Blog Caso de Polícia – Bem-vindo!

EXTRA, EXTRA! O Blog Caso de Polícia ganhou um homônimo. Quer dizer, não é taaaaão extra assim, muitos amigos já alertaram aqui nos comentários, e outros tantos me telefonaram. Mas estamos aí, na ativa, e bola pra frente!

Na verdade os canais que a velha mídia denomina como “blogs” nada mais são do que colunas, ou de opinião, ou informativas. Seus editores trabalham nisso, e tentam colher informações sobre cada nicho, e por ser este seu emprego, produzem grande volume linhas. Porém, blogs vão muito além. Blogs são conversações, uns se comunicam com os outros, promovem debates de temas entre si, e total interação com os leitores. Blogs fazem link para blogs! Blogs não disputam leitores, não são máquinas publicitárias, por mais que a maioria se valha disto para manter uma estrutura mais profissional.

O Blog da Segurança Pública do Cathalá também tem um homônimo aqui no Rio, talvez ele nem saiba. Mas o conteúdo é completamente diferente, veja só. O editor do blog não tem uma linha editorial que atua como uma peneira dos assuntos veiculados. Se é importante, tá lá, doa em quem doer. O único limite dos blogs é a lei, penal ou civil. Não violando direitos autorais, não praticando crimes de calúnia (não havendo provas das denúncias), dentre outros cuidados, tudo é válido.

Mas, o mais importante, quem lê blogs o faz porque se interessa pelo assunto, e quer saber a verdade, ou, no mínimo, o que acontece na vida real. Ninguém vai acompanhar por muito tempo o blog de um policial se ele quiser falar de economia e finanças pessoais. Quem quer saber desse assunto, visita o blog de quem entende do riscado. Quando eu quero fazer alguma melhoria na parte de programação deste blog, visito quem faz e explica, e não quem fala sobre alguém que faz. Eu considero as dicas de quem as põe em prática, não de quem as divulga sem entender do que está falando.

A força dos blogs só não é maior por causa, ainda, do preconceito, do velho chavão de “diário pessoal”. Mas em alguns nichos isso já é diferente, por exemplo, quem lê cadernos de informática com matérias da semana passada quando tem atualizações em tempo real no Meio Bit? Só quem não conhece ainda.

Assim caminha a humanidade, nada se cria, coisas se copiam, e ninguém morre por isso. Nem, espero, o blog Caso de Polícia, 24 horas por dias online desde 22 de abril de 2007. E nem comemoramos o primeiro aniversário hein, ninguém lembrou! Seus desalmados relapsos! 😉

Por outro lado, convenhamos, o nome Caso de Polícia não é dos mais criativos, então aceito dividir minha falta de criatividade. De fato, é um belo de um lugar-comum, mas era abrangente o suficiente para o que eu pretendia, não me restringindo só a falar da Polícia Civil, mas de tudo ligado ao tema. Não somos criativos, mas somos um blog de verdade… 🙂

Aberto Concurso para PRF

O período de inscrição para o concurso da Polícia Rodoviária Federal 2008 já está aberto, e vai até o dia 10 de agosto. Para se inscrever no concurso, o candidato deverá preencher cadastro no site da CESPE/UnB através deste link. Aqueles que se inscreveram ano passado, quando o concurso foi suspenso, deverão confirmar a inscrição preenchendo novo cadastro.

O concurso público tem 340 vagas no cargo de Policial Rodoviário Federal, sendo 194 vagas para o estado do Pará e 146 para Mato Grosso. O salário inicial é de R$ 5.238,94, e a taxa de inscrição fica em R$ 60,00. Contudo, como há uma tabela de aumentos programados, veja neste post em que avisamos sobre o concurso e a tabela de salários da Polícia Rodoviária Federal.

O concurso público ocorre em duas etapas. A primeira etapa é composta de quatro fases, com prova objetiva e prova de redação, exame de capacidade física, exames médicos, e avaliação psicológica. A segunda etapa, de caráter eliminatório, é o Curso de Formação Profissional.

Na primeira prova, de múltipla escolha, além de redação, o futuro policial responderá questões de Língua Portuguesa, Raciocínio Lógico e Matemático, Conhecimentos Gerais e Atualidades, Conhecimentos de Informática, Legislação de Trânsito e Conhecimentos de Direito. O exame físico é composto de teste em barra fixa, salto em distância, natação, e corrida. Veja o Edital neste link.

Quem passar será lotado em um dos postos da PRF ao longo da BR-163, no trecho situado nos estados do Pará/PA e Mato Grosso/MT, de acordo com o estado de vaga ao qual concorreu, sendo que o Departamento de Polícia Rodoviária Federal não se obriga a fornecer residência ao candidato nomeado, nem a custear despesas com locomoção e transporte para o local de trabalho. O novo policial rodoviário permanecerá na região onde foi lotado pelo período mínimo de 36 meses, onde cumprirá o estágio probatório e será avaliado.

Estudar pelas provas de concursos anteriores é uma boa para ter noção de como a matéria é cobrada. Boa sorte!