regulamento Disciplinar da Polícia Militar/CBM do Estado do Rio de Janeiro – RDPMERJ/RDCBERJ), flagra pessoalmente o policial militar cometendo a infração disciplinar (MEIRELLES, Hely Lopes. Direito Administrativo Brasileiro. 18ª ed. São Paulo: Malheiros, 1993. p. 596/597);

    2 – O fato imputado ao acusado no DRD (a FATD) deverá ser descrito de forma clara e precisa, mencionando, sempre que possível, o ano, o dia, a hora, o local, modus operandi e tudo mais que esteja relacionado com o fato atribuído, definindo, ainda, ao final, quais transgressões foram cometidas, em face do RDPMERJ/RDCBERJ ou Estatuto dos Policiais Militares (Lei Nº 443/81 – EBMERJ e Lei Nº 880/85 – EBMERJ);

    3 – O DRD (a FATD) deverá ser entregue pessoalmente ao acusado, contra recebido de próprio punho, devendo ser juntada à peça acusatória, ou, quando existir, o parecer do encarregado da averiguação ou sindicância, o relatório do IPM, bem como, a solução da autoridade competente publicada em boletim de tais procedimentos, para que, assim, o fato imputado seja levado ao seu imediato conhecimento e possa melhor instruir as suas razões de defesa, a qual deverá ser apresentada por escrito, no prazo de 05 (cinco) dias úteis, excluído o dia do começo, podendo fazê-lo pessoalmente ou através de advogado legalmente constituído, conforme autoriza a súmula vinculante nº 05, do STF, que também se aproveita ao presente instrumento, tendo disciplinado a matéria da seguinte forma: A falta de defesa técnica por advogado no processo administrativo disciplinar não ofende a Constituição;

    4 – Na instrução da sua defesa o acusado poderá requerer a produção de quaisquer provas admitidas no direito, exceto exames, perícias e avaliações, que nem no Juízo penal se repetem, salvo erro ou motivo de anulação comprovada, bem como, se existe, a vista dos autos do procedimento apuratório que deu azo ao fato imputado;

    5 – Quando for o caso, depois de produzidas as provas ou cumpridas as diligências solicitadas pelo acusado em sua defesa, a autoridade competente abrirá mais um prazo de 05 (cinco) dias úteis para as alegações complementares;

    6 – Recebido o DRD (a FATD) de próprio punho, estando a CIntPM/SJD (Sad ou AI/CBERMJ) de posse de tal comprovante, caso o policial militar (bombeiro militar) se recuse ou não apresente as suas razões por escrito no prazo oferecido, sem que isso importe em outra transgressão, apenas no ABUSO DO DIREITO DE DEFESA (direito de não produzir provas contra si mesmo, ao silêncio), pode a autoridade competente aplicar a sanção disciplinar devendo tal circunstância constar da nota de punição, para que a sanção adotada fique justificada e, assim, a desídia não possa ser questionada em seu proveito no futuro, pela aplicação subsidiária do art. 501, do CPPM, que disciplina o seguinte, verbis:

    Art. 501 – Nenhuma das partes poderá argüir a nulidade a que tenha dado causa ou para qual tenha concorrido ou referente à formalidade cuja observância só à parte contrária interessa;

    7 – Estando o acusado de LE, LTS, LTIP ou LTSPF, não fica impedida a emissão do DRD, no entanto, caso o mesmo esteja internado em Hospital, de forma que impeça apresentar as suas razões por escrito no interregno legal, o prazo será sobrestado até que o paciente receba alta hospitalar;

    8 – Quando houver necessidade, será designado pela autoridade competente um Oficial para cumprir as diligências solicitadas pelo acusado, respeitada a sua precedência hierárquica, mesmo que o DRD (a FATD) tenha sido emitido nos escalões inferiores das OPM pela verdade sabida, levando em consideração que a competência para punir se difunde por todo o art. 10, do RDPMERJ/RDCBERJ;

    9 – Se o DRD (a FATD) foi emitido por ordem do Comando Geral da Corporação, via CIntPM, ficará o Comandante, Chefe ou Diretor imediato do acusado, através das respectivas SJD ou SAI (Sad ou AI/CBMERJ), incumbido de fazer cumprir o disposto no item 2, bem como, ao final, providenciar para que seja apensada à documentação a Ficha Disciplinar do transgressor e os elogios que tiver, devolvendo-a, a seguir, ao Órgão de origem (CIntPM), no prazo de 10 dias úteis, para que se possa fazer uma dosimetria justa, não havendo a necessidade de se exarar qualquer parecer no formulário padrão;

    10 – Se o DRD (a FATD) foi emitido por ordem de Comandante Intermediário, tendo como acusado policial militar (bombeiro militar) de Unidade Subordinada, deverá aquele remeter a peça acusatória ao Comandante do transgressor, que, por sua vez, fará a citada peça chegar ao seu destinatário, mediante recibo. Depois de respondido, o Comandante da Unidade deverá emitir parecer no DRD (na FATD), juntando ao mesmo a Ficha Disciplinar e elogios que o acusado tiver, remetendo-o imediatamente a autoridade superior;

    11 – Se o acusado for inativo *(Exceto o Reformado – súmula nº 56 do STF), estando em lugar incerto ou não sabido, ou, ainda, se ocultar ou opuser obstáculo para não receber o DRD, será ele considerado revel, devendo, neste caso, ser publicado edital, por três vezes seguidas, a cada três dias, em qualquer jornal de edição diária que circule na Cidade que consta no seu último endereço, sendo fora do Estado do Rio de Janeiro. Se a cidade fica localizada no Estado do Rio de Janeiro, o edital será publicado no Diário Oficial;

    12 – Aplicada a punição, esgotado o prazo recursal ou indeferidos os recursos apresentados, pela observação do art. 5º, inciso LVII, CF/88 (princípio do estado de inocência), não havendo impedimento legal (LTS, LTPF, período de licença para amamentação, licença paternidade, luto, núpcias, missão fora do País, curso fora do Estado, etc. Férias, LE e LTIP, salvo a eleitoral, não aproveita), a punição deverá ser cumprida imediatamente, podendo a autoridade competente, quando for o caso, proceder a captura do punido, sem violar qualquer princípio, inclusive, constitucional, consoante disciplina o art. 5º, inciso LXI, CF, verbis:Art. 5º – …………………..LXI – Ninguém será PRESO senão em flagrante delito ou por ordem escrita e fundamentada de autoridade judiciária competente, salvo nos casos de TRANSGRESSÃO MILITAR ou crime propriamentemilitar, definidos em lei (grifos nossos); e,………………………………..” (Bol ostensivo da PM n.º 128, de 12/08/08).

    *Observações importantes:

    1. A acusação deverá vir acompanhada do enquadramento da violação praticada;

    2. O cumprimento de punições disciplinares está subordinado ao julgamento ou ao decurso de prazo para a impetração dos recursos cabíveis;

    3. Caso seja solicitado, deve a administração pública produzir provas previamente à eventual imposição de sanção disciplinar (princípio da presunção da inocência e a inversão do ônus da prova); e

    4. No caso do item supra (3), deverá ser dado novo prazo para que o acusado responda à imputação.

    Anexo: MODELOS DE DESPACHO DE INDICIAMENTO PELO COMANDANTE E CITAÇÃO DE INDICIAÇÃO POR DOCUMENTO PRÓPRIO DE RAZÕES DE DEFESA

    Em, 23 de dezembro de 2008.

    MÁRCIA NOGUEIRA GOMES DA FONSECA & JOSELITO PROTÁSIO DA FONSECA

    SUMÁRIO DE CULPA PARA TRANSGRESSÃO DISCIPLINAR

    DESPACHO DE INDICIAMENTO

    O Comando (o Comandante) do…….. ,diante dos fatos noticiados ou descritos conforme documentação apresentada, após seu exame e das provas coletadas (ou tendo presenciado pessoalmente), em conseqüência, INDICIA, com fundamento no art. 60, §1º, do Decreto Nº 31.896/2002 – LPA do ERJ, o Sr.xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx, RG Nº. xxxxxxx, ocupante do cargo de xxxxxxxxxx, lotado na(o) xxxxxxxxxx, no Rio de Janeiro/RJ, qualificado e identificado, às fls. xxx, dos documentos anexos, em razão dos fatos ofensivos aos dispositivos legais e/ou regulamentares relacionados a seguir, que o tornam passível das penas de ………………………. ou ………………………., conforme o disposto nos artigos…….., incisos ………., parágrafos………….. do Decreto Nº 3.767/80 – RDCBERJ c/c o artigo, parágrafos, alíneas,…, do Decreto Nº 31.896/2002 – LPA do ERJ .

    FATOS DISPOSITIVOS LEGAIS E/OU
    REGULAMENTARES INFRINGIDOS

    Face ao exposto, este Comandante nos termos do art. 50, §§ 1º ao 3º, do Decreto Nº 31.896/2002, determina ao Chefe da Sad (AI) do ………. a CITAÇÃO do indiciado, através de Documento próprio de Razões de Defesa, anexando cópia integral do referido Despacho de Indiciamento e toda documentação anexa, para prestar declarações sobre os fatos que lhe são imputados, acompanhado ou não de advogado legalmente constituído, bem como indicar testemunhas, requerer provas e o que mais julgar necessário à sua defesa.

    Rio de Janeiro, xx de xxxxxx de 200.

    ____________________________________________
    XXXXXXXXXXXXXX – Cel BM QOC/XX
    Comandante do XXXXXXXX

    DOCUMENTO DE RAZÕES DE DEFESA DISCIPLINAR (MEMORANDO)

    CITANDO: ____________________________________________________________
    (nome, posto/graduação e RG:)

    ENDEREÇO:___________________________________, ______________________,
    (rua/avenida) (nº/apto)
    ________________ , _______________________________, ___________________ .
    (bairro) (cidade) (Estado)

    O Chefe da Sad (AI) do…………, designado pelo Comandante do ……….., conforme Despacho de Indiciação em anexo e documentação correlata publicado no Bol. Nº ……. de ____/____/_____, cita-o pelo presente Documento de Razões de Defesa, para respondê-lo no prazo de cinco dias, acompanhado ou não de Advogado legalmente constituído, a fim de prestar declarações sobre os fatos que lhe são imputados, os quais caracterizariam descumprimento do disposto no(s) inciso((s) nº do Anexo I do Decreto Nº 3.767/80 – RDCBERJ, sujeitando-o à(s) pena(s) prevista(s) no art. 23 nº: ……. do referido diploma legal, sob pena de revelia, podendo indicar testemunhas, requerer provas e o que mais julgar necessário à sua ampla defesa.

    OBS.: RESUMIR OS FATOS OU, QUANDO HOUVER, ANEXAR DESPACHO DE
    INDICIAMENTO:

    ____________________, _____ de ________________ de _________.
    (cidade)

    NOME
    Chefe da Sad (AI)
    RG:

    MÁRCIA NOGUEIRA GOMES DA FONSECA & JOSELITO PROTÁSIO DA FONSECA

    DA PROVA

    1. A verdade é de fato – como sempre foi e será – o caminho mais curto para se chegar à Justiça.

    2. O cometimento da falta não é o bastante para a aplicação de uma pena disciplinar, havendo necessidade de, por meio das provas, obter-se a certeza da ilicitude do fato e de sua autoria.

    3. As provas carreadas aos autos não devem convencer apenas a Comissão Processante, mas também e principalmente a Autoridade Julgadora.

    4. A obrigação de provar compete a quem alega o fato.

    5. A prova somente é válida se obtida por meios legais (CF, Art. 5º, inciso LVI).

    6. Os meios de provas utilizados no PAD são: a confissão, as provas testemunhal, documental e pericial, acareação, reconhecimento e reproduções mecânicas obtidas por meios fotográficos, fonográficos e sistemas de vídeo, dentre outras permitidas em direito.

    6.1. As reproduções fotográficas, cinematográficas, os registros fonográficos e, em geral, quaisquer outras reproduções mecânicas ou eletrônicas de fatos ou de coisas fazem prova plena destes, se a parte, contra quem forem exibidos, não lhes impugnar a exatidão (NCC – Art. 225).

    6.2. As provas mencionadas no item anterior deverão ser periciadas pelo Instituto de Criminalística da Secretaria de Estado de Defesa Social ou outro reconhecido oficialmente.

    7. Não podem ser admitidos como testemunhas, conforme Art. 228 do Código Civil e arts. 405/406 do CPC.

    DA ATUAÇÃO DA DEFESA

    1. A defesa do Indiciado inicia-se com as declarações por ele prestadas, quando deverá manifestar-se sobre os fatos que lhe são imputados e o seu Defensor poderá apresentar perguntas cujas respostas oferecerão subsídios para a defesa prévia, produção de provas e razões finais de defesa.

    2. A Defesa poderá apresentar contra-provas e reinquirir testemunhas.

    3. Nada poderá ter valor inquestionável ou irrebatível, devendo-se assegurar ao indiciado o direito de contraditar, contradizer, contraproduzir e até mesmo contra-agir processualmente.

    4. A Defesa Prévia, que poderá ser apresentada logo após as declarações do indiciado, deverá vir acompanhada de provas, objetivando a absolvição sumária do Indiciado.

    5. Antes de adentrar no mérito, a Defesa poderá argüir preliminarmente:

    I. Incompetência de quem instaurou o processo;

    II. Impedimentos ou Suspeição da Comissão Processante;

    III. Irregularidades formais;

    IV. Prescrição ou Decadência;

    V. Coisa julgada – non bis in idem;

    VI. Fato atípico;

    VII. Cerceamento de defesa.

    6. O mérito é o fato em si, objeto do processo, admitindo as seguintes teses:

    I. Inexistência do fato ou autoria;

    II. Conduta sob coação:

    III. Existência de caso fortuito ou força maior;

    IV. Exercício regular de direito;

    V. Inexistência de provas

    VI. Ver ainda as Causas de Justificação, onde não haverá punição, conforme os incisos I a VI do art. 17 e §, dos RDPMERJ e RDCBERJ, respectivamente arts. 35, 36 (Isenção de Pena) e 42 (Exclusão de Crime) do CPM)

  • marcos comentou:

    meu comentario e que este tao de drd nao adianta de nada,quando eles querem punir,punem mesmo e nao adianta escrever nada,tenho experiencia propia do que falo,sao todos um bando de covardes fardados

  • marcos comentou:

    este tao de DRD nao adianta de nada quando querem punir,eles punen mesmo nao adianta voce escrever nada,sua centença ja seta decidida, VOCE E CULPADO e ponto final,falo isto por experiencia propia,um abraço a todos,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,

  • alexandre comentou:

    Se realmente houvesse justiça na corporação, este documento não poderia ser julgada pela autoridade em que esta oferecendo uma denuncia de transgressão ou crime militar!!! deveria ser sim colocada a uma pessoa juridica que não tivesse nenhuma ligação com quem ofereceu a denúncia, seje ela graduado ou oficial. A forma da repressão é tão covarde que essa justiça só vale mesmo, é para nós que somos os acusados, e não tem essa de “é punido por que errou”, se falarmos de erros, todos erramos inclusive aqueles que nos julgão, por que é facil esta sentado atras de uma mesa, e ditar regras quando eles nunca foram para as ruas…se sofrecem, com o sol, chuva, sede, calor, frio e necessidade fisiologica, com as dificuldades de lidar com as pessoas com o perigo, de guarda a você e a seu proprio colega, derrepente olhariam com outros olhos, ou então pediriam “ARREGO”…poderia falar aqui de muita coisa mais so tenho à dizer que os colegas que trabalham nas ruas são os verdadeiros HEROIS ocultos, que esta sociedade hipócrita e demagoga possa olhar com outros olhos, por que a policia esta mudando, e é dela que eles precisam, e é ela que quando chamam por qualquer coisa mais insignificante que seja, ela está ali o tempo e a hora! abraços…

  • alexandre comentou:

    Ha mais uma coisa, os polciais que trabalham nas seções para fazerem este tipo de trabalho, se houvesse quem de direito para fazer o trabalho de preencher os documentos (DRD) para serem despachados, concerteza haveria mais policiais nas ruas trabalhando!!!Olha caro “amigos” que oferecem as denuncias e as julgam, a policia esta mudando…ajudem a polcia sair dessa era militar ao extremo…militarismo eu sei que é importante, mais so que nas ruas não existe o militarismo com as (pessoas) civis, nas ruas existe sim a sabedoria constituição e das leis penais que regem o País, com quem você vai dar uma ordem de prisão, por que depois é com o delegado e o juiz que você vai se entender, então faça por onde o policial quando em sua formação estudar, e não ficar aprendendo ordem unida e marchar, para quando for para as ruas não cercear o direto de ir e vir das pessoas. Valeu!

  • Indignado comentou:

    Eu acho tudo isso uma palhaçada só, quem manda mesmo é o governador e todo mundo tem é fica com o rabinho entre as pernas e pronto,e não existe macho existe é marionete.

  • ALEXANDRE comentou:

    DIZEM QUE O DRD É PARA AMPLA DEFESA, TENHO PLENA CONVICÇÃO QUE NÃO PASSA DE UMA PUNIÇÃO ANUNCIADA.
    QUANDO FALAM DE SALÁRIOS NÃO PASSAM DE DEMAGOGOS, QUE CRITICAM MAS NÃO VESTEM A CAMISA.
    PENSEI QUE O AUXILIO NATALIDADE FOSSE PAGAR UM MÊS DE LEITE PRO MEU FILHO, NÃO DEU ( R$151,00 ).

  • Romenique comentou:

    INDIGNAÇÃO PARA COM DEPUTADOS DA ALERJ
    Para os companheiros de farda sejem policiais militares, bombeiros militares ou policiais civis do Estado do Rio de Janeiro.

    Nomes dos DEPUTADOS que votaram CONTRA uma carga horária digna de trabalho para os policiais e bombeiros de nosso Estado.Não iremos ter direito a receber por serviços extras.Guardem bem esses NOMES, não votem neles e espalhem esta informação.

    Alessandro Calazans
    Alessandro Molon
    Anabal
    Átila Nunes
    Audir Santana
    Chiquinho da mangueira
    Cidinha Campos
    Comte Bittencourt
    Coronel Jairo
    Délio Leal , Dica
    Dionísio Lins
    Domingos Brazão
    Dr. Wilson Cabral
    Edson Albertassi
    Fábio Silva
    Geraldo Moreira
    Gerson Bergher
    Gilberto Palmares
    Graça Matos
    Inês Pandeló
    Iranildo Campos
    João Pedro
    Jorge Babu
    Jorge Picciani
    José Nader
    José Távora
    Luiz Paulo
    Marcelo Simão
    Marco Figueiredo
    Marcos Abrahão
    Nelson Gonçalves
    Nilton Salomão
    Olney Botelho – pleiteou para prefeito de Nova Friburgo –
    Paulo Melo
    Pedro Augusto
    Pedro Fernandes
    Renato de Jesus
    Rodrigo Neves
    Rogério Cabral
    Ronaldo Medeiros
    Sabino
    Sheila Gama
    Sula do Carmo
    Waldeth Brasiel

    Conclusão : Esses são nomes que não deverão cair em nosso esquecimento, são pessoas que não tem um mínimo de sensibilidade com as corporações, são também quem nas próximas eleições, deverão ser lembrados por nós servidores do Estado e também pelos nossos familiares.Nossos votos, somados aos de nossos familiares, são significativos, e “eles”, deveriam pensar mais nisso.
    É vergonhoso um Estado rico em industrialização e ainda mais em exploração de petróleo como o nosso, conceber que não tenhamos um mínimo de consideração por parte desses políticos, que ao vetarem projetos como estes, não estão nem aí para vocês companheiros, e também seus familiares.É incrível também a diferença existente em outros Estados, como por exemplo o de Goiás, onde um SD PM não percebe em seu contracheque, menos que R$ 2000,00 líquidos.O do distrito federal então, onde o SD PM percebe atualmente seus R$ 4000,00.

    O que está acontecendo com nosso Estado do Rio de Janeiro????? Está quebrado?Ou falta competência???

  • marcos antonio comentou:

    o fato e que não existe na corporação, o tal amplo direto de defesa, ´pois, quando é a vontade deles, eles punem e pronto. Passem para a mão de um julgador neutro, e verão de as injustiças, acabarão.

  • Alex comentou:

    Tem que haver uma reformulação do RDPMERJ, com direito de defesa realmente verdadeiro e com penalidades previstas de acordo com o fato e com números propostos. Fui punido por falta de cobertura, com 10 dias, eles fazem o que querem.

  • mara comentou:

    o novo rdpm ja esta pronto, e nao fiquem pensando que vem coisas boas para nós, porque quem fez foi o cel lopes.
    acabou a prisao de 30 dias, porem agora é de 60 dias e a cada dois dias de prisao podera trocar por um serviço extra, ou seja eles só fazem coisas paranos prender e detalhe o novo rdpm já é inconstitucional.

  • jair comentou:

    SÓ JESUS,MAIS NINGUÉM PARA CUIDAR DA BRIOSA PMERJ!!!!

  • ALEXANDRE comentou:

    TANTO SE QUESTIONA POR UM REGULAMENTO DISCIPLINAR, MAS A BEM POUCO TEMPO ÉRAMOS COMANDADOS POR CORONÉIS E DELEGADOS – QUE INTITULARAM A UMA DETERMINADA AÇÃO ENTITULADA NAVALHA NA CARNE. COMANDADA PELO EXCELÊNTISSIMO SENHOR GAROTINHO. A CADA POLICIAL EXCLUIDO ERA GRANDE PROVA DE QUE SE PUNIA OS MAUS POLICIAIS, MAS ACONTECE QUE A A NAVALHA SÓ FUNCIONAVA PARA OS PRAÇAS, POIS NOSSO IMACULADO CORONEL JOSIAS QUINTAL QUE TANTO POLICIAIS COLOCOU PARA RUA, ESTAVA ENVOLVIDO COM O ESQUEMA DAS SANGUE-SUGA- POR COMPRAREM AMBULÂNCIAS SUPER FATURADAS.
    COMO SE NÃO BASTASSE O NOSSO SAUDOSO DELEGADO ALVARO LINS CHEFE DE POLÍCIA POR OITI ANOS, O MAIOR CONTRAVENTOR ( CAÇA NÍQUEIS ) DO RIO. E AINDA QUEREM REFORMULAR O RDPM. VERGONHA.

  • ALEX comentou:

    O POLICIAL MILTAR,HOJE É CONSIDERADO BAIXA RENDA,VIVE DE PROGRAMA DE INCLUSÃO SOCIAL, O CHAMADO “BOLSA ESMOLA”,DOADO PELO GOVERNO FEDERAL QUE NÃO PASSA DE UMA COMPRA DE VOTO CAMUFLADA.O RIOCARD QUE NÃO BENEFICIA TODA POLICIA,QUE MUITAS DAS VEZES ATRASA A RECARGA DE CREDITOS.O DESARRANCHO QUE ATÉ HOJE O GOVERNADOR NÃO SE DECIDIU DO QUE VAI FAZER,NO MINMO DEVE ESTA SE PREOCUPANDO DEMAIS COM AS OLIMPIADAS E A COPA DO MUNDO.A PMERJ SE QUISER ALGUMA MELHORIA QUE AGUARDE!O SALÁRIO ENTÃO SEM COMENTÁRIOS!NO TEMPO DO MEU PAI,SER POLICIAL ERA MOTIVO DE ORGULHO,DE STATUS,DE EXEMPLO.HOJE É O CONTRÁRIO QUANDO VOCÊ SE APRESENTA COMO POLICIAL AS PESSOAS SEM GENERALIZAR SENTE MEDO E PENA DE VOCÊ (LOGICO QUE NÃO EXPRESSAM VERBALMENTE),MEDO PORQUE PARTEM DO PRINCIPIO QUE TODO POLICIAL É CORRUPTO OU ASSASSINO,E SENTEM PENA PORQUE ARRISCAMOS TODOS OS DIAS NOSSAS VIDAS POR MÍSEROS REAIS QUE RECEBEMOS DO ESTADO.

  • Astrogildo comentou:

    Acredito na honestidade e seriedade do seu trabalho, por isso decidi denunciar os fatos a seguir:

    Sou Policial Militar a 22 anos e há 18 anos lotado no 15º BPM (Duque de Caxias), isso para mim já foi motivo de orgulho, mas hoje sinto vergonha, não de ser Policial, mas de estar em um Batalhão que foi motivo de glória não só da sociedade Duque caxiense, mas também do Estado.

    Os fatos são graves e devem ser levados ao conhecimento do Estado-Maior da Corporação, bem como da SSP. Vivemos em um Batalhão onde uma única pessoa se julga “Deus e o Diabo” e não há ninguém dentro ou fora Unidade que vá discordar de suas determinações, pois aqueles que se volta contra Ele caem em desgraça com o Comando da Unidade, sendo transferidos sumariamente para qualquer lugar ou ficam sem funções e humilhados.

    Nunca pensei que teria isso em minha casa, pois considero meu trabalho minha segunda casa, até porque exerço funções burocráticas há cerca 9 anos e presencio os desmandos e as covardias praticadas por esse homem há algum tempo, não respeitando nem as Policiais femininas que são Praças.

    Uma assombração que vaga pelo Batalhão: Major PM Marcelo Bernardo, um homem sem escrúpulos, não tem limites, não respeita a ninguém, faz o quer e chega ao Batalhão a hora que bem quiser. Dono do “Gato net” de Nilópolis, chefe da Milícia naquele município e do transporte irregular como se não bastasse em seu currículo ainda presta serviços de segurança para a Contravenção. Não pense que o Comandante da Unidade, Cel. PM Corso desconhece estes fatos, pelo contrário, não só conhece como coaduna com as atitudes de seu subordinado entregando praticamente o comando em suas mãos a bem da propina que recebe mensalmente. Já o Subcomandante, permanece inerte por temer o Major PM Bernardo. Notasse que o único que não tem medo deste homem é o Major PM Brandão, há de registrar que durante a história deste Batalhão é considerado o mais corrupto, recebendo propina semanal das Comunidades dominadas pelo Tráfico neste município.

    Recentemente o Batalhão foi alvo de um escândalo envolvendo 74 policiais acusados de ligação com o Tráfico de Entorpecentes e acredite: eles estão voltando apoiados pelos Majores Bernardo e Brandão e ocuparam as funções de “combate ao Tráfico”. Acredite se quiser, não suportamos mais essa situação. Não são somente nós, Praças, que tememos esse homem, mas até mesmo os Oficiais. A situação é tão irregular que os Aspirantes a Oficial estão exercendo atividades externas sem acompamento. Ainda existe neste Batalhão, Oficiais e Praças que são dignos das fardas que trajam.

    Em face das denúncias ora narradas, temo pela minha segurança, por isso, prefiro e necessito do anonimato, bem como lhe peço que mantenha salvaguardo meu IP.

  • MOISES comentou:

    CAROS POLICIAIS MILITARES, VIMOS NA PRIMEIRA CAPA DE UM JORNAL DE GRANDE CIRCULAÇÃO NESSE ESTADO NESTA SEMANA, UM PRAÇA SER EXECRADO DIANTE DE TODA SOCIEDADE FLUMINENSE, FATO REALIZADO POR QUEM POR DIREITO DEVERIA ASSEGURAR O DIREITO DO POLICIAL MILITAR, VIMOS TAMBÉM UM MÉDICO QUE POSSUI FORMAÇÃO SUPERIOR COMETER UM ABSURDO DE ESCREVER NO CORPO DAS PACIENTES GESTANTES INFORMAÇÕES COMO DEVERIA PROCEDER, DEIXANDO ELE DE PRESTAR ATENDIMENTO FATO QUE OCASIONOU A MORTE PREMATURA DE UMA CRIANÇA E A SECRETARIA DE SAÚDE DO ESTADO JÁ IDENTIFICOU O MÉDICO, PORÉM ESTÁ PRESERVANDO A SUA IDENTIDADE, O CORONEL DEVERIA APURAR O FATO ANTES TOMAR TAL ATITUDE, DIANTE DE INUMEROS POLICIAS FARDADOS, TODOS DE COBERTURA QUALQUER PESSOA PODE CONFUNDIR OS POLICIAS, PRINCIPALMENTE UMA CRIANÇA QUE SE ENCONTRA TRANSTORNADA, QUE TEM POR “OBRIGAÇÃO” DE IDENTIFICAR ALGUÉM, ISSO NÃO É UM BOM EXEMPLO.

  • mais um pm do rpmont comentou:

    como pode um cel da pm (cel germano) querer mudar todo o efetivo de um batalhão? é isso que está acontecendo aqui no rcecs.. absurdo! ele está transferindo sem critério.. hoje estou aqui, amanhã posso estar em três rios, de onde ele veio!!.. alguém tem que ajudar os policiais do rcecs, ninguem trabalha mais sossegado!! socorro comandante geral!! será que é assim que ele vai “arejar” o nosso serviço?

  • JORGE comentou:

    Venho através desta, pedir ajuda ao sr.Cmt geral Cel.PM Mário Sérgio, sou 2ºsgt e sou bolsista do PROUNI na FACULADE CASTELO BRANCO em Realengo onde faço o curso de Logística; estava lotado em um grupamento que foi extinto e transferido para a 5ª C.IA do BPRv, em que cumprirei uma escala de 12×24 e 12×48, além de ser contra-mão, ficará incompatível com minha carga horária na referida instituição, como sou um graduado que procuro manter-me informado das mudanças que está ocorrendo na nossa PMERJ, sei que o digníssimo sr.Cmt geral dará prioridade aos policiais militares que estudam, mas se não for possível atender tal solicitação só me restará duas alternativas trancar o meu curso para não perder a bolsa que fiz por merecer, após concorrer com milhares de candidatos, juntar meu tempo de serviço e ir embora de um lugar em que tenho muitos amigos e que vou desejar boa sorte para os mesmos.

  • AMIGO DO BAIRRO comentou:

    caros colegas estou a 14 anos na casa fico triste ao ver o que passamos em todo este tempo nada melhorou chegou a hora de se unirmos poisirei me candidatar a deputado estadual para ajudar esta familia policial melitar que precisa de alguem que sabe todos os poblemas mas tambem que quer fazer algo sou praça somos a maioria juntos venceremos .conto com voces.

  • joão baptista linhares comentou:

    Quando leio depoimento de policiais da ativa, denunciando oficiais superiores envolvidos com desvio de conduta dos mais variados, quando vejo o governador, usando um policial infeliz como bode expiatório, para dar uma satisfação a sociedade, quando na verdade, o despreparo é do governador por não ter pulso para punir o seu alto comando. Fico com nojo da nossa assembleia legislativa. Existe mais decencia e integridade nas comunidades carcerária, do que nesse antro hediondo chamado congresso nacional e camaras de deputados. Um dia ainda verei um homem, fechar tudo isso e assumir a batuta e reger essa orquestra afinadamente…

  • só em deus confio comentou:

    Caros companheiros, temos aqui a oportunidade de denunciar e tornar publico toda a podridão que a muito tempo ocorrem na corporação a nivél de comando, sabemos que a anos alguns coronéis e alguns oficiais fezem dos batalhões suas empresas privada, onde trocam, permutam, facilitam, vendem e até doam policiamento, visando lucros e projeção politica e social. Sabemos também que a maior arma que eles usam é a de fabricar o bandido para projetar o heroi, digo, (insita o desvio de conduta, para depois excluir o pm e assim aparecer como justiceiro perante essa sociedade hipócrita). Companheiros! não caiam nessas armadilhas, sejamos integros e corretos, pois só assim daremos uma resposta a esses abutres que se alimenta do seu erro, e a essa sociedade “cara de pau” que só quer ter direitos mas não cumpre com seus deveres e por isso atribuem todas as consequencias de seus descaminhos ao PM. Ps…ser honesto e digno faz mal para quem não é.(de a resposta a eles)

  • lidio comentou:

    Recadastramento obrigatório do policial na ativa e inativo.
    Os que estão inativo,estão fazendo seu recadastramento normal,mas os que estão na ativa que procuram nas seções para o tal recadastramento nos batalhões ninguem sabe de nada,isso é policia militar como sempre só faz tudo na última hora.
    Além de não informar nada e depois que cobrar como sempre.
    Não muda nada para favorecer o policial militar

  • Henrique comentou:

    Sr.governador olhe mais para a PM.

  • savio comentou:

    Até que em fim alguem prcebeu isso!

  • fiscal comentou:

    dias de muito,véspera de nada!

  • marcia comentou:

    meu marido foi baeado em agosto de 2008 e ate agora não foi feito nem o IPM, o hcpm não trata bem a tropa com aqueles medicos ridiculos da ortopedia que tem como superior oficiais que não servem pera nada.

  • marcia comentou:

    outra coisa que covardia e essa ?
    o policial de IFP agora trabalha na cabina da PMERJ, não entendo o cara se machucou ajundando a sociedade e ninguém ajuda o ser humano policial.

  • marcia comentou:

    me diz para que tem o seguro de acidentes na PMERJ ?
    pois ate hoje nãos sei pq meu marido que foi baleado em serviço nunca recebeu !!
    eu vi a burocracia q é para juntar a documentação.
    e pior de tudo quando vc consegue juntar passou do prazo.
    e pior de tudo tem que pagar nos batalhões para conseguir boletim, laudo, que vergonha!!!
    o baleado não se esqueçam e um policial igual a vcs, torçam para não serem o proximo, ou seja, tem muita gente que so é policia quando esta dentro do batalhão.
    do lado de fora dos muros o policia de verdade não atrasa policia.

  • eduardo comentou:

    É isso ai!

    Mais um feriadão, região dos lagos, sinal de curtição, mas para nós pms é sinal de mais um serviço extra, não temos direitos a nada, só de trabalhar sem reclamar.

  • eduardo comentou:

    É isso aí galera!

    Ta complicado ser policial no rj, temos muitos deveres e poucos direitos, ou quase nenhum. Fazer o que?

  • eduardo comentou:

    Acredite se quizer!

    Sou policial militar e a dois anos comprei minha arma de fogo, porém desde então ñ pude pega-la. Problemas “burrocráticos” me impedem de pegar minha arma de fogo, embora tenha efetuado pagamento à vista. Desde então sigo eu na minha jornada dolorosa, cansativa e desarmado. Fazer o que? Sou praça!

  • paul comentou:
  • Amigo de Werneck comentou:

    Nós sabemos de onde está vindo as msgs ofencivas a moral e a dignidade do Cap Werneck,ou seja dentre eles, alguns policias que foram regressados e uns dois que ainda permanecem na 2ª Cia.Orientação aos PPMM que estão postando essas msgs é, cuidado com as palavras pq dependendo delas nós sabemos perfeitamente quem seria capaz de escrever, caro colega tira esse ódio do seu coração, afinal de contas vc além de não ser santo não fez nada pela PM nesses longos anos que vc tem de PM.

  • Patrícia. comentou:

    Muito impressionada com a reportagem… Realmente, um absurdo…

  • Patrícia. comentou:

    Se fazem isso com uma policial, imagine o que fazem por aí… um inseguro…

  • Amigo de Werneck comentou:

    A moradores de conceição de macabú não tem legitimidade nem muito menos moral para falar de qualquer PM que trabalha naquele município, pq querem cobrar uma polícia com um comportamento exemplar como a do EUA, mas se esquecem de se comportarem como cidadãos detentores de direito e deveres e obrigações em uma sociedade democrática de direito.Precisamos primeiro mudar o nosso comportamento para então assim cobrar o do nosso próximo, Já dizia JESUS tira a TRAVE do seu olho para então poder estar habilitado a tirar o cisco do olho do seu irmão.A CF/88 preconiza no art 144 que a Seg Púb é dever do estado, mas responsabilidade de todos, e o que vc tem feito como cidadão macabuense para melhorar a sua sociedade local(pelo menos), vamos para de hipocrisia companheiro, amadureça e pare com essas infantilidades, seja um cidadão melhor.Nós vivemos em uma sociedade que cobra muito em especial da PM, porém essa mesma sociedade é aquela que joga lixo pela janela do carro,é aquela que danifica telefones públicos, é aquela que passa trote para PM, é aquela que defeca em praça pública, è aquela que picha munumento público, é aquela que anda sem capacete, é aquela que dirige embriagada, é aquela que anda como documento do carro atrasado ,è aquela que faz gato na conta de luz e àgua, que cheira cocaína, que financia a violência, que fura fila, que vende o voto, que oferece propina aos PPMM etc.E vc companheiro o que tem feito? Algum dia vc já foi no DPO de conceição de macabu perguntar se os policias estavam precisando de um copo d’água?

  • Amigo de Werneck comentou:

    O cap Werneck sempre ajudou e ajuda os PPMM que estão sob o seu cmd, sempre administrou o material humano como eqüidade, respeito, profissionalismo, descência,pudor, bom senso etc.Comandar homens é administrar uma casa de marinbondos, e ele sempre fez isso com muita serenidade e equilíbrio, e lógico e cristalino que não dá p agradar a todos, até por que somos regidos por um regulamento e existe questões que certamente fogem da competência do administrador intermediário, mas infelizmente ainda temos colegas que não tem maturidade para entender isso. Cidadão macabuense ou qualquer outro, se de fato vc tem informações concretas de desvio de conduta do Cap Werneck, pq que vc não denuncia ao MP, Corregedoria, EMG, CMT Geral, CMT do 32ºBPM, Governador etc. Isso tb é cidadania compra o seu papel não fique escondido atrás das cortinas.Um abração, nos encontraremos em breve.

  • Eduardo comentou:

    Lembrando que este nosso espaço não foi criado para denúncias pessoais, as quais, sem provas, tão somente configuram crimes contra a honra.
    Infelizmente os comentários deste post terão que ser encerrados, a fim de evitar maiores problemas.