PMDB, Nunca Mais

Fato engraçado aconteceu semana passada. Estava na Cinelândia por volta de 22:00 horas, junto à um grupo sentado em uma mesa de bar.

Em dado momento, aproximou-se umas 4 meninas uniformizadas, pensei que era promovendo algum produto na noite. Mas eis que uma se aproxima e estende a mão com um panfleto de propaganda, e quando pude ver, era um “santinho” do candidato à prefeitura do Rio Eduardo Paes. Aí foi espontâneo, e falei: “Ah, não, 15 não!”.

Muito engraçada a reação da cabo eleitoreira, ficou com vergonha, se desculpou e foi embora sem passar nas outras mesas. Nitidamente deu para perceber que ela já estava acostumada com tal tipo de reação, nem insistiu e saiu resignada. Imagine que outros tantos não foram lá muito educados, calcule a quantidade de palavrões que estas meninas devem ouvir sempre que estendem uma papeleta com o número 15 gravado.

Óbvio que nenhum policial que se preze, e sua família e amigos não votarão no tal do 15, do PMDB. Porque o PMDB é o partido do Sergio Cabral, do Garotinho, da Rosinha, do Alvaro Lins, do Itagiba, do Pudim, do Paes, do Picciani, dentre outros do mesmo naipe.

Nas eleições do Rio porém, é válido destacar aos colegas que o Sergio Cabral, cujo perfil bem já conhecemos, apoia o Paes que é do seu partido, mas também dá força, nos bastidores, para o Crivella, de forma reservada, em função da aproximação com o governo Lula.

São dois portanto os candidatos a serem evitados de qualquer maneira. Não que seriam indicáveis se não tivessem o apoio do atual governo, jamais votaria em nenhum dos dois. Mas esta “amizade” por si só já desperta sérias desconfianças, certo?

Verdade também que estamos sem nenhum candidato razoável para eleger prefeito, mas no Rio vem sendo assim mesmo, quase impossível escolher com sensatez.

10 ideias sobre “PMDB, Nunca Mais

  1. A Jandira, pelo menos, estava na frente em possível 2º turno. Crivella recuperou e pareceu mais votado.
    Eu esperava algma impugnação de sua candidatura por parte do TRE, mas pelo visto, infelizmente, ele será o prefeito.

  2. Pois é, já está complicado, vai ficar pior. Aliás, vale aqui também o chavão: vai piorar um pouco a cada dia…

  3. Pingback: Eu fiz macumba para a amarrar a candidatura do PMDB-15. Me ajude a torná-la mais forte!

  4. Tá difícil encontrar alguém que preste nessas eleições, e olha que eu quero ajudar a polícia do Rio, mas tá complicado escolher. 🙂

  5. Fala sério, democracia representativa num país: a) com as desigualdades sociais que temos; b) sem direitos civis; c) com uma imprensa que é um verdadeiro latifúndio; d) uma classe mérdia predadora disposta a absolutamente TUDO para ascender socialmente??????

    Ora, francamente… me desculpem os esperançosos, respeito e estimo vossa causa, mas já há muito tempo eu voto no Fandango.

    Quem quiser saber do curriculun dele basta ler, acho que, a partir do volume III de O Tempo e o Vento de Guimarães Rosa. Quem não quiser dar-se ao trabalho adianto seu programa: contar histórias de “causos” dos pampas, cavalgar bugre bravo, comer churrasco (é claro) e não perder uma peleja.

  6. É incrível, mas é verdade, o TRE-RJ não inpugnou o Sen. M. Crivella pelas obras no Morro da Providência, no Centro do Rio. Temos milhares de favelas no País e o personagem faz obra com dinheiro público justamente na cidade em que é candidato a Prefeito ?! Realmente o TRE e o TSE são bonzinhos.
    O Eduardo Paes já era, e ainda não temos em quem votar…
    Antes da informática o voto era no papel, e qdo ocorriam essas irregularidades quem ganhava era o macaco Tião, (alguem se lembra?), entretanto hoje o caso é de Polícia, pq mesmo os nulos vão pros caras, os super-computadores são idênticos às máquinas caça-níquel, cheios de vícios ….
    Brasil

  7. o artigo 224 do Código Eleitoral estabelece que “se a nulidade atingir a mais de metade dos votos do país nas eleições presidenciais, do Estado nas eleições federais e estaduais ou do município nas eleições municipais, julgar-se-ão prejudicadas as demais votações e o Tribunal marcará dia para nova eleição dentro do prazo de 20 (vinte) a 40 (quarenta) dias.”

  8. O que acontece em São Paulo é o que ocorre em todo o país! Leiam este texto:

    “ENTENDA PORQUE VOCÊ NÃO TEM SEGURANÇA”

    Como Delegado de Polícia do Rio de Janeiro é meu dever moral e jurídico esclarecer ao povo carioca os motivos pelos quais enfrentamos este caos na Segurança Pública. Em primeiro lugar, fique você sabendo que a nossa legislação permite que qualquer pessoa, independentemente de sua qualificação profissional, assuma o cargo de Secretário de Segurança Pública. Isto significa que as Polícias Militar e Civil estão sob a direção de pessoas que nem sempre têm qualquer conhecimento jurídico e operacional para exercer sua função pública. Isto significa também que o Governador eleito pelo povo indica o Comandante da Polícia Militar e o chefe de Polícia Civil, que podem ser demitidos a qualquer momento. Estes por sua vez, indicam os comandantes de cada Batalhão e os Delegados Titulares de cada Delegacia, que por sua vez, são também afastados de seus cargos por qualquer motivo. Digo, portanto, que a Polícia Civil é absolutamente política e serve aos interesses políticos dos que foram eleitos pelo povo. Quando os afastamentos de Delegados são políticos e não motivados por sua competência jurídica e operacional, o resultado é a total falta de profissionalismo no exercício da função. Este é o primeiro indício de como a nossa Lei trata a Polícia. Se a Polícia é política quem investiga os políticos? Você sabia que o papel da Polícia Militar é exclusivamente o patrulhamento ostensivo das nossas ruas? E por isso é a Polícia que anda fardada e caracterizada e deve mostrar sua presença ostensiva, dando-nos a sensação de segurança. Você sabia que o papel da Polícia Civil é investigar os crimes ocorridos, colhendo todos os elementos de autoria e materialidade e que o destinatário desta investigação é o Promotor de Justiça que, por sua vez, os levará ao Juiz de Direito que os julgará, absolvendo ou condenando? Então, por que nossos governadores compram viaturas caracterizadas para a sua polícia investigativa? Então, por que mandam a Polícia Civil patrulhar as ruas e não investigar crimes? Parece piada de muito mau gosto, mas é a mais pura e cristalina realidade. Você sabia que o Poder Judiciário e o Ministério Público são independentes da Política e a Polícia Civil é absolutamente dependente? Assim, a Polícia Civil é uma das bases que sustenta todo o nosso sistema criminal, juntamente com o Judiciário e o Ministério Público. Se os Delegados de Polícia têm essa tamanha importância, por que são administrativamente subordinados à Secretaria de Segurança e a Governadores que são políticos? Porque ter o comando administrativo da Polícia Civil de alguma forma serve aos seus próprios objetivos políticos, que passam muito longe dos objetivos jurídicos e de Segurança Pública. Assim, quero dizer que o controle da Polícia Civil está na mão da política, isto é, do Poder Executivo. Tais políticos controlam um dos tripés do sistema criminal, o que gera prejuízos tremendos e muita impunidade. Não é preciso ser inteligente para saber que sem independência não se investiga livremente. É por isso que os americanos criaram agências de investigação independentes para fomentar sua investigação criminal. Em segundo lugar, fique você sabendo que os policiais civis e militares ganham um salário famélico. Você arriscaria sua vida por um salário de fome? Que tipo de qualidade e competência têm esses policiais? Se a segurança pública é tão importante, por que não pagamos aos nossos policiais salários dignos, tais quais são os dos Agentes Federais? Se o Governo não tem dinheiro para remunerar bem quem é importante para nós, para que teria dinheiro? Em minha opinião, há três tipos de policiais: os que são absolutamente corrompidos; os que oscilam entre a honestidade e a corrupção e os que são honestos. Estes trabalham em no mínimo três “bicos” ou estudam para sair da polícia de cabeça erguida. De qual dessas categorias você gostou mais? Parece que com esses salários, nossos governantes, há tempos, fomentam a existência das primeira e segunda categorias. É isto o que você quer paraa sua cidade? – Mas é isso que nós temos! É a realidade mais pura e cristalina! O que vejo hoje são procedimentos paliativos de segurança pública destinados à mídia e com fins eleitoreiros, pois são elaborados por políticos. Mas então, o que fazer? – Devemos adotar uma política de segurança a longo prazo. A legislação deve conferir independência funcional e financeira à Polícia Civil com seu chefe eleito por uma lista tríplice como é no Judiciário e no Ministério Público. A Polícia Civil deve ser duramente fiscalizada pelo Ministério Público que deverá também formar uma forte Corregedoria. O salário dos policiais deverá ser imediatamente triplicado e organizado um sério plano de carreira. Digo sempre que se a população soubesse qual a importância do salário para quem exerce a função policial, haveria greve geral para remunerar melhor a polícia. Mas a quem interessa que o policial ali da esquina ganhe muito bem? – Será que ele vai aceitar um “cafezinho” para não me multar ou para soltar meu filho surpreendido com drogas? Será que não é por isso também que não temos segurança? Fiquem todos sabendo que se o policial receber um salário digno não mais haverá escalas de plantão e, conseqüentemente, não haverá espaço físico para que todos trabalhem todo dia, como deve ser. Fiquem sabendo que a “indústria da segurança privada” se tornará pública, como deve ser. Fiquem sabendo também que quem vai ao jornal defendendo legalização de emprego privado para policiais, não deseja segurança pública e sim, segurança para quem pode pagar. Desafio à comunidade social e jurídica a escrever sobre estes temas e procurar uma POLÍTICA DE SEGURANÇA realmente séria e não hipócrita, como é a que estamos assistindo Brasil afora.

    AUTORIZO A PUBLICAÇÃO IRRESTRITA DESTE TEXTO.
    Façam um favor ao Estado do Rio de Janeiro, enviem para todas as pessoas que conhecerem / Dr. TARCÍSIO ANDRÉAS JANSEN – DELEGADO DE POLÍCIA”

  9. Concordo plenamente com o texto escrito pelo Dr Tarcísio, e temos que continuar lutando e espalhando informações para todos que possam agir, e informar as pessoas mais humildes o valor de seu voto, o real valor de seus atos, não podemos desanimar o Rio de Janeiro ainda tem solução e só nós, o povo todos juntos que podemos mudar isto. (publicarei no meu blog e reintero a todos que possam faze-lo que publiquem este texto e todos ou outros textos que tem real importância para informar o povo de nosso estado).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *