Milícias e Bicos

O assunto da moda no Rio de Janeiro voltou a ser a existência e atuação das chamadas “milícias”, sobretudo depois dos fatos divulgados pelo jornal O Dia, que dão conta que uma equipe de repórteres que fazia um trabalho de investigação jornalística infiltrado, teria sido mantida em cativeiro, roubada e torturada por integrantes de um grupo armado que domina a área. Até o momento, nós, reles cidadãos, não sabemos quem são, ou mesmo se existem as tais vítimas, posto que não foram divulgados dados sobre elas. Mas não é esse o ponto, se é para servir de pretexto para combater organizações criminosas, eu topo, tá valendo!

Outros sites da blogosfera policial já abordaram a questão, como o Diário de um PM e o Diário do Stive, levantando aspectos a serem considerados nos debates acerca das milícias.

Aliás, não sei quem colocou o nome de Milícia nestas gangs armadas, mas é um nome totalmente inadequado, e talvez tenha sido empregado até por má-fé. Isto porque milícia significa “a segunda linha de um Exercito principal”, latu sensu. No caso brasileiro, conforme determina o artigo 144 § 6º da Constituição, as polícias e bombeiros militares são forças auxiliares e reservas do Exército, portanto, milícias.

Então, provavelmente, quem divulgou a aplicação do termo para definir grupos armados que agem ilegalmente, queria associar esta prática criminosa aos militares estaduais, o que, como sabemos, não é uma verdade absoluta. Isso porque, das (poucas) milícias que foram alvos de investigação, lembro-me da favela de Rio das Pedras, onde o ex-líder da primeira milícia que se tem notícia por estas bandas, era um Inspetor de nome Felix Tostes, já assassinado. E agora, esta outra, da favela do Batan, é também um policial civil, que, muito embora tenha sido impedido de entrar na PCERJ após a investigação social feita no concurso, tomou posse no cargo por força de decisão do Poder Judiciário.

Desfeito o malicioso “equívoco” acerca da denominação, nossa intenção é falar do projeto de lei 6.491/2006, em tramitação na Câmara dos Deputados em Brasília. Tal projeto define de forma clara o crime de milícia, em seu artigo 3º que diz “Constituir, integrar, manter ou custear organização paramilitar, milícia particular, grupo ou esquadrão com a finalidade de praticar qualquer dos crimes previstos nesta lei.”, conduta típica cuja pena abstrata vai de 4 a 8 anos de reclusão.

É válido observar que já virou um hábito brasileiro a aprovação de leis às pressas, diante da pressão da imprensa que publica determinado crime na primeira páginas enquanto os leitores aguentarem ler sobre aquilo. Assim é com a redução da maioridade penal, descriminalização ou não do aborto e uso de substância entorpecente, etc.

No caso das milícias há controvérsias. Muita gente apóia a existência destes grupos que disputam território com o tráfico de drogas. Outras tantas querem que o Estada as combata. Eu particularmente penso que é uma situação perigosa aceitar a ação, à margem da lei, de pessoas que, em princípio, combatem uma modalidade criminosa, enquanto por outro lado exploram diversas outras. E pior ainda quando se tratam de servidores públicos -policiais, guardas municipais, bombeiros e outros- atuando em conjunto com X-9 e até com criminosos foragidos. Não é o tema deste texto, porém, então voltemos ao projeto de lei.

Este projeto que criminaliza especificamente a formação de milícia, trata em seu artigo 4º e seguintes, da “oferta ilegal de serviço de segurança pública ou patrimonial”, desta forma:

Art.4º Oferecer ou prometer, direta ou indiretamente, serviço de segurança pública ou proteção patrimonial, sem autorização legal.
Pena: Detenção de 1 a 2 anos.

Art.5º A pena será agravada de 1/3 (um terço), no casos dos arts. (…) 2º , 3º e 4º, quando, utilizando-se do cargo ou função, o crime for cometido por servidor público, civil ou militar.

Art.6º Incide nas mesmas penas, pelos crimes previstos nesta lei, servidor público ou autoridade, civil ou militar, que tendo conhecimento da ocorrência de qualquer dos crimes previsto nesta lei, em ente público sob sua gestão, ou fora dele, mas por pessoa a ele subordinada, omitiu-se em fazer cessar a prática do delito.

Art.7º Os delitos de que trata esta lei são considerados crimes contra o Estado Democrática de Direito, e de interesse da União.

Parágrafo único. Nos crimes previsto nesta lei, a titularidade da ação penal será da União.

A aprovação destas normas seria um duro golpe nos Estados. Tipifica claramente a segurança privada praticada por policiais, como forma de complemento de renda (ou renda principal), o famigerado “bico”. Com sua aprovação, o policial que hoje está praticando uma infração administrativa, passará, além desta, a praticar crime. E, vejam, por força do art. 5º, não será de competência dos Juizados Especiais Criminais.

Sem falar que pune com a mesma pena os superiores hierárquicos que, comprovadamente sabedores da atividade de seus subordinados, nada fizeram para por fim ao ilícito. E, mais ainda, a competência para apuração dos crimes é da Justiça Federal, ou seja, quem vai investigar é a Polícia Federal, então fica mais difícil pro governador fazer ouvidos de mercador.

Já estou até imaginando a pressão dos governadores do país todo, para que o projeto seja emendado ou, se aprovado, que o presidente vete estes últimos artigos. Porque aí, o que já era proibido vai ser criminalizado. E aí, o policial que não quer roubar ou extorquir, não vai poder fazer o “bico”. E aí, não tendo outra fonte de renda que não o salário da Polícia, ou ele vai trabalhar de balconista no comércio, frentista de posto de gasolina, exercer irregularmente a advocacia, ou vai se juntar à crescente massa de policiais insatisfeitos, por todo o Brasil, que lutam por mudanças e exigem o reconhecimento de seu valor. E aí…

E aí vai ficar complicado para o governador amansar “a tropa”, como gosta de chamar a mídia. Porque, a maioria que hoje está acomodada e alheia à tudo porque tira no “bico” mais do que o dobro do salário, ou vai passar a ser criminoso, ou vai, como num passe de mágica, ficar preocupado com sua situação enquanto servidor público. E aí?

Então, quem quer apostar que esse projeto ou vai ser engavetado, ou vai perder uns quilinhos?

19 ideias sobre “Milícias e Bicos

  1. Belos comentários, Eduardo. O problema das milícias é que não funcionam como o Juvenal Antena. Eles “vendem” água, net e luz, a preço fixo. São tão ou mais opressores que os próprios traficantes, já que, estes últimos, até onde eu sei, não obrigam os moradores a usarem a droga, apenas a ficarem quietos. Os milicianos, não. Impõe regras, criam seus “impostos”.
    Falando “de orelhada”, penso que os crimes da milícia são bem mais difíceis de se investigar do que o tráfico…

  2. traficante nao é opressor?
    eu conheco um cara que mora num morro do tc e ninguem pode andar de vermelho senao apanha.

    nao sou a favor de trafico nem de milicia, porem, em muitas favelas há gente com muito mais condicao que a gente que mora no “asfalto” e continuam no morro por comodismo.

    eu entendo que cobrar “imposto” é menos pior que vender droga, essa é minha opiniao

    trafico e milicia devem ser combatidos pelo estado, principalmente as milicia, para nao se tornarem como as facções criminosas

    o governo prefere punir tudo e todos do que fazer um trabalho de prevencao, daqui a pouco vao punir quem faz concurso pra policial pra evitar de virar miliciano

    essa é mais uma daquelas leis bizarras tipo proibir bebida na beira das estradas

    Otimo artigo Eduardo
    []s a todos

  3. É com triste que leio tais comentários, vejo que no RJ todos ou quase todos pederam o foco principal, ser honesto, agir com seriedade, e primar pelas coisas que são certas, não é falando que “vagabundo” é opressor ou não, ou que a “melícia” esta errada ou certa que irá melhoras a atual condição que vivem os cariocas. Estive no RJ várias vezes e sou carioca, é lamentável ver e escutar uma sociedade que atualmente é refém da criminalidade e dos policiais corruptos que chegam o tormar de trabalhadores um vale transporte quando não tem um dinheirinho em sua carteira, uma policia que na grande maioria estão envolvidos em corrupção, roubos e acertos. Estive no PAN 2007 no RJ e conheci e trabalhei com policiais militares da Força Nacional, que diferença no tratamento, postura de militar, seriedade, educação e etc, coisa que a policia do RJ perdeu faz anos, hoje usam gírias, palavrões e tratam o cidadão com grosseria, não adianta leis mais rígidas porque quase todos os policiais estão envolvidos e conhecem os milicianos e nada fazem, não sei se é medo ou acerto, tem oficiais de alta patente envolvidos, policiais civis e até bombeiros que pertencem ou são chefes da milícia, só cego não vê. ah! sem contar com aqueles que não pertencem a nenhuma dessas instituições, são pessoas comuns mais lideram as melícias em determinadas regiões. se estam pensando que é conversa “fiada”, vão a um quartel ou delpol fazer queixa contra tais policiais ou chefes de milícia, só lemento. Amo o RJ o defendo contra aquela que tentam denegrir sua imagem, mais está cada vez mais difícil defendê-lo.

  4. Marcelo, não sei se foi para mim, mas só para esclarecer, eu não acho que bandido A é menos bandido do que B. Tudo igual, farinha do mesmo saco, e se eu fosse diretora penitenciária ficariam todas as facções e milícias na mesma jaula, que vença o mais forte. Só acho que o tipo de influência sobre as comunidades respectivas é diferente, mas ambas são altamente maléficas. É o que eu penso.

  5. o estado tem obrigacao de zelar pela integridade dos detentos, tb acho que a pena deve ser igual e forte pra traficante e miliciano

    ja ja isso vira uma colombia com poder paralelo declarado, ai quando acontecer, ja vai ser tarde, comeca assim, milicia aqui, milicia ali, depois…

    []s

  6. Brilhante apontamento, Edu. Em terra de delegados que vendem carteiras de CNH, a quem a população vai se socorrer?

    A gente vence, camarada. A gente vence.

  7. Roger: que satisfação vê-lo comentando por aqui!
    Como diz o “velho deitado”… “se não tem final feliz é porque não acabou” hehehe

    Débora: estava relendo os comentários, e quanto ao seu primeiro deste post lembrei-me de um papo que tive com um amigo meu, sobre essa novela que passou na televisão.

    Eu tenho aversão às novelas, porque associei tudo que vejo de reprovável no comportamento humano dos brasileiros às mensagens que passam esses programas. Sério, odeio, só de estar em um ambiente que passa isso fico irritado. É gritaria o tempo todo, um destratando o outro, incontáveis e constantes agressões pessoais entre as personagens, total falta de respeito ao próximo, sejam desconhecidos, parentes ou companheiros.

    Mas estava esperando a dona patroa se arrumar certa vez, e a sogra (sempre elas né) estava vendo essa novela das milícias. Daí, logo que acabou (a dona patroa demora umas 2 horas pra se arrumar pra sair), começou o jornal, de cara já metendo o pau em uma milícia, não lembro porque na época.

    Daí que, comentando isso, surgiu um papo, e passamos a refletir. O que faz a TV brasileira com seus telespectadores? Lavagem cerebral já não define bem. Acho que são experimentos sociais, sei lá.

    Afinal, colocam um programa populesco diário, com um conhecido galã de novela interpretando um líder de milícia, que faz justiça com as próprias mãos, dentre outras arbitrariedades. Depois vem o jornal e critica tudo aquilo. O que se passa afinal?

    É tudo muito insólito. Ia até fazer um post falando disso na época, mas achei que fugiria muito do tema deste blog, e não fiz. Mas é algo para se pensar.

    Bom, foi só um aparte, favor não ficarmos falando de novela HuHEHEhEh 😉

  8. O nosso Rio já virou uma Colombia piorada faz tempo, com seus Bairros do tipo Iraq, faixa de gaza, vietnã e cada um com um apelido de guerra, o Governo Estadual coloca o efetivo policial na Zona Sul e Barra da Tijuca, se esquecendo da Zona Norte, Leopoldina e Baixada Fluminense, por isso a invasão das milícias nas comunidades carentes, senão pela ingerência do Poder Público.
    O Gov. Federal nem ai pro RJ, e ainda manda tropas pro Haiti, quando não se consegue conter os bondes cariocas. Estão acabando c/todos os Quarteis do EB de nosso Estado, e ainda mandam a Força Nacional de Seg. para tomar conta das entradas de todo o Complexo do Alemão, porém as vendas aumentaram e muito, pq o usuário agora se sente mais seguro, e pode circular arrastando seus vícios sem medo, “numa boa”. Quem conhece as localidades de Inhaúma, Ramos, Bonsucesso e Del Castilho sabe o que acontece, ou seja não acontece nada contra o tráfico, a FNS não apresenta nada nas DPs, mas para os Governos Federal e Estadual está tudo em ordem, pq o PAC é mais importante neste momento, momento político como sempre.
    PCERJ – Parabéns pelos seus 200 anos.
    Simpson

  9. Concordo Com o Companheiro de blog Simpson.
    porque o que vemos e sinceramente so isso.
    a Força Nacional Parada. o amigo Bem acima afirma
    sobra a opressão do Trafico de Drogas isso e Obvio.
    passe em uma favela da Tc . Cantando Funk Broibido,
    do Cv. se não Morre apanha ate dizer que não quer mais. se Aqui no Rj a Milicia, e por falta de investimento
    do governo que simplesmente de vez aumentar ,
    o Numero de Contigente da PM, da PCERJ etc e Não
    ficar Mandando Tropas desnecessarias aqui pro RJ.
    um dia desse passaram aqui na Região de Onde Moro
    e sabe o que a Fns tava Fazendo? Tomando Coca-Cola
    e Comendo salgadinho, em vez de estar fazendo sua
    ronda ostensiva e bem despreocupados, Fuzil no Chão,
    etc,etc, Mudar isso… e fato.

    PCERJ parabéns pelos seus 200 anos.

    Força e Honra.

  10. É, Eduardo, não é mole não… a própria Globo já demonstrou diversas vezes que miliciano é “malvado”. Eu vi a novela, confesso, eu sucumbi a esse mal. Mas a diferença é que sei que o Natalino ou Jerominho não são “gente boa” como o Juvenal. Aliás, o próprio Juvenal é o representante moderno do anti-herói pátrio, um macunaíma do novo século. Mas o povão não sabe a diferença entre o herói e o anti-herói, vê apenas um sujeito “cuidando” da “sua” favela e acha que isso é o certo.
    Voltando ao assunto “polícia”, você sabe como anda a apreensão do produto ($$$) de milícias/ tráfico? A PCERJ/PMERJ realizam apreensões significativas de recursos em espécie? É que outro dia vi o diretor da PF mostrando que a apreensões $$$ da PF superam o seu orçamento, tornando-a uma polícia barata. As polícias estaduais apreendem muitas drogas e armas, mas e o dinheiro? Formar um dado estatístico sobre isso poderia render bons aumentos, não?

  11. Espero que esteja errado. Mas estamos em um túnel sem fim. A raiz do problema é a educação desde a escola até em casa. Com educação as atitudes do povo seriam diferentes em todos os aspectos do voto até os costumes caseiros. Ao matarem um traficante
    a populção faz uma arruaça. Ao saberam que políticos roubam o que é nosso, mudam de canal ou passam a página ” vô esquentar minha cabeça com isso “. E então se não bastasse o cidadão criminoso, agora temos os criminosos da lei ” milicianos ” formando mais um poder paralelo, e estão dispostos acabar com o tráfico e com quem entrar no caminho, impondo sua hegemonia. Isso é normal, o povo nasce vendo o errado e morre transmitindo o errado. Na minha consepção vivemos em uma guerra civil não declarada, pois temos ” caveirões ” usado na guerra da Angola, Ak-47 usado em guerras do oriente médio, granadas e etc. Mas não fiquem assustados está tudo sobre controle. As obras do PAC irão solucionar todos esses aspectos …
    rsrs… Não culpo só polícias pois um aspecto está ligado ao outro. O nosso problema é maior do que vemos e pensamos.

    Obs: Fico feliz em saber que existem pessoas
    como todos que aqui opinaram.

    Abraços !!!

  12. O problema das milícias, não está no que acontece agora ou aconteceu antes. Como foi falado, nem se sabe se estas supostas vítimas de “torturas” são reais, ou o que realmente elas estavam fazendo na favela do Batan, visto que a qualquer traficante interessaria o fato de ver o acontecimento exposto se realizar pra enfraquecer a “milícia”. Nem se sabe se foram milicianos mesmo ou porque o referido morador não chamou a equipe de reportagem quando a favela pertencia ao tráfico…
    Voltando à “vaca fria”, quem leu “O PRÍNCIPE” de Maquiavel, pode ter uma noção do que vai acontecer com as “milícias”: Elas chegam como “salvadoras da pátria” expulsando traficantes (tal qual chegaram), mas logo que assumem a situação, não querem mais deixar o “poder”, e aí sim passam a ser problema, pois enraizadas na segurança pública e na política por possuírem em seus quadros membros destas, fortalecidas pelo armamento e dinheiro tomados como espólio ou como imposto aos moradores e comerciantes logo virarão umas “FARB” (forças armadas revolucionárias do Brasil) assim que o EXÉRCITO vir combatê-las, pois não haverá outra força capaz de fazê-lo.
    Cabe ressaltar que “arrancar” a “milícia” e não ocupar o espaço que cabe ao ESTADO (nos pilares básicos que são: saúde, educação, emprego, moradia e segurança), vai produzir chacinas por parte dos traficantes que, invariavelmente voltarão a ocupar seus antigos postos nas cominidades. E de nada adianta colocar a FNS ou o EB na comunidade (entrada) sem poder para intervir, pois só vai gastar dinheiro público e aparecer no jornal, e da pior forma possível…

  13. foi muito feliz em sua matéria, porém nossos governantes não podem generalizar, sou policial militar no interior de SP, faço sim meus “bicos” para completar minha renda e dar melhor qualidade de vida para minha familia, mas o “bico” honesto, mas também não deixo de ser policia qdo de serviço. Policiais corruptos, ladrões e mal intencionados devem sim serem punidos e até presos, mas sou honesto , trabalhador e não posso ser punido ou ser considerado criminoso por querer melhorar minha vida e de minha familia de forma honesta e digna. SOU HONESTO E DIGNO.

  14. ACHO QUE TENHO A SOLUÇÃO.

    VEJAM BEM,

    NÃO ESTÁ EM TRAMITAÇÃO A PEC 300, POR EQUIPARAÇÃO DOS SALARIOS DAS POLICIAS DE TODO BRASIL COM A POLICIA DE BRASILIA.????

    ENTÃO, É SÓ ‘CASA’ OS DOIS PROJETOS!!!!

    EQUIPARA O SALÁRIO DE TODOS OS POLICIAS DO BRASIL, COM OS SORTUDOS POLICIAIS DE BRASÍLIA, E JUNTAMENTE COM ISSO , SE CRIMINALIZA O BICO.

    AÍ, SIM.

    SÓ TIRAR, É FÁCIL.

    SERÁ QUE ALGUM ILUMINADO NÃO PENSOU NISSO.

    RESOLVERIA DOIS PROBLEMAS.

    MAS…………………

    VAI PERGUNTAR (EM OFF) PARA OS COMERCIANTES E DEMAIS QUE SE UTILIZAM DOS SERVIÇOS EXTRAS DOS POLICIAIS, SE ELES QUEREM QUE ACABEM COM O BICO, E DEIXAR TUDO A MERCÊ DAS VIATURAS DE SERVIÇO.

    A VAGABUNDAGEM VAI DEITAR E ROLAR.

    NÃO É INTERESSANTE PARA O GOVER ISSO.

    O PM FAZENDO BICO, FICA ATENDIDO 3 LADOS.
    1º O ESTADO ACABA TENDO UM COMPLEMENTO DA SEGURANÇA PÚBLICA FEITO POR POLICIAIS DE FOLGA E QUE ELE ESTADO NÃO ESTÁ PAGANDO AS EXTRAS.

    2º SE ACABAR (CRIMINALIZAR) PODE MARCAR AÍ E APOSTAR , OS INDICES DE CRIMINALIDADE VÃO SUBIR IGUAL ROJÃO, CONCLUSÃO, TAMBÉM NÃO É INTERESSANTE PARA O ESTADO.

    3º fAZENDO DE CONTA QUE NINGUÉM FAZ BICO, O ESTADO NÃO PRECISA SE PREOCUPAR MUITO COM O SALÁRIO (É O QUE ESTÃO FAZENDO NESSE MOMENTO). ENTÃO………..TAMBÉM É INTERESSANTE PARA O ESTADO.

    CONCLUSÃO.

    É BOM PRA TODO MUNDO. COMUNIDADE, ESTADO, E PARA O POLICIAL.

    É ISSO.

  15. Concordo com vc márcio,

    veja bem, todo profissional, todos os seguimentos, fazem jornada dupla.

    creio que se vc , não estiver usando arma do estao, nem colete e nada que seja de uso exclusivo para quando vc estiver em serviço.??

    por que proibir, o que vc está fazendo de mal.

    tá prejudicando quem.

    aliás , quem contrata alguém (policial) pra fazer bico, é porque já foi vítima de roubo ou furto, ou algum vizinho foi.

    então, em algum momento o estado falhou na proteção ao cidadão.

    e aí vem o policial , sacrificando sua hora de folga, pra dar proteção a quem o estado não consegue dar.

    o correto seria o estado ainda subsidiar , parte desse bico, ou fornecer ‘ht’, aos policiais para facilitar a comunicação e agilizar as ações, assim teriamos um contingente maior de policiais cuidando de nossa segurança.

    perini

  16. ja fui militardo exercito brasileiro, e e fato que os salarios baixos realmente no Brasil seja o fator que propicia a alienação do servidor publico,mas isso não e esclusividade das forças armadas e seus auxiliares, por isso não e correto que a lei seja elaborada ou mesmo se torne magra para beneficiar aqueles que tentam justificar seus atos criminosos colocando a culpa nos baixos salarios jogando assim na lama o nome de muitas instituições que no passado primavam pela honestidade e retidão, o ideal era que no Brasil os militares voltassem a receber salarios dignos para que não fosse mas necessario o militar fazer ‘bico’, e que após isso aqueles que praticassem esse tipo de ilicito podesse ser punido com o rigor da lei.

  17. PARA QUE SERVE A POLICIA?
    No Brasil existem vários tipos de policias como as Federais, as Civis, as militares e ainda temos as três forças armadas Exercito, Marinha e Aeronáutica e ainda temos os Guardas Municipais. Para que serve cada uma? Policia Federal serve para… nada! Policia Civil serve para… há lembrei, humilhar as pessoas que vão a delegacia fazer um Registro de Ocorrência. Policia Militar foi muito usada durante o Regime Militar para seqüestrar, torturar e matar as pessoas que eram contra o regime. O regime já acabou porém… As três forças armadas… eu não faço a menor idéia de pra que serve… ah é pra desfilar no 7 de setembro! A Guarda Municipal… Nada também! Ah para bater nos camelôs.
    O Brasil gastou ou melhor jogou no lixo em 2009 cerca de R$ 46 BILHÕES de reais com segurança pública, porem na pratica, os brasileiros não viram ou sentiram o resultado desta gastança toda. A violência só vem aumentando a cada dia. Os índices de homicídios, roubos, seqüestros, trafico (de drogas e armas), são alarmantes e crescentes. Ai eu pergunto: Cadê a Policia? Para que serve todos esses tipos de policias? Para nada? Acredito que de nada adianta para um país ter uma infinidade de policias, gastar próximo de R$ 50 BILHÕES e ter toda a sua população de contribuintes entregue nas mãos da criminalidade.
    Na minha Opinião o presidente deveria ACABAR com todas as Policias! ELMINAR o termo POLICIA que é termo tão nocivo. E criar uma outra denominação tipo: “GUARDA NACIONAL”, ou “ SEGURANÇA NACIONAL” ,“PROTEÇÃO NACIONAL” do tipo “TROPA DE ELITE NACIONAL” e colocar no comando uma pessoa com princípios e conduta ética, incorruptível, compromissada, dedicada, do tipo “Capitão Nascimento”. Só assim todos os problemas de segurança pública seriam resolvidos instantaneamente.
    Todos os membros dessa nova instituição deveriam exercer funções judiciárias, oferecer segurança pública para a preservação e manutenção da ordem pública, da incolumidade das pessoas e do patrimônio. Teriam que investigar os diversos tipos de crimes. Cuidar das fronteiras de nosso país, impedir a entrada de armas, drogas e contrabando. Fiscalizar as mais diversas Atividades. Todos deveriam participar de operação, cumprir mandados de prisão ou de busca e apreensão. Teriam que patrulhar as ruas e prender os criminosos. Fiscalizar o trânsito aplicar multas etc. Todos deveriam executar as mais diversas funções, (assim como fazem, muito bem, os MILICIANOS nas favelas cariocas).

    Isso não acontece na pratica com a policia. Cada policia cada força armada, a guarda municipal e sei lá mais o que tem funções diferentes e todos juntos são extremamente inecientes. Todas essas denominaçãoes geram muitas confusões até entre eles e ninguem sabe que faz o que. E muitas vezes fazem o contrario daquilo que lhe é esperado. A policia é a instituição que mais é acometida pela corrupção acredito eu que cerca de 99% da policia seja corrupta. Nesta condição não cumprem as funções para a qual foi criada.
    É lamentável … mas é fato que na ausência da poLICIA temos a miLICIA que na minha opinião é quase a mesma coisa.
    OBS: Aos POLICIAIS que se sentirem ofendidos pelo amor de DEUS não me matem apenas expressei minha opinião sobre um assunto que ainda pouco domino, sou trabalhador, honesto, chefe de família… não mereço morrer. Obrigado.

    1 – Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/845429-gasto-com-seguranca-publica-cresce-15-no-brasil-aponta-ong.shtml

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *