Operação Policial Luxuosa

Hoje, novamente, os policiais civis do Rio saíram de casa no meio da madrugada para realizar mais uma operação policial. Ainda era noite quando os grupos se reuniram e receberam as missões, objetivos e alvos. Mas não era mais uma dessas operações banhadas em sangue que a imprensa tanto gosta de cobrir, com direito à álbum de fotos e vídeos. Era uma operação para complementar uma investigação de inteligência, baseada em um Inquérito Policial trabalhado corretamente. Enfim, uma ação de inteligência policial.

As armas de guerra foram levadas apenas para a proteção pessoal dos policiais durante o trajeto. Os alvos estavam em endereços nobres, e não nos barracos de alvenaria e madeira das favelas. Eram barracos avaliados em 5 milhões de reais.

Delegacia de proteção ao Meio AmbienteApós investigação, a DPMA (Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente) partiu para a fase de diligências operacionais, solicitando apoio à outras Delegacias Especializadas para complementar o efetivo. Era chegada a hora de jogar na mala do camburão um punhado de gente que ficou rica em um curto espaço de tempo, valendo-se da destruição ambiental na região do Sul Fluminense, mais precisamente em Angra dos Reis.

Policia Civil do Rio de JaneiroEntre os presos, agentes da FEEMA, empresários do ramo de construção civil, e o ex-presidente da Câmara de Vereadores de Angra, Carlos Augusto Pinheiro do Partido Social Cristão (PSC), atual líder do Governo, que foi devidamente algemado para trás, igual a uma pomba gira, e jogado na caçamba da viatura que comumente transporta bandidos pé-de-chinelo e mortos de fome. Confira a reportagem com vídeo sobre a Operação da DPMA. São 29 mandados de prisão e 33 locais para busca e apreensão.

Parabéns aos policiais da DPMA que se dedicaram nesta investigação, digna de elogios. Esta sim deveria ser a meta da PCERJ, o perfil de inteligência policial. Esperamos operações semelhantes das outras Delegacias Especializadas, afinal, nem só de traficantes escondidos nos morros vive o Rio.

O curioso é que na seção de cartas dos leitores dos principais jornais, as tradicionais mensagens de apoio à ação policial, os “tem que matar mesmo, parabéns“, e “bandido bom é bandido morto” foram substituídos por “quero ver fazer isso em Macaé” ou “ainda falta prender muita gente“. Bem, falta mesmo, mas estou certo de que Paraty, Macaé, Petrópolis, Itaipava, Mangaratiba (Ilha Grande) e outros lugares que estão sendo destruídos vão ter sua vez de serem limpos. Ainda mais se a população ajudar, denunciando!
Reportagens do G1, globo, e Dia trazem mais informações.

Uma ideia sobre “Operação Policial Luxuosa

  1. ESSE É O CAMINHO COMPANHEIRO!

    A PCERJ EM ALGUNS ANOS (DEPENDE DE OUTROS FATORES) DEIXARÁ DE SER O ‘BANDO DE MACACOS COM ARMAS E DISTINTIVO’ AO QUAL O DEL POL SE REFERIU TEMPOS ATRÁS!

    AS POLÍCIAS NÃO ACABARÃO, SERÃO MODERNIZADAS.

    LEVARÁ ANOS MAS A PCERJ VAI CHEGAR NUM NÍVEL PRÓXIMO AO DA FEDERAL, CREIO EU.

    SEM TOLAS ILUSÕES!

    FORTE ABRAÇO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *