PCSP passou o rodo

A Polícia pode funcionar, só basta vontade administrativa e/ou política. Não é a primeira vez que a Polícia Civil de São Paulo orquestra uma operação desta magnitude e alcança resultados inacreditáveis.

Do G1:

Uma operação da Polícia Civil prendeu nesta 1.425 foragidos em todo o estado de São Paulo nesta quinta-feira. Trata-se da Operação DVC, cujo objetivo era cumprir 5.000 mandados de prisão. É a primeira do gênero. A polícia diz que focou sua ação na captura de condenados por homicídio, tráfico de drogas ou assalto.

Parabéns PCSP, agora duro é encontrar lugar para enfiar o lixo humano que nós, enquanto sociedade, produzimos.

War In Rio, você vai querer jogar !

war in rio

Sensacional o projeto lançado pelo designer Fabio Lopez! Ele lembrou daquele velho jogo de tabuleiros chamado WAR, e lançou uma nova versão WAR IN RIO. Olha a genialidade do cara: ele pegou o mapa do Rio e disponibilizou de forma similar ao mapa do jogo original, que era dividido em continentes e subdividido em países. O War in Rio é subdividido em Zona Sul, Norte e Oeste, Baixada Fluminense, Centro e Avenida Brasil, e os bairros mais tomados pela criminalidade subdividem estas áreas, tomando todo o território.

war rio favelaOs exércitos? Bom, você pode optar por jogar com o BOPE (exércitos pretos), o Comando Vermelho (CV – exércitos vermelhos), a Polícia Militar (PM – azuis), as Milícias (exércitos brancos), o Terceiro Comando (TC – exércitos verdes) e os Amigos dos Amigos (ADA – exércitos amarelos).

As regras são basicamente as mesmas do jogo de estratégia e guerra mundialmente consagrado. Aliás, nas palavras do autor, “as Regras do jogo se mantiveram inalteradas, e constituem os mesmos princípios morais comercializados em lojas infantis: matar, destruir, conquistar e aniquilar seus amigos”.

E ainda tem o prólogo, narrando como surgiu o cenário de guerra civil que atualmente vivemos no Rio, apesar dos governos estranhamente negarem:

Rio de Janeiro, dezembro de 2007.

Depois de décadas de abandono e desprezo por parte das autoridades, a cidade do Rio de Janeiro finalmente encontra-se em guerra. Enquanto os políticos discursam para uma classe média desinteressada, esquadrões de extermínio, grupos paramilitares, policiais e narcotraficantes disputam o controle da capital.

O cenário disfarça, mas a realidade não engana. Entrecortada por montanhas, florestas e lindas praias tropicais, o couro come nas ruas da cidade. Em alguma esquina do centro, na favela ou nas ruas do bairro, sorrateiramente o dinheiro troca de mão e a arma troca de lado.

os blindados tomam os guetos
e os milicianos controlam o gás,
o bacana aperta a mutuca
e o vagabundo trabalha em paz.
a piranha exerce tranqüila
a mais antiga profissão,
já deixou um galo pro cana,
no esquema do cafetão.
o bicheiro festeja o caixa
no orçamento do carnaval,
na cidade maravilhosa
só não falta é cara de pau.

Nesse tabuleiro sem regras é preciso sorte.

Gostei da idéia, assim que o projeto ficar pronto vou imprimir meu mapa e ajudar a destruir o Rio, ao invés de ficar só reclamando 😉
war rio de janeirowar favela jogo tabuleiro

As autoridades da segurança pública fluminense não gostaram, mas eu gostei e confesso que fiquei com inveja de não ter sido eu o autor da idéia. Talvez porque, na vida real, eu faça parte das peças do jogo, e não do jogador, afinal o jogador só tem a perder a vitória ou não da batalha… eu tenho a vida…

Enfim, acesse o blog do cara e veja como jogar a nova futura febre!