GREVE na PCSP Agosto de 2008

Excelente. Os agentes da polícia civil de São Paulo se preparam para deflagrar um movimento de greve por tempo indeterminado, em protesto aos salários aviltantes, falta de condições de trabalho e demais arbitrariedades praticadas pelo poder público contra os agentes da lei.

A paralisação terá início no dia 13 de agosto próximo, e espera-se contar com grande adesão da classe policial. As entidades representativas vêm promovendo palestras em cada distrito policial, e as chances de dar certo são maiores do que da última tentativa.

Algumas notícias sobre a iminência do movimento paredista. Para divulgar as ações, fizeram vídeos que estão no Youtube, e vou ajudar aqui na publicidade do movimento:

[youtube Yrkb_tp1cTg]
link para o vídeo, se não abriu acima.

Aqui pelo Rio está mais complicado, parece-me que o envolvimento de servidores com corrupção é maior que em sampa, dado o total desinteresse dos policiais civis e militares em reivindicar melhores condições. Mas, contudo, porém, entretanto, pode o movimento dos agentes paulistas inspirar o povo daqui, quem sabe.

Parabéns aos indignados de SP, que a força esteja com vocês! FORÇA E HONRA!

13 ideias sobre “GREVE na PCSP Agosto de 2008

  1. Caro Charlie.

    Teu blog geralmente traz informações interessantes, como as matérias sobre a policia americana.
    Quanto a manisfestação da PCSP, achei muito interessante o vídeo que eles produziram.
    Penso que a mesma indignação que os tiras da PCERJ têm, falta-lhes organização e mobilização. Um dos ingredientes para tal é o marketing como esse vídeo. O SINDPOL tem plenas condições de efetuar uma campanha salarial que coloque toda a sociedade ao lado da instiruirção policial.
    Cordialmente.

  2. Márcio: obrigado. Esperamos todos que o SINDPOL signifique uma mudança nesse estado de apatia que tem a classe, senão, nada mudará.

    E, sim, excelente idéia dos charlies de SP! =)

  3. Pingback: Mais sobre a Greve PCSP

  4. Pingback: DESCOMPRESSÃO - Espaço do Miliciano » Blog Archive » Greve na Polícia Civil de SP

  5. Espero que o governador de SP sente á mesa de negociações e siga o exemplo do governo lula, que atendeu as reinvidicações não só de seus policiais, mas como de todo funcionalismo público federal, inclusive os militares, que como nós há anos vinham sido esquecidos.
    Acredito que para que essa novela acabe um dia, é necessário que se mude o texto discriminatório de indexar o salário do servidor público á percentual de arrecadações, pois somos trabalhadores como todos os demais, a diferença que não temos fgts, assistência médica e também pagamos pesados impostos ao governo, para por um fim a este martírio de ter de se fazer greve para conseguir “reajuste’ e não aumento deveriamos ter nossa data base como todos os demais trabalhadores.

  6. Cleiton: verdade, é um martírio. Mas seria bem menos complicado se a classe fosse unida né. O que mata é isso.

    Stive: opa, vou conferir por lá!

  7. Bom dai, gostaria de saber quando abre incrições para soldaddo da policial civil( guarda municipal), se alguem souber me avise por favor.

  8. Os policiais civis de São Paulo estão certinhos. Chega do Governo falar que não tem dinheiro, não tem arrecadação.
    Gozado se uma empresa, ir na Justiça do Trabalho e falar que não tem dinheiro para dar aumento, acaba tendo sua conta corrente e bens penhorados.
    Chega do Governo vir com desculpas. Um abraço.

  9. Humberto: soldado é na PM ou Forças Armadas. E Guarda Municipal é uma coisa, e Polícia Civil é outra 😉

    Roberto: positivo!

  10. ”e as chances de dar certo são maiores do que da última tentativa.”

    É lamentavel mais deu tudo errado… O conflito de hoje fez com que muitos policiais saisem feridos e a negociação não deu certo devido as disputas que ocorriam do lado de fora do Palácio dos Bandeirantes.
    E mesmo assim o descaso do governo continua…

    Estou ansiosa esperando seu novo post sobre este quadro lamentavel que acabou de ocorrer hoje, uma cena caótica entre pm e pc

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *