Morte de Policiais em Portugal

Cabe um paralelo para entendermos a dimensão do problema em que nos enfiamos.

No blog Diário de um Patrulheiro, do colega de Portugal Geninho, ele lançou um post lembrando a quantidade de mortes de policiais em serviço naquele país.

Desde 2003, em quatro anos portanto, já foram assassinados 10 policiais, sendo quatro da PSP e 6 da GNR. A Polícia de Segurança Pública (PSP) faz basicamente o serviço de polícia na capital, e a GNR (Guarda Nacional Republicana) realiza o patrulhamento nas áreas rurais.

Geninho revela o relato de uma testemunha que presenciou quando um policial flagrou quatro assaltantes encapuzados: “O primeiro a sair do jipe, tombou logo”. O policial foi alvejado na cabeça.

Logo deve vir, em qualquer pessoa que raciocine minimamente, o pensamento “10 mortes em 4 anos, enquanto no Brasil, em uma cidade, 10 mortes normalmente ocorrem no prazo de uma semana!”.

Não, não são eles, os policiais portugueses, quem estão fazendo uma tempestade num copo d’água. Somos nós, omissos e acomodados, nós policiais, nós cidadãos. Aceitamos, quase que passivamente, os devaneios de políticos demagogos que se sucedem no controle da segurança pública, de nossa segurança, enquanto a sociedade em geral cheira cocaína em quantidade industrial.

Agora, por exemplo, nem tenho a conta, para fins de mórbida comparação, do número de policiais mortos no Rio em quatro anos. Não temos a conta nem do número relativo a somente o ano de 2007, não há dedos para contar.

Sinceramente? Os policiais, pouco a pouco estão se desiludindo e caindo na real, a solução é sair fora, salvar a própria pele e saúde que lhe resta. O pior é que a maioria que começa a se colocar indisponível para a Polícia e seus “dirigentes” são, não raro, os que mais se destacavam pela qualidade do serviço. A Polícia vai se resumir à ratazanas, “mãos-de macaco” e coisas do gênero.

“E minha segurança e de minha família?” pode se perguntar o leitor. Bem, fica a dica, o clima no sul do país é mais ameno. Eu particularmente gosto de frio.

6 ideias sobre “Morte de Policiais em Portugal

  1. Aqui em Mato Grosso, ainda não sofremos com perdas numerosas de colegas policiais (PMs e Civis) que saem para o enfrentamento ou por retaliação, para ser bem sincero, chega a ser nulo, na capital – Cuiabá – onde vivo, porém, no interior que soma falta de efetivo (algumas cidades contando apenas com 3/5 PMs e 2/3 Investigadores, e na maioria sem Delegado e Escrivão) falta de armamento e estrutura, com a presença de bancos e redes de créditos torna um grande atrativo para os marginais, tão atrativo que está se tornando uma rotina, esse ano ocorreu inúmeros assaltos a bancos e redes de créditos no interior do estado, ceifando a vida de vários agentes da segurança pública…e a ação dos marginais é sempre a mesma, toma de assalto a delegacia e o batalhão, aprisionando os policiais e roubando seus poucos armamentos e viatura – as vezes a única.
    A grande verdade é que a sena é triste, para quem, que assim como eu, escolheu ser policial. Não quero ser policial federal e nem rodoviário federal, eu quero que a polícia civil, seja reconhecida e fortalecida, eu sei que é um sonho, mas com o exemplo da policia civil de Brasília, podemos ver que é um sonho possível, e eu quero ter forças pra lutar até o fim.

  2. É por essas e outras que, mesmo sendo contra a separação do Sul, eu encho o peito e digo: “O Sul é o meu país”

  3. Eduardo: a polícia estadual de Mato Grosso é vista pelos policiais do Rio como guerreira e determinada em valorizar a corporação. Força aí.

    Marcos: o Sul do Brasil é literalmente outro Brasil. Impressão que tive nas poucas vezes em que aí estive…

  4. Já aqui no Est. do Rio de Jan. tombam muitos policiais, tanto de serviço, quanto de folga, que se somados alcançaremos um nº muito maior do que o visto na TV como sendo 60 em 2 anos, dando como fonte o ISP, que é mais um engodo deixado p/Gov. Rosinha. Os números não mentem, basta apenas contar, e dai chegaremos a uma triste média de 3 Policiais p/dia.
    Abram o jornal hoje, não importa o dia e veram o q digo, depois abram amanhã e comparem, e assim esta média poderá aumentar consideravelmente, principalmente se a reportagem conseguir acompanhar todos os fatos, tanto da Capital, como da Baixada, e de Niterói.
    Isso posto sem contar c/o interior do Est., sem contar c/os Bombeiros Militares e os Agentes do SEAP, o que elevaria a contagem de colegas e amigos particulares que se vão a todo momento.
    Somos escravos do sistema, e sem aparo dos direitos humanos, que só protegem os traficantes, por serem geradores de milhares de votos p/Políticos corruptos
    que após a eleição fazem parte do sistema e nos chefiam de seus Gabinetes c/o poder da punuição.
    E assim caminha a sociedade no Rio de Janeiro.

    Marcos

  5. Esse tal Marcos é um bosta q se exime da responsabilidade e covardemente atribui a um senso de nacionalismo Germanico podre e nazista colonial da parte Sul do meu pais chamado BRASIL eu escolhi ser o q sou e sou a linha de frente pra qualquer momento q o meu pais solicitar-me estarei pronto p/ defende-lo . ESSE TAL marcos É UM INFELIZ SEM PATRIA mas EU TENHO UMA P/DEFENDER ……. COM TODOS OS SEUS PROBLEMAS EU AMO SÃO PAULO O MEU ESTADO E AMO O MEU BRASIL ………ALEXANDRE

  6. Alexandre, você poderia gastar desse seu ódio pra fazer da sua São Paulo uma cidade melhor. Para sua informação, não moro mais no Sul, mas me orgulho do lugar onde nasci e cresci. Eu dizer que o Sul é o meu país não me torna menos patriótico que você. A questão é que os políticos destróem nossos sonhos de um país melhor. Eu sou dos patriotas que chora ao ouvir o Hino Nacional. Eu conheço o meu país a ponto de dizer que esse seu patriotismo é igual ao meu. Eu amo o meu país. O problema está em querer lutar contra uma força que mais parece um câncer (os políticos).
    Ah, e torço muito para que você seja da linha de frente, pois eu não tenho coragem de lutar por um país que não paga bem seus combatentes, que sucateia seus equipamentos, e se gaba de comprar veículos de combate usados e já aposentados por outras nações. Enquanto o Brasil não se der conta da potência que é, continuaremos na mediocridade que nossos políticos tanto adoram.

    Espero que tenha votado direito no dia de ontem…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *