Polícia Civil de Alagoas pede Socorro

Em nosso grupo restrito, foi repassada mensagem do Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas, comunicando os últimos acontecimentos referentes à categoria.A Polícia Civil de Alagoas, no dia 1º de outubro, completou 60 dias em greve. Isto porque o governador Teotônio Vilela Filho, do PSDB, rejeita negociar com a categoria, e está pouco se lixando para a segurança dos cidadãos alagoanos.

Em abril os policiais militares, também em campanha salarial, aderiram a um aquartelamento, e não saíram para patrulhar as ruas, depois que uma sentença judicial determinou que o salário dos Praças fosse reajustado em 88%, índice ainda abaixo do concedido aos Oficiais PM pelo governo. Mesmo assim a ordem judicial não foi cumprida com a alegação de que o orçamento não permite. Os Praças da PM de Alagoas recebem o salário base (ou esmola) de R$ 530,00!!

Agora, os policiais civis continuam em greve, o que está causando um clima de irritação entre os PMs que já voltaram ao trabalho (não sei se conseguiram o aumento igual ao dos Oficiais). Isto porque até prisões em flagrante estão sendo negadas pelas Delegacias, por determinação do Sindicato.

Policia Civil AlagoasUNIÃO, FORÇA E HONRA aos colegas da PCAL para que consigam reparar as injustiças praticadas por seu patrão. Sorte à população, esperamos que vocês não sejam vítimas constantes de crimes, esperando o governo resolver tudo sozinho e não apoiando os policiais que lhes protegem. Aos colegas da PMAL, reconsiderem a posição de criticar quem está lutando por si, vocês estão no mesmo barco, não?

Desta forma, conclamamos os aguerridos leitores do Caso de Polícia a auxiliar os colegas da Polícia Civil de Alagoas, simplesmente enviando por e-mail o texto sugerido por eles. Segue o texto e os e-mails.

No dia 1º de outubro, os policiais civis de Alagoas completaram 60 dias de greve. O Governador Teotônio Vilela Filho, do PSDB, não negocia com os trabalhadores. Ao contrario, despreza o movimento, adotando a política de vencer pelo cansaço. Enquanto isso, a violência está incontrolada. Nos últimos dias, dois políticos foram assassinados; um caixa eletrônico foi roubado. Um ônibus com sacoleiras foi assaltado e jovens são assassinados, sem contar o número crescente de homicídios, que colocam a capital alagoana como uma das campeãs no índice de violência.
O salário bruto do Policial Civil é um dos menores do Brasil R$ 1.330,00. No ano passado, após uma grande luta, a classe conquistou a condição de nível superior para ingresso na carreira o que ensejou o movimento atual por uma remuneração digna. A justiça julgou a nossa greve ilegal e ameaça o Sindpol com uma multa diária de R$ 10.000,00. Diante dos fatos, o Sindicato chama os trabalhadores brasileiros a mais ampla campanha de solidariedade aos policiais civis alagoanos.
Apelamos aos companheiros que enviem mensagens via fax e e-mail ao Governador Teotônio Vilela e aos integrantes da bancada federal alagoana para que abra um canal de negociação com os trabalhadores em greve.

MODELO GOVERNO:
Reconhecendo o papel resistente do vosso pai Teotônio Vilela, nos anos da ditadura militar, clamando por liberdade e justiça social, escrevo este e-mail em apelo à V.Exa pela abertura de canal de negociação com os policiais civis de Alagoas, representados pelo Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas (Sindpol), que lutam bravamente pela dignidade salarial, e a greve por melhores salários e condições de trabalho traduz o sentimento de uma classe que enxerga nesse caminho a possibilidade de dia melhor para a população alagoana com paz e segurança.

GOVERNADOR
Teotônio Brandão Vilela Filho – FAX: 82 – 3315-2014

MODELO SENADORES/ DEPUTADOS:
Clamando por liberdade e justiça social, escrevo à V.Exa apelando pela abertura de canal de negociação com os policiais civis de Alagoas, representados pelo Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas (Sindpol), que lutam bravamente pela dignidade salarial, e a greve por melhores salários e condições de trabalho traduz o sentimento de uma classe que enxerga nesse caminho a possibilidade de dia melhor para a população alagoana com paz e segurança.

Senadores
Euclydes Mello: euclydes.mello@senado.gov.br – Fax: (61) 3311-5789
João Tenório: jtenorio@senado.gov.br – Fax: (61) 3311-2961
Renan Calheiros: renan.calheiros@senado.gov.br – Fax: (61) 3311-1695

Deputados Federais
AUGUSTO FARIAS: dep.augustofarias@camara.gov.br
BENEDITO DE LIRA: dep.beneditodelira@camara.gov.br
CARLOS CANUTO: dep.carlosalbertocanuto@camara.gov.br
CRISTIANO MATHEUS: dep.cristianomatheus@camara.gov.br
FRANCISCO TENORIO: dep.franciscotenorio@camara.gov.br
GIVALDO CARIMBÃO: dep.givaldocarimbao@camara.gov.br
JOAQUIM BELTRÃO: dep.joaquimbeltrao@camara.gov.br
MAURÍCIO LESSA: dep.mauricioquintellalessa@camara.gov.br
OLAVO CALHEIROS: dep.olavocalheiros@camara.gov.br

8 ideias sobre “Polícia Civil de Alagoas pede Socorro

  1. Como não tinha e-mail do governador, eu mandei p/ Secom. Segue resposta deles. Nenhum deputado e senador respondeu.
    Não seria interessante vcs. bolarem um texto aqui pro Rio? Acho que deviam fazer, tb, um texto ref. a situação caótica do “ospital”.

    “Cara Srª Claudia,
    o canal de negociação sempre esteve aberto entre governo e categoria.
    Infelizmente, não há uma sensibilidade pela dura condição econômica na qual o Estado está passando.
    A categoria deve entender que outras categorias também necessitam de apoio governamental, e os recursos financeiros devem ser compartilhados para outros servidores.
    O radicalismo dos grevistas em tumultuar o desfile de sete de setembro, e arremeçar bombas e pedras no Palácio do Governo, levando medo e terror aos
    funcionários aos demais servidores, serviu para dificultar as negociações.
    Reiteramos que é necessário tranquilidade e desarme de ânimos nas conversações.
    E desde já o Governo está pronto para sentar à mesa e discutir uma saída plausível para a crise instalada em Alagoas.
    Prezada Sr. Claúdia, em 8 anos de Governo Ronado Lessa, a categoria promoveu diversas greves tumultuando todos os anos a segurança pública alagoana, por que neste momento os olhares são tão vorazes e violentos contra a atual gestão? É preciso paciência.
    Estamos tentando resolver toda uma situação de calamidade financeira, porém é necessário a ajuda de todos.”

  2. INFELISMENTE, A SEGURANÇA PÚBLICA VEM SENDO TRATADA DE FORMA POLÍTICA, SÓ TEMOS O QUE LAMENTAR POIS QUEM SABE DE SEGURANÇA PÚBLICA É QUEM TRABALHA EM SEGURANÇA PÚBLICA, CHEGA DE fiLÓSOFOS, sociÓLOGOS, SAEM DO NOSSO PÉ, POIS DEPOIS QUE DER TUDO ERRADO VOCÊS VÃO MARCAR OUTRA REUNIÃO… Quem quer fazer… pega e faz… Quem quem errolar… Marca Reunião… é isto aí…

  3. Meu Deus, parece que eu já vi isto em algum lugar…
    “Eu sou do PSDB não vou negociar!!!” “Seis tá bão” tem que sacudir, isto tudo parece brincadeira mais é humilhante, não é pretenção minha mas solicito aos amigos que tem pretenção “séria” em ajudar a combater estas ofensas e ridicularização de nossa classe que seja criada uma COMISSÃO NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA, onde cada Estado deverá indicar seu representante por voto direto (PF,PM,PC) ou inverso, ou mistura tudo, um de cada, a fim de POLICIAR NOSSOS INTERESSES.

  4. Com todo respeito eu venho aos senhores expor meu ponto de vista.
    1- Ninguém os obrigou a entrar na POLICIA.
    2- Os senhores sabiam quanto iam ganhar para executar a função.
    3- O edital é claro.
    Agora se não ta satisfeito pede para sair igual pediu para entrar.
    Por que vocês acham que o governador vai perder tempo e dinheiro
    com a policia se ele pode viajar, ajudar empresários, viver as custa do povo
    tem profissional que trabalha ciente das dificuldades mas ta lá todo dia e
    não fica chorando, passa dificuldade teme pela família mas trabalha.

  5. Isso só resolve,colocando todos no olho da Rua,um monte de policial burro!! tanta gente querendo trabalhar,imagine se todos que ganhasem pouco, fizessem greve !! acho que estes pociais,já ganham bem de mais, para ñ fazer porra nenhuma “RUA NELES GOVERNADOR” é se fizerem baderna “CACETE”.bando de folgados.

  6. No dia 1º de outubro, os policiais civis de Alagoas completaram 60 dias de greve. O Governador Teotônio Vilela Filho, do PSDB, não negocia com os trabalhadores. Ao contrario, despreza o movimento, adotando a política de vencer pelo cansaço. Enquanto isso, a violência está incontrolada. Nos últimos dias, dois políticos foram assassinados; um caixa eletrônico foi roubado. Um ônibus com sacoleiras foi assaltado e jovens são assassinados, sem contar o número crescente de homicídios, que colocam a capital alagoana como uma das campeãs no índice de violência.
    O salário bruto do Policial Civil é um dos menores do Brasil R$ 1.330,00. No ano passado, após uma grande luta, a classe conquistou a condição de nível superior para ingresso na carreira o que ensejou o movimento atual por uma remuneração digna. A justiça julgou a nossa greve ilegal e ameaça o Sindpol com uma multa diária de R$ 10.000,00. Diante dos fatos, o Sindicato chama os trabalhadores brasileiros a mais ampla campanha de solidariedade aos policiais civis alagoanos.
    Apelamos aos companheiros que enviem mensagens via fax e e-mail ao Governador Teotônio Vilela e aos integrantes da bancada federal alagoana para que abra um canal de negociação com os trabalhadores em greve.
    MODELO GOVERNO:
    Reconhecendo o papel resistente do vosso pai Teotônio Vilela, nos anos da ditadura militar, clamando por liberdade e justiça social, escrevo este e-mail em apelo à V.Exa pela abertura de canal de negociação com os policiais civis de Alagoas, representados pelo Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas (Sindpol), que lutam bravamente pela dignidade salarial, e a greve por melhores salários e condições de trabalho traduz o sentimento de uma classe que enxerga nesse caminho a possibilidade de dia melhor para a população alagoana com paz e segurança.
    GOVERNADOR
    Teotônio Brandão Vilela Filho – FAX: 82 – 3315-2014
    MODELO SENADORES/ DEPUTADOS:
    Clamando por liberdade e justiça social, escrevo à V.Exa apelando pela abertura de canal de negociação com os policiais civis de Alagoas, representados pelo Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas (Sindpol), que lutam bravamente pela dignidade salarial, e a greve por melhores salários e condições de trabalho traduz o sentimento de uma classe que enxerga nesse caminho a possibilidade de dia melhor para a população alagoana com paz e segurança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *