Início » Notícias em Análise

Adeus Dudu

Publicado em 10/11/2007 - Categoria: Notícias em Análise

E lá se vai mais um amigo. Muito mais do que um colega de profissão, como nos referimos à outros policiais, Eduardo era amigo. Era daquele tipo de pessoa que você pode contar a qualquer hora, para ajudar a resolver qualquer encrenca.

Era um cara dedicado. Sempre participou de todos os cursos táticos que pôde, era uma paixão. Ele dedicava a maior parte de seu tempo à Polícia Civil. Sempre competente no que se propunha a fazer, com ele podíamos contar, seja para liderar a equipe em ambientes hostis, seja para fazer a cobertura em outras ocasiões.

Era tão dedicado que ontem, quando foi abatido dentro do helicóptero Águia da PCERJ, Dudu estava no dia de folga, mas foi dar uma força devido à falta de pessoal para formar a equipe.

Dudu era o tipo de colega que nos transmitia confiança, que poderíamos dizer “esse eu coloco a mão no fogo!”. Honesto, competente, solidário, amigo, dedicado, compreensivo, comprometido com a missão policial de prestar segurança à pessoas desconhecidas da melhor maneira possível.

Foi instrutor em alguns cursos que fiz na CORE. Sempre que me encontrava falava “Fala meu xará, o melhor escrivão da Polícia”. Nunca vou esquecer essa frase. Eu não sou escrivão, sou Inspetor, e Dudu era Oficial de Cartório. Aquela não era sua missão. Ele estava lá porque queria estar, lutou para estar, e tinha paixão pelo que fazia.

O velório na ACADEPOL foi comovente. Uma pequena multidão de conhecidos, colegas, amigos, e familiares seguiu em comboio até o cemitério do Caju. O Águia sobrevoou o cortejo com vôos rasantes, e depois parou, despejando na multidão desolada milhares de pétalas de rosa.

Tenho certeza que Dudu sentiria orgulho com a cena. Orgulho porque aquilo representava sua paixão. Ele, como outros colegas, se submeteu a duros testes, digno de super-homem, para ser considerado apto a integrar a tripulação do Águia. Estava no SAER (Apoio Aéreo) há poucos meses. Estava feliz, irradiante com a conquista.

Cumprindo seu dever, acabou mortalmente ferido por disparos feitos por marginais no Complexo do Alemão. Mas não vamos falar disso agora.

Gostaria de agradecer as palavras dos colegas da PMERJ e do BOPE/PMERJ, da Polícia Federal e outros que lá estiveram. Aos colegas que me chamaram no rádio ao ouvir pela imprensa que o Eduardo da CORE havia sido morto – inclusive colegas que já conseguiram sair dessa loucura e hoje são delegados em outros Estados – e como eu também estou na CORE pensaram que se tratava de mim.

Agora, o momento é de reflexão e oração. Qualquer pessoa, autoridade ou não, que se aproveite deste fatídico momento para disparar as velhas baboseiras em discursos políticos com certeza não conhecia o Eduardo. Ele era especial.

Dudu, descanse em paz junto ao Grande Arquiteto do Universo. Você estará para sempre guardado em nossas mentes e corações.

aguia civil

36 comentários »

  • Marcelo Pasqualetti comentou:

    Dudu era meu amigo de colégio. Das viagens a Ilha Grande, do Triathlon. Depois fizemos faculdade de Direito juntos. Entrei pra Federal e ele pra Civil. Era um apaixonado pelo oficio. Com ele não tinha “tempo ruim”. Carismático, inteligente, conquistador. Dudu era O cara. Vai deixar um vazio bem grande na vida daqueles que o conheceram. Vai em paz, Dudu. Olhai por nós.

  • Sérgio Gabrielleschi comentou:

    Estou pasmo como esses traficantes atacam a polícia. O tráfico já virou uma indústria lucrativa e por mais que o governo faça no âmbito social, sempre vai ter gente disposta a trabalhar para o tráfico, então esse papo de que se as favelas virarem do dia pra noite um condomínio luxuoso, todos tiverem oportunidade de saúde e educação não vai ter ninguém disposto a transgredir a lei, isso é balela e os traficantes de ectasy provam isso. Só que os playboys traficantes da Zona Sul não andam de AR-15 ou Fal. Sinto a perda do policial Eduardo, pois perdemos mais um soldado nessa guerra, e quanto aos dois malas mortos pelo helicóptero na favela da Coréia, já foram tarde. Abraços

  • Bradock comentou:

    Que siga em paz companheiro, saiba que a sua passagem por aqui não foi em vão…
    Enquanto isto o Relator palhaço da ONU está criticando a Polícia por operação no morro do alemão… “está com pena leva para você”, e por falar nisto foi alguém dos direitos humanos ou de alguma ONG no enterro do DUDU, ou até mesmo este imbecíl da ONU. Faça-me o favor…

  • Silvia Salazar comentou:

    Conheci o Dudu em Agosto deste ano. Além de um excelente policial ele adorava corrida e sempre me deu força nos treinamentos. Era muito querido pela turma da corrida, sempre bem humorado e companheiro. Lembrarei dele sempre com muito carinho. Saudades…

  • Figueiredo comentou:

    No BLOG publiquei uma modesta homenagem ao AMIGO Dudu e aos demais ANJOS que nos apóiam nas Delegacias, nos Plantões, nas Operações, pois apesar de não percebermos, TODOS nós uma vez ou outra SOMOS os Anjos da Guarda de nossos companheiros de luta.

    “E quando eles estavam em grande perigo, olharam para os céus e contemplaram jubilosos a LIBERTAÇÃO enviada por Deus, na forma de um Helicóptero que transportava os novos ANJOS DA GUARDA.”
    Inspetor Figueiredo – DRACO/IE

  • Márcia comentou:

    Conheci o Dudu no Gabinete Civil onde trabalhamos juntos. Em 2001 fomos aprovados – juntos – no concurso da PCERJ.
    Vai ser muito difícil viver sem a amizade, a presença, os cuidados, o amor dessa pessoa tão especial.
    Em todos os depoimentos sobre ele, as sensações são as mesmas. Ele com certeza está bem. Nós, que ficamos, é que vamos ter de aprender a viver com essa ausência física. No coração, toda a vida que ele nos deixou.
    Saudade amigo! Muita saudade mesmo! Fica com Deus!
    Pagode.

  • Valdelei Duarte comentou:

    É infelizmente perdemos mais um companheiro em seu fiel cumprimento do dever.
    Trabalhei também no serviço de operações aéreas,antigo CEGOA na gestão do GOV.Brizola,e na época o coordenador era o CMT.Maia.
    Desisti dessa missão,porque perdi também alguns amigos que admirava e aprendi muito com eles.
    Foi em 1987,naquela época também esses marginais já nos enfrentavam,foi em uma perseguição em um assalto a banco, em um morro lá em bangu,bem próximo a favela da coréia onde o nosso saudoso Dudu também atuou. Em uma manobra em perseguição o CMT Júlio,tocou com o rotor de calda no cabo do pára-raio da torre de energia,e em seguida no cabo de alta tensão,e recebendo uma descarga e,perdendo o rotor de calda da aeronave. Além do CMT. Júlio,perdemos também os policias civis,inspetor Euclides,detive Adauto(Hulk),o SD PM Sinval, eo SD PM ALDIR (Dibas).
    Não tive mais estímulo para continuar no serviço,sem os meus companheiros,princpalmente o Dibas,com quem tinha mais afinidade;resolvi voltar a trabalhar em terra firme,ou melhor,na areia(praia),fazendo salvamento no mar.
    peço uma Ave Maria e um Pai nosso ao Dudu e aos saudosos: Inspetor Euclides,Detetive Adauto,Policial militar Aldir,Policial Militar Sinval e CMT Júlio

  • Edmundo Gonzaga comentou:

    Estou muito chateado.
    O Dudu era meu amigo, ex-colega do Palácio Guanabara. Um cara gente finíssima, excelente advogado, que me deu a maior força e ajuda quando cheguei na Assessoria Legislativa do Gabinete Civil.
    Era um bom amigo, sempre alegre, gentil e prestativo.
    Passou no concurso da Polícia Civil e se empolgou com a coisa. Estava de folga no dia de sua morte. Apresentou-se voluntariamente para o serviço. E um desgraçado que não vale o ar que respira tira a vida dele.
    Estou inconformado.
    Por essas e outras é que não suporto mais o Rio de Janeiro.
    Boa tarde.

  • Edmundo Gonzaga comentou:

    Estou muito chateado.
    O Dudu era meu amigo, ex-colega do Palácio Guanabara. Um cara gente finíssima, excelente advogado, que junto com a Marcia me deu a maior força e ajuda quando cheguei na Assessoria Legislativa do Gabinete Civil.
    Era um bom amigo, sempre alegre, gentil e prestativo.
    Passou no concurso da Polícia Civil e se empolgou com a coisa. Estava de folga no dia de sua morte. Apresentou-se voluntariamente para o serviço. E um desgraçado que não vale o ar que respira tira a vida dele.
    Estou inconformado.
    Por essas e outras é que não suporto mais o Rio de Janeiro.
    Boa tarde.

  • Marcus comentou:

    Falar do Eduardo (Dudu) fica até dificil, em razão da excelente pessoa e profissional que ele era.

    Tive a oportunidade e o privilégio de conhecê-lo em alguns cursos na CORE. Na véspera do fatídico dia mantive contato com ele pois ele estaria me orientando em outro curso. No dia seguinte ela não estava entre nós. Para mim foi dificíl acreditar e a trsiteza me consumiu, agotam além de um policial era um amigo que era perdido nesta estúpida guerra urbana.

    Não deixemos que a morte deste amigo seja em vão. Vamos lutar de forma digna, honrosa e sempre com cabeça erguida para que a POLÍCIA e a SOCIEDADE sejam tudo aquilo que o DUDU sempre se empenhou tanto para transformar.

    Lembre-se os policiais, vocês estão probidos de morrer, pois se vocês não estiverem entre nós será o fim no nossa esperança em um futuro melhor.

    Obrigado Eduardo pelo prazer de te conhecer e que eu possa estar a altura de contribuir para dar significado a sua morte. Olhais por todos nós ai de cima.

    Saudades.

  • Edmundo Gonzaga comentou:
  • CAVEIRA.18.PE comentou:

    Não conheci o DUDU, mas faço minha a tristeza de todos os que o conheceram, sei a dificuldade da natureza do serviço que fazia, muitas vezes sem reconhecimento algum. Infelizmente, é mais um dos nossos que se vai, e amanha será notícia velha, ao menos para os que não o conheciam ou não sabiam a importância de seu trabalho. Força aos amigos e à familia. CAVEIRA!!!

  • Cathalá comentou:

    Minha homenagem aqui do DF ao colega tombado em combate.
    Que sua família encontre conforto para esse momento de dor e que os colegas da CORE e de toda a PCERJ levem o episódio como incentivo a continuar travando com honra essa luta.

  • Eduardo comentou:

    Pelos depoimentos postados, quem não conhecia Dudu pessoalmente já pode ter uma noção do tipo de gente que ele era, da melhor qualidade. De luto, mas de pé, e espero sinceramente que esta tragédia seja um divisor de águas dentro da PCERJ. Porque se não for coisas como essa para mudar o estado de inércia da maioria, então nada resolverá.

  • Leonardo Dodd comentou:

    Não sou da polícia, sou vizinho do Dudu de quando ele morava com a Mãe e cresci com ele ao meu lado, sempre me lembro das boas conversas que tivemos no prédio e sempre elogiando o seu trabalho na polícia e sua fé na instituição.
    Sempre soube que ele era exemplar, mas não sabia que era o herói que é, porque não tenho coragem de dizer que foi um héroi, continuará sendo!
    Neste momento de dor estrei orando bastante para que Deus conforte o caração de sua mãe que conheço muito bem e de seus colegas, porque não há palavras que possam confortar um coração, mas somente Deus.

  • Anderson comentou:

    Não conhecia não mais infelizmente foi uma perda muito ruim para a policia, as pessoas tinham que dar mais atenção e carinho pelos policiais não só na hora da perda e sim vivos porque os que morrem não voltam mais e deixam saudades!!!
    Tenho acompanhado o trabalho da policia todos os dias pela televisão e sempre rezo por eles.

    Que Deus de muita sorte para todos os policiais.

    PAZ Apenas aos homens de bem !!!

  • JACKELINE PASCOAL comentou:

    HERÓI! De acordo com a definição do dicionário, a palavra HERÓI quer dizer: Homem extraordinário pelas suas qualidades guerreiras, triunfos, valor ou magnanimidade.
    O Dudu era tudo isso, mas não foi apenas o HERÓI que agora aparece nas manchetes. Ele foi também um AMIGO-HERÓI! O Homem de gestos nobres nas atitudes do cotidiano, no lidar com os amigos e com o seu próximo. Sempre com um sorriso aberto, uma palavra doce e seu jeito engraçado que tornava a vida mais leve quando estávamos ao seu lado.
    Palavras não são suficientes para descrevê-lo, mas quando lembro dele me vem a palavra ANJO…
    Agora, com a sua partida, tenho a exata compreensão do quanto fui afortunada por te-lo conhecido. Agradeço a Deus todas as horas, minutos e segundos que fui abençoada com a presença desse ANJO disfarçado de amigo na minha vida. Ficam as recordações de coisas boas, alegres, verdadeiras… assim como a vida deveria sempre ser.
    Fica em Paz meu amigo e que Deus sempre te acompanhe. TE AMO!

  • Eduardo/RJ comentou:

    Falando em ANJOS, recomendo a leitura da homenagem ao Dudu feita no Blog do Grupo PCERJ.

  • Eduardo/RJ comentou:

    E mais uma justa homenagem ao Dudu, conforme notícia do jornal.

  • Rodolfo comentou:

    Mas um bravo combatente que se foi, amigo, honrado e acima de tudo comprometido com a justiça.
    Lamento pela sociedade carioca que perdeu um grande homem.
    Força e Honra

  • Eduardo/RJ comentou:

    Amigos,

    Informo que a missa em homenagem ao nosso querido Dudu (Eduardo Demoro) será realizada:
    Dia: 22 de novembro de 2007 (Quinta-Feira depois do feriado)
    11:00 da Manhã
    Igreja: NOSSA SENHORA DO CARMO
    Rua: Primeiro de Março, perto da Sete de Setembro.

    Obs: Peço que repassem esta informação para todas as pessoas interessadas.

  • Simpson comentou:

    Ao eterno amigo e companheiro Dudu, que sempre esteve presente nas horas de sufoco, como em Teresópolis, também de folga, trabalhou como negociador e salvou um companheiro do Setor de Custódia. O tempo passa, mas nunca será esquecido por nós, siga seu caminho em paz com Deus.
    Inspetor Marcos Coutinho – CORE

  • Cristian comentou:

    Olá, não sou policial.
    Estava fazendo pesquisas pela internet e acabei chegando a página de vc´s.
    Eu gostaria apenas de expressar meu agradecimento por sua tão generosa boa vontade em proteger cidadãos como eu e minha familia.
    Infelizmente perdemos mais um grande policial.
    Minhas condolências à família.
    Cristian.

  • Daniel comentou:

    Eu e o Eduardo participamos da mesma turma de formação para ingresso no cargo de Oficial de Cartório. Sempre solícito, ele foi o xerife da nossa turma. Lembro-me que era uma época de transição de governo e ainda existia dúvidas se iríamos tomar posse. Todos os dias ele vinha com notícias sobre a possível data da posse. Sempre incentivando os colegas.
    Após a investidura no cargo, ele montou uma “central” de permutas com todos da turma, pois como muitos não haviam sido lotados dentro das opções desejadas, era uma forma de tentar satisfazer às vontades dos colegas.
    Dudu era uma pessoa de grande empatia. Adorava o trabalho policial.
    Lembro-me de ele fazer ronda na área de Botafogo com sua própria moto.
    A última vez que o vi, ele estava em uma equipe Jaguar da CORE.
    Às vezes me questiono se valeu termos sido empossados. Até quando policiais, trabalhadores, pessoas boas, como o Dudu morrerão até que esses políticos modifiquem essas leis que só beneficiam os marginais?

  • Eduardo/RJ comentou:

    Simpson: volta e meia vejo um colega descendo as escadas da Base Jaguar e tenho a impressão de que o Dudu vai sempre estar ao nosso lado.

    Cristian: obrigado pelo apoio, e aposto que posso dizê-lo em nome de todos os policiais.

    Daniel: se é de guerra que o governo gosta, temos que deixar eles mesmos tomarem a dianteira. Que subam as favelas o governador, o secretario de segurança e o chefe de polícia… eu não vou mais (não desta forma).

  • Sigmar - CORE comentou:

    A maior honra do guerreiro é morrer em combate, e vc amigo teve essa honra. É uma pena que policiais como vc precissem morrer para que possamos questionar e rever alguns conceitos e procedimentos. Obrigado por tudo amigo. Meu companheiro de curso (canga), onde na maioria da missões eramos nos dois a dupla, eu o 26 e vc o 28, já que o 27 já tinha pedido para sair… Nos mergulhos de apnéia onde vc me acalmava, já que ali era minha dificuldade. Enfim… obrigado amigo pela honra de combatermos juntos. Falcão!!!!

  • Daniel comentou:

    É verdade Eduardo. Tinham que colocar o rabo do Governador e de todos os representantes dessas ONGs “protetoras dos direitos humanos” no assento de uma viatura Gol bolinha para entrarem num Complexo do Alemão para eles verem o que é ser um policial.

  • Eduardo/RJ comentou:

    Dia 09 de Dezembro próximo, 10 horas da manhã, Forte de Copacabana, em frente ao Posto 04 será iniciada uma caminhada em memória do Dudu. Toda a sociedade está convidada a comparecer. Veja o panfleto de divulgação.

  • edu comentou:

    vlw dudu,obrigado por tudo!!!!!!!!

  • Leandro comentou:

    Cade Os Direitos Humanos Agora. ?

    Ngm Aparece.. pra Defender.. Quem Realmente

    deveria Ser Defendido… !

    Direitos Humanos Pra Humanos Direitos !

  • wagner comentou:

    fico indignado quando um pilicial,morre meus pesames que Deus conforte o coraçao da sua familia e de seus companheiros

  • Fabinho comentou:

    Quando crianças acreditamos em heróis com poderes especiais. A vida nos induz a acreditar que isto não existe. Mas com o tempo percebemos que realmente alguns tem poderes especiais. Poder de manter firme durante toda sua vida seu caráter, sua honestidade, sua lucidez. Poder de integridade moral. Poder de altruísmo. Dudu obrigado.

  • Rodrigo Dewitz comentou:

    É um misto de tristeza e indgnação. Se perde um bravo, mais um, mais outro. E a soma cresce. Todos os dias policiais dedicados tombam em serviço e ninguem percebe a gravidade da situação. Nesses momentos dá uma vontade visceral, uma raiva interna que não sabemos explicar de colocar essa vida de lado e culpar os que deixam nossos colegas em desamparo. Mas como bons policiais, todos seguem em frente, de cabeças baixas, esperando que o dia-a-dia de ocorrencias alivie, ou pelo menos ocupe os pensamentos. Meus sentimentos à familia de tão honrado homem. Abraços a todos os policiais…

  • Renata Pascoal comentou:

    DEIXANDO PARTIR…

    Dú,

    Vivi até os dias de hoje num sofrimento solitário, com feridas que pensei jamais fossem cicatrizar…tudo isso, pela ausência do meu irmão de alma.
    Entrei num estado de tristeza profunda…aquela que vc abandona a própria vida… e só respira pq é inevitável.
    Meu luto foi longo, minha dor inexplicável!
    Entretanto, no segundo dia do ano de 2009, sequei meu pranto e, finalmente, consegui fazer minha despedida…
    Foi difícil, doloroso…mas precisei te deixar ir…te entreguei nas mãos do Senhor e pedi que cuidasse de ti.
    Todavia, tenha certeza Dú, JAMAIS TE ESQUECEREI!
    …Mas o sofrimento no qual me encontrava precisava cessar…dar lugar a saudade, a felicidade para poder agradecer ao cara aí de cima o privilégio de ter convivido com vc, e por todo amor q recebi e por tudo q aprendi.
    Por tudo isso, a hora da despedida foi tranqüila e não me causou o medo que antes me atordoava, medo que se te deixasse partir, vc sumisse dos meus pensamentos, do meu coração…medo de nunca mais te ver! Enfim, medo do próprio medo!
    Hoje sei que vc jamais cairá no esquecimento…e mesmo me despedindo, te deixando ir….vc continuará vivo em meu coração e em todas as minhas lembranças, mas agora…sem sofrimento.
    Sei o quanto vc se preocupava comigo…passamos por duas situações em que pensávamos que o fim havia chegado, vc sabe do que estou falando, naquele momento, nos desesperamos, choramos e sofremos um pelo outro.
    Portanto, não quero mais te deixar preocupado, não quero mais tristeza…quero simplesmente que vc siga seu caminho de luz junto ao Pai e interceda por nós junto a Ele.
    NÃO prometo não chorar…sei que algumas vezes derramarei algumas lágrimas, mas não me culpe por isso, e não pense que estarei triste…tenha certeza que só estarei com saudades…mas a certeza de nos encontrarmos, novamente, acalentará meu coração.
    Obrigada por ter feito a diferença em minha vida!
    Te amarei INFINITAMENTE E PRÁ TODO O SEMPRE!!
    Renata Pascoal

  • Patrícia. comentou:

    Linda mensagem. 🙁

  • MARCELO PINHEIRO comentou:

    Dudu,

    sei que vc não vai ler nada disso que está escrito por aqui. Isso é coisa de gente louca como eu que não tem com quem falar e fica te mandando esses recadinhos. Mas se por acaso, aí, desse lado, você quiser dar uma lidazinha, pode. Você vai ver o quanto você ainda é querido e lembrado por todos. Eu cansei de te dizer pra não fazer essa merda de concurso. Você tinha tudo pra ser um grande promotor, juiz ou o que mais quisesse. Como nós sempre fomos do contra, você resolveu fazer. O fato é que de uma maneira muito estranha, tenho sentido a sua presença sempre por perto. Não sou espírita, não sou budista, não sou evangélico, e, depois que visitei o Vaticano, também deixei de ser católico. Mas, Cara, se você tiver por perto, vê se não me assusta. Se tiver que me mandar algum recado, mande por carta ou telefone. Se você tiver um tempinho, vê se convence a Márcia pagodeira a sair dessa também. O Ed também te mandou um recado. Ele já saiu do Rio. Vou terminar dizendo pra você o que a gente sempre dizia Wolverine pra Fofo: Vê se não faz merdinha.
    Um beijo do seu irmão que sente muito a sua falta. Um dia a gente se vê por aí. Tomara que demore bastante. Eu não tenho a menor pressa.

Deixe seu comentário!

Escreva seu comentário abaixo, ou faça um trackback do seu site.

Aviso: Você pode comentar esse artigo e expor suas idéias. Mensagens com palavrão, ofensas, injúria ou difamatórias serã o sumariamente excluídas. Exerça seu direito de expressão respeitando o direito de terceiros.

Gravatar habilitado. Para ter uma imagem pessoal exibida, registre seu Gravatar.