Início » Notícias em Análise

Adidos da PCERJ, o que fazem ?

Publicado em 30/09/2007 - Categoria: Notícias em Análise

Um debate que já vem de longa data entre os policiais civis é a existência de funcionários adidos à órgãos da PCERJ. São pessoas de diversas instituições, federais, estaduais e municipais, de cargos totalmente sem identificação com o serviço policial.

Funcionários administrativos municipais, bombeiros militares, PMs, agentes do DESIPE, guardas municipais, e até auxiliares de enfermagem!

Recentemente lavrei um Auto de Prisão em Flagrante de uma certa Delegacia Especializada em que o apresentante era um guarda municipal e a testemunha um policial militar. Eu perguntei três vezes ao apresentante o cargo dele.

Corpo de BombeirosAgora vem a imprensa e afirma que o motivo de nos últimos anos uma considerável quantidade de bombeiros estar envolvida em situações criminosas é culpa do convívio com policiais civis. Lamentável conclusão do jornalista dotado de poucas luzes intelectuais.

Quando o atual Chefe de Polícia assumiu o cargo, disse que iria devolver para seus respectivos órgãos todos os servidores que não pertencem aos quadros da Polícia Civil. E ele bem tentou. Em uma só publicação do BI (nosso boletim interno) contei a remoção mais de 40 PMs com patentes de Soldado à Major. Foram devolvidos agentes do DESIPE, inúmeros bombeiros, etc. Só que a maioria já conseguiu voltar. E os que não voltaram “trabalham” oficiosamente com a mesma equipe que compunham antes oficialmente.

A primeira falácia da reportagem é que a Polícia Civil convocou estes servidores para trabalharem em funções administrativas. Mentira, todos que aqui estão deve-se à influências políticas. Quem arruma um “contexto” pode fazer o concurso para soldado do Corpo de Bombeiros, ou da PM, e nunca trabalhar nestas instituições. Tão logo consegue o registro funcional é colocado para trabalhar em uma unidade da polícia judiciária estadual.

Outra mentira é que estes servidores “acabam sendo lotados em delegacias, inclusive especializadas, e vão para as ruas investigar crimes sem ter recebido qualquer treinamento para exercer a função”. Eles não acabam sendo lotados, são diretamente lotados nas delegacias, na maioria em Especializadas, de acordo com o interesse do político que lá os colocou. É verdade porém que eles nunca receberam qualquer treinamento para exercer a função investigativa, mas duvido que eles estejam aqui para investigar.

Muitas vezes o cidadão vê uma viatura da PCERJ e pensa que são policiais civis, afinal estão na viatura da corporação e com uma camisa preta escrita “Polícia Civil” nas costas. Muitas vezes nem policiais são. Quando eu trabalhei na Região dos Lagos, em uma determinada Delegacia quem mandava era um Sargento PM, que lá estava lotado por influência do Prefeito. O Delegado era da espécie “jockey”, daqueles que ocupam a titularidade apenas de fachada.

Aí vem o pensamento, em nenhum momento sequer eu pensei em tentar ser deslocado para outro órgão. Eu fiz o concurso para a função que eu queria desempenhar, não obstante poder ter feito outros concursos com menos ou mais exigência de conhecimentos para ser classificado. Nunca, jamais, quis fazer policiamento ostensivo. Nunca quis combater incêndios ou participar de resgates. Nunca quis administrar carceragens e controlar presos. Nunca quis fazer curativos em pessoas feridas. Eu almejo por exemplo desempenhar a função de presidir um Inquérito Policial, mas pra isso vou ter que passar em concurso para Delegado. Eu almejo processar criminosos, mas pra isso vou ter que passar no concurso da Promotoria de Justiça. Eu escolhi fazer investigação, porque julgo ser o que há de mais importante e excitante. Quem escolheu outra área deve pensar a mesma coisa de suas funções, e é assim que a sociedade se estrutura, assim temos profissionais para tudo.

Aliás eu não entendo algumas coisas no Corpo de Bombeiros. Não entendo porque tem que ser uma instituição militar. E não entendo porque bombeiro tem porte de arma. Acredito que o primeiro deva ser para manter os praças sob controle de forma autoritária e em desrespeito aos direitos individuais através do Regime Disciplinar. O segundo deve ser para permitir que o servidor faça bico na segurança privada para complementar o salário, já que o Governo paga uma remuneração indigna aos bravos combatentes. Nas duas suposições lucram o Governo e as grandes empresas, como a globo. Contratar segurança particular pode ficar muito caro se o salário dos policiais e militares estaduais for razoável.

Adidos: não os queremos na PCERJ. Queremos sim trabalhar no dia a dia em conjunto e cooperação, mas não precisamos de vocês fazendo o que fazem atualmente dentro da Polícia. Nem a sociedade merece isso.

Tenho bons amigos que labutam nas mais diversas funções, no Executivo, no Legislativo e no Judiciário. Tenho amigos na PM, no Bombeiros, na ALERJ, nos Tribunais. Mas cada um desempenha a função que escolheu desempenhar. Assim como procuro desempenhar a que eu escolhi, ainda que ultimamente com má vontade e desestímulo. Não é nada pessoal, é puramente um fato, cada um deve fazer o serviço que se propôs a fazer quando prestou concurso.

De qualquer forma, gostei do tema da matéria jornalística, e penso termos, nós policiais e o jornalista, o mesmo desejo: ver na Polícia Civil apenas policiais civis, na PM apenas policiais militares, no CBM apenas bombeiros militares. Ainda que tenha que engolir que seria uma medida para proteger aqueles inocentes bombeiros que foram desvirtuados pelos policiais corruptos, essa péssima influência…

E que conste que este artigo critica apenas a afirmativa de que os bombeiros envolvidos em crimes o foram por influência dos “puliças”. Não contesto que existam criminosos nos quadros da Polícia Civil, aliás nós mesmos afirmamos veementemente que existe sim, e não são poucos.

Quanto aos funcionários cedidos, pelos bate-papos que tenho com colegas da PMERJ, CBMERJ e outros, a opinião é a mesma. Todos deveriam ser obrigados a voltar para suas funções, e a politicagem tem que ser banida. E você, bombeiro, agente penitenciário, policial militar… o que você pensa dos colegas que não dividem o trabalho com vocês, sobrecarregando quem fica na corporação que optou por integrar? Opinem, eu sei que este texto vai desagradar muita gente.

32 comentários »

  • MARCELO comentou:

    EU ENTREI PRA POLICIA CIVIL EM 2002, E CADA VEZ TENHO MAIS NOJO, QUANDO VEJO ESSAS COISAS…MAIS O CULPADO SOMOS NOS POLICIAIS CIVIS QUE ACEITAM ESSES ESTRANHOS NOS QUADROS DA PCERJ..EU QUERO VER, UM ESTRANHO, SEJA BOMBEIRO, DESIPE, PMERJ, NA DELEGACIA FAZENDO REGISTRO DE OCORRENCIA, AI SIM EU PARO DE CRITICAR.ISSO NUNCA VAI ACONTECER, SABE PQ? PQ ELES VAO PRA ESPECIALIZADAS, PARA ROUBAR,EXTORQUIR, ARRUMAR UMA PRATA..SERA QUE EU TO FALANDO ALGUMA MENTIRA? ACHO QUE NAO NE…FINALIZANDO, E POR ISSO QUE A POLICIA FEDERAL, CADA ANO, NOS DEIXA PRA TRAS…LA, NAO HA SACANAGEM NOS CONCURSOS, NAO TEM ESSA DE EXCEDENTE, EXCEDENTE E O CARALHO, NAO PASSOU TENTA DE NOVO, AQUI NA CIVIL ENTRA TODO MUNDA PELA JANELA, CADA CONCURSO E UMA COMISSAO POLITICA DE EXCEDENTE PRA ENTAR PELA JANELA…NAO VEJO OUTROS POLICIAIS CEDIDOS A POLICIA FEDERAL…CHEGA, NEM VOU FALAR MAIS, PQ TENHO ODIO DESSAS COISAS..EU, SE UM DIA FOR LOTADO EM UMA DELEGACIA E SAIR NA VIATURA COM UM GUARDA MUNICIPAL,PM, BOMBEIRO, EU ME RECUSO TENHO O MEU VALOR……….PCERJ, INSTITUICAO DE MERDA, INFELIZMENTE TENHO Q DIZER ISSO….UMA CAMBADA DE DELEGADOS CUZAO, QUE ACEITAM ESTRANHOS PRA TRABALHAR…..

  • Marcos comentou:

    “NAO HA SACANAGEM NOS CONCURSOS, NAO TEM ESSA DE EXCEDENTE, EXCEDENTE E O CARALHO, NAO PASSOU TENTA DE NOVO”

    PTz… q q Excedente tem a ver com o post do blog??? a PRF aproveitou seus excedentes, o Depen aproveitou seus excedentes, se o Brasil fosse um país sério não haveria excedentes, sabe pq??? Pq o concurso teria o número de vagas necessário para a Adm. Pública trabalhar.

    No cargo de Investigador de 3o classe, deveriam ter cerca de 1900 trabalhando, hj em dia esse número não chega a 80! isso mesmo… 80! E ai o que faz a Adm. Pública??? Concurso com 250 vagas! Hahaha Fala Sério!

    Os Adidos são outra conversa, se eles existem é pq também existe muito policial civil SAFADO que compactua com eles, vai ser uma situação muito difícil de ser combatida, mas que requer atenção especial, principalmente dos bons policiais.

  • Benito comentou:

    Adidos são apenas um sintoma do mau(parei para pensar se colocava com “L” ou com “U”, preferi o ultimo) maior, que é a influência política nos órgãos de segurança.
    O pior de tudo, é que ao contrário de outras repartições, nas polícias os “indicados” atuam na área fim, fazendo o trabalho policial.
    Normalmente “conchavos” políticos, são cargos criados para tanto, não influem diretamente na área técnica, a parte “operacional” é preservada.
    Vai ver se na Petrobras, o cara que prestou para bibliotecario do Incra, vira engeneheiro de plataforma por “sugestão” de deputado. Lógico que não.
    Mas na polícia é só dar uma arma e um colete que o cara é autoridade, e pronto, qualquer um pode fazer, para que “especialização”.
    O adido em si é um problema menor, o difícil é o que ele representa, o descaso e a ignorância dos políticos(logo, da sociedade) com as políticas de segurança pública, policia é terra de ninguem, onde se pode tudo.
    Mas mudando de assunto, Eduardo, me diz uma coisa, se um condutor de um flagrante não é policial e se apresentou com tal, o flagrante não é nulo? Portaria de lotação da poderes de polícia para alguem? Casos de policia..hehehe

  • Oliveira comentou:

    Esse negócio de gente que não deveria estar na PC,mas de algum jeito está,não ocorre somente no RJ.Aqui no Paraná,nas cidades do interior do estado,onde só tem uma delegacia pequena,geralmente não há mais ninguém concursado lá além do delegado,e este,acaba chamando quem ele quiser para trabalhar lá(conseguindo inclusive,carteiras funcionais com o nome dos “convidados”).
    Isso acontecia a alguns anos atrás,e certamente continua acontecendo atualmente(porque o controle sobre as delegacias do interior,por parte da secretaria de segurança,é fraco,dando espaço para que isso continue ocorrendo.)

  • SdPM Granja comentou:

    QUANDO ENTREI NA PMERJ MEU OBJETIVO ERA FAZER POLICIAMENTO OSTENSIVO SOB TODOS OS SEUS ASPECTOS OPERACIONAIS.

    ME COLOCO NA POSIÇÃO DOS PROFISSIONAIS SÉRIOS QUE OCUPAM OUTRAS INSTITUIÇÕES E IGUALMENTE, NÃO CONCORDARIA SE O MESMO SUCEDESSE PRÓXIMO À MINHA PESSOA.

    DE FATO A FALTA DE ESPECIALIZAÇÃO, PROFISSIONALISMO E O USO POLÍTICO DE TODA A MÁQUINA PÚBLICA (NÃO SÓ AS POLÍCIAS) ESTÁ DESTRUINDO A BOA EXECUÇÃO DOS SERVIÇOS PÚBLICOS.

    FORTE ABRAÇO.

  • EXCEDENTE comentou:

    Marcelo,

    Se há pessoas estranhas à corporação PCERJ, realizando o seu trabalho, sem competência e atribuição para tal, é crime previsto em Lei e, você mais do que niguém deveria saber disso.

    Porque você não dá voz de prisão para essas pessoas?

    Usurpação de função pública
    Art. 328 – Usurpar o exercício de função pública:
    Pena – detenção, de três meses a dois anos, e multa.
    Parágrafo único – Se do fato o agente aufere vantagem:
    Pena – reclusão, de dois a cinco anos, e multa.

    Falar mal dos excedentes que estudaram e foram aprovados, mas que por falta de vergonha do Estado, disponibilizaram um número ridículod e vagas É MOLE!

    Quero ver ser homem o suficiente para poder exercer sua função e dar voz de prisão para os PMs, BMs, Ag.Pen., GMs, etc.

    A culpa deles estarem ai é sua e dos seus colegas de profissão que por omissão, permitem que essas pessoas façam o que quiserem na instituição que você trabalha.

  • dupcerj comentou:

    Marcelo: é fato inconstestável que a PCERJ está em vias de auto-destruição…

    Marcos: é por aí, tem muito policial civil que briga para manter determinado adido em sua equipe, muitas vezes eles fazem coisas que o próprio policial civil safado não se propõe a fazer, por mais contraditório que possa parecer.

    Benito: bom ponto para debates, eu não sei também e vou procurar me informar. Mas a princípio, desde que o cara esteja aqui amparado pela permissão legal e ato oficial, e considerando que qualquer do povo pode prender em flagrante, deve ser válido o APF. Mas podemos estudar melhor o assunto mesmo!

    Oliveira: pois é, tem muitos Estados em que o efetivo da PC é tão ínfimo que no interior chega-se ao cúmulo de policiais militares lavrarem e presidirem APFs. Mas no Rio por exemplo a falta de efetivo não é justificável, ainda mais em se considerando que a PCERJ foi a primeira Polícia Judiciária do Brasil, a Polícia que deu origem à própria Polícia Federal. Talvez com a Lei Orgânica isso mude um pouco, quem sabe…

    Granja: pois é, os caras saem da PM para cometer crimes ou para arrumar uma “boquinha”, e quem fica fazendo o serviço se ferra trabalhando dobrado.

    Excedente: não é tão simples amigo, por mais que o cara esteja trabalhando em uma função para a qual não tem legitimidade, para a qual não fez concurso, ele está lá oficialmente, aproveitando-se de uma brecha da Lei e da falta de moral dos dirigentes dos dois órgãos: da PCERJ e do órgão a que ele pertence. O que podemos fazer é negarmos a diligenciar com os adidos até que eles passem efetivamente em concurso para a PCERJ, mas muitas vezes nem sabemos quando o cara não é policial civil. Complicado, e como disse, um assunto que podemos debater com mais dados e argumentos.

  • Raphael Ferrari comentou:

    Lugar de militar estadual é no quartel e lugar de sevidor civil é na respectiva repartição. Fim de papo.

    Raphael Ferrari
    Policial Estadual do Estado do RJ
    Delegacia Policial Anti-Sequestro

  • dupcerj comentou:

    Ferrari: acho que isso todos concordam. Todos que trabalham né, seja na PCERJ, PMERJ, CBMERJ, DESPIE, etc… se nós não gostamos que os adidos fiquem aqui, outros não gostam de trabalhar dobrado pela saída deles. Só o Governo (e a Chefia) não vê isso, por que será…

  • Marcus comentou:

    Será que há policias civis trabalhando na PMERJ, CBMERJ e DESIPE? Acho que não.
    Por que será que na PCERJ há? Nunca entendi esta lógica. Se assim é por que querem acabar com a Polícia Judiciária. Todos querem fazer o trabalho de investigar, inclusive o MP. Mais uma vez, porque acabar com a Polícia Judiciária?

  • Benito comentou:

    Sobres os adidos, duas decisões interessantes do STF, nenhuma especifica sobre o caso mas que servem como paradigmas:

    “Os ocupantes de cargos outros na Policia Civil não podem ser “transferidos” para o cargo de Delegado de Policia, sem que essa nova investidura seja necessariamente precedida de aprovação em
    concurso público de provas ou de provas e titulos.
    A jurisprudência do Supremo Tribunal Federal não tem transigido com a necessidade de observancia, pelo Poder Público, do postulado constitucional do concurso público, eis que a investidura em cargo ou em emprego público – ressalvadas as nomeações para cargos em comissão – não prescinde da previa aprovação do candidato naquele certame. Precedentes.” (ADI-MC -1254 RJ ) e
    “A investidura em cargo ou emprego público depende de aprovação prévia em concurso público de provas ou de provas e títulos, de acordo com a natureza e complexidade do cargo ou emprego, na forma
    prevista em lei, ressalvadas as nomeações para cargo em comissão declarado em lei de livre nomeação e exoneração”(Art. 37, II,EC19/98)
    2. “Estão, pois, banidas das formas de investidura admitidas pela Constituição a ascensão e a transferência, que são formas de ingresso em carreira diversa daquela para a qual o servidor público ingressou
    por concurso, e que não são, por isso mesmo, ínsitas ao sistema de provimento em carreira, ao contrário do que sucede com a promoção, sem a qual obviamente não haverá carreira, mas, sim, uma sucessão
    ascendente de cargos isolados.”(ADIN 231-7)

    Recentemente, ainda o STF julgou inconstitucional o 1557/2003 do governo do Parana que criava os Sargentos Gestores que exerciam a função de delegado.

    Técnicamente, portanto, após a CF/88, o cerco contra os “adidos da vida” foi se fechando e qualquer embasamento legal para sua existência é inconstitucional, exceto nos casos em que não exercem nenhum ato decorrente de atividade de polícia judiciária, somente funções “meio” como as administrativas.

    Quanto ao flagrante, acho que vc tem razão, ainda que o condutor não seja policial, desde que a lavratura seja feita por autoridade competente entendo que o flagrante é valido.

    O problema é no caso de um flagrante gerado por um ato de um “adido” que não é concursado, como uma busca e apreensão pessoal ou em veículo que logra exito em encontrar substância entorpecente.

    Ai pela teoria dos frutos da arvore envenenada, o flagrante, bem como o processo teriam enormes chances de serem anulados.

    Mas fico imaginando como fazer em determinados lugares…se no parana que é um estado relativamente organizado, sargentos faziam a função de delegado…e o que é pior, dizem que tal medida melhorou o atendimento nas delegacias pq os antigos “delegados calça-curtas eram nomeações políticas dos prefeitos”..
    Imagina o que não temos por este Brasil afora..

    Sds..

  • dupcerj comentou:

    Benito: pois essas jurisprudências servem mais aos policiais civis da classe comissário, que insistem na idéia ridícula de conseguirem transformar uma classe em cargo, com atribuições diferentes. Tem muita gente que não acordou que depois de 1988 as coisas são diferentes…

    Quanto ao tópico, SE o governo PMDB tivesse palavra, se não mentisse tanto, se hornasse os compromissos que faz publicamente, os pobres bombeiros não seriam mais corrompidos, e não restariam os tais funcionários cedidos à PCERJ… leia aqui essa reportagem do início do ano

  • Benito comentou:

    Em matéria de segurança pública, parece que a maioria foi dormir lá nos anos 70 e continua em deitado eternamente em berço esplendido..hehehe
    A jurisprudência do STF é cristalina, para exercer determinado cargo, têm que prestar concurso para aquele cargo o resto é arranjo ilegal.
    Agora com certeza acabar com os “adidos” é muito mais uma questão de vontade política do que propriamente dito uma questão judicial, o judiciário seria apenas uma via que poderia ser utilizada pelos sindicatos e associações por exemplo.
    Quanto a promessas de políticos….só com muita cobrança mesmo, porque na base da boa vontade…..

  • Juliano Raposo comentou:

    Serei breve,
    Sou PM e acho que esse negócio de adido é ruim para todos, ruim para a PCERJ que fica cada vez mais com um efetivo mínimo mascarado pela presença de adidos que dá uma impressão de grande efetivo, mas que por não serem policiais civis podem ser removidos e a PCERJ pode acordar com um efetivo totalmente insuficiente para suas necessidades básicas.
    Outro ponto é que “nós PMs não somos inimigos da PCERJ”, muito pelo contrário, vejo alguns posts de pessoas radicais colocando a culpa na PM por todos os males da PCERJ, a PM é uma instituição irmã da PCERJ, queiram ou não queiram, eu acho que juntos podemos não resolver os males do estado, mas principalmente sobreviver, já que para ser policial neste estado essa às vezes, é a única coisa que importa

  • dupcerj comentou:

    Marcus: a polícia judiciária é perigosa para os interesses dos peixes grandes. Vide atualmente a PF, que já chamam de “monstro sem cabeça”, porque dividiu-se em dois grupos com interesses políticos interno e externo, e cada hora um grupo ataca os interesses do outro. No fim ganha a sociedade, que vê combatido o crime da esquerda, da direita, do centro. E quando “vai pro papel”, e é feito direitinho, já era. É isso que muitos bons policiais civis não entendem. A importância do papel, nossa arma é a caneta, a pistola é pra defesa pessoal apenas.

    Benito: putz, se você conversar com alguns (não todos óbvio) comissários, os olhinhos deles chegam a brilhar quando começam a falar que “o Itagiba” vai transformar a gente em Delegado… teve um que fez carimbo e tudo! Não entendem que depois de 88 é depois de 88 e fim.

    Juliano: excelente. Se você está sempre por aqui já percebeu que toda hora repetimos “não acreditamos em rivalidade, brigas e rixas entre a PC e a PM”. O que existe, certamente, é um ou outro que não tem luz espiritual e fica fortalecendo esse tipo de coisa. Mas nas ruas, no dia a dia, sabemos que nada mudou, nos complementamos.

    O ponto principal você pescou, a PCERJ cada vez mais fica sem efetivo, camuflado pela presença dos adidos. E a instituição de origem dos adidos se ferra porque tem no papel 90 mil homens mas só conta com 50. Ruim para todos, e péssimo para a sociedade, que não tem nada que funcione, não tem profissionais treinados para cumprir suas funções com zelo e perfeição.
    Para cada policial civil que se esconde na ALERJ, tem um que trabalha dobrado para fazer o serviço. Para cada PM que se esconde no Palácio Guanabara, DETRAN, CEDAE ou outros órgãos, é o trabalho dobrado que o que ficou tem que fazer. E pior ainda é quando ao invés de se esconder tenta trabalhar na atividade fim do órgão. Só sai M.

  • Portela comentou:

    Concordo com o autor.
    A maioria dos bombeiros que vai para a PCERJ procura um jeito de “se arrumar”, é indicado político e nunca foi bombeiro de verdade. Temos uma turma, apadrinhada por políticos, que sequer chegou a trabalhar numa vtr vermelha, já chegou saindo pra órgão externo dentre eles a PCERJ.
    Lamentavelmente estamos trabalhando triplicado devido a estas “baixas”, porém boa parcela destes não queremos por aqui tbm pois nem aqui trabalham direito.
    Já tive vontade de trabalhar na PMERJ e na PCERJ, mas avaliando minhas prioridades, prefiro e gosto mesmo é de ser BM e não acredito que seria um bom policial (não no RJ, onde o governo e as “ong” de direitos humanos não deixam trabalhar, aqui o policial não pode desenvolver o seu trabalho sem ser prejudicado. E não estou falando de matar não, estou falando de prender ou investigar mesmo.
    Quanto ao fato de ser militar: é apenas um jeito de se conduzir a administração, funciona mas dá vazão a arbitrariedades, porém com a nova mentalidade dos militares de baixa graduação (alguns até formados em direito) a coisa já não se processa tão brutal.
    Quanto ao porte de arma: ele é inerente ao militar estadual, por lei, e serve para a sua defesa pessoal, o fato de fazerem segurança é apenas um agravante e que se tirassem o referido porte a PCERJ faria muito mais prisões de BM do que já faz, pois eles fariam com arma fria. Ando com a minha arma e não faço segurança de ninguém, só a minha.
    Acredito que os nossos militares da corregedoria deveriam fazer estágio com vcs, apenas estágio para aprimoramento na função de investigação.
    Obrigado.

  • Policial amigo comentou:

    Eu acho até que a influência política dentro das instituições públicas e um cancer,principalmente dentro da área de segurança pública, porém o fato de existirem PMS,BM,AG.do Desip dentro da PCERJ não é culpa exclusiva dos funcionários e sim dos respetivos Cmt ou chefes, póis acho que cada um deveria cumprir suas devidas funções : o Bm o combate ao incêndio, Ag. do Desipe a parte que lhes cabe dentro da área penitenciária, o Pc investigaçao e confecção de ROs e o confronto armado com a Pm que é especializada nesse tipo de serviço claro que existem Pc que tem disposição para esse tipo de serviço. o mau profissional existe em todas as áreas, não devemos atribuir a responsabilidade ou irresponsabilidade da corrupição dentro de algumas instituições aos adidos póis a índole não e institucional e sim pessoal. sou Pm e
    não estou aqui para criticar opiniões mesmo porque eu estou dando a minha e respeito muito os bons profissionais dentro e fora das suas respectivas instituições em especial os bons Policias Civis que já tive e tenho a oportunidade de trabalharmos em conjunto. Para mim é uma honra e motivo de orgulho expungir-mos do convívio da sociedade esses elementos nocivos ao cidadão honesto.

  • André Luiz comentou:

    Sou policial militar, e minha linha de pensamento é: Cada um no seu quadrado, a grande verdade é que está tudo acabado, a Pcerj, a Pmerj, o Cbmerj, enfim o Estado está acabado, e a culpa é de quem? será do Renato Russo que canta em português errado?, ou será do povo que é omisso,vende seu voto e não esquenta a cabeça com porra nenhuma,pois está sobrando a merreca da cerveja do final de semana e prá comprar os ingressos para o maracanã? Não é hora de ficar culpando essa ou aquela classe,cada um tem o seu valor e sua necessidade, temos é que dar um basta nessa situação e exigirmos a devida valorização.E é só.

  • amaro comentou:

    Gostaria de contratar um policial detetive (RJ) para investigar um traficante de drogas e prende-lo. Ele mora no meu predio, e ha anos, aterroriza a mae e a irma, pois vive de vender papelotes de cocaina e bloco de maconha. faz do apartamento um ponto de trafico, e um playboy, e quando esta doidao, bate na mae e na irma porque qer dinheiro e e covarde ja que na familia nao tem um homem. nao trabalha, a irma e dentista, ganha bem e a mae aposentada e continua trabalhando como funcionaria publica. Acho que deve ser facil pega-lo em flagrante e prende-lo. Pois so faz isso da vifa, vender e consumir drogas, levando outros jovens ao mesmo caminho. Quanto custaria esse servico. Quem tiver interesse entre em contato: amarorafaele@hotmail.com

  • Braga comentou:

    Sou DESIPE…

  • Braga comentou:

    Sou DESIPE e concordo com tudo que está sendo dito, agora acho que se alguém podesse ajudar a PCERJ sem sobrecargas maiores quanto aos colegas, nós Agentes Penitenciários, poderiamos ajudar bastante nas carcerágens liberando assim os Inpetores para o trabalho de investigação e as demais atividades policiais; isto é tão verdade que na época que eramos Guardas de Prisão e o efetivo da Civil ínfimo o então governador colocou quase que todo o percentual de Guardas para auxiliar nas Delegacias, tem colega que até hoje tem funcional da PCERJ, Todavia sempre fomos servidores civis do Estado regido pelo mesmo estatuto. Já os colegas militares que, haja vita dizer, não tenho nada contra fica mais difícil, não só por serem militares, mais tambem, por se tratar de funcões nada equivalentes, pois quem perde com isso no final da história são os cidadãos de bem do Rio de Janeiro, com uma ineficiência implantada nos serviços de segurança e humanitário do nosso Estado.

  • mariana comentou:

    EU conheço dois sangue sugas que em horario de folga passam o dia rodando em viaturas da policia civil,só estorquindo, roubando e muitas outras coisas que não condiz com aconduta da policia civil
    são eles o cabo da policia militar CARLOS ALEXANDRE ALVES RG:62.226
    e o cabo do bombeiro CARLOS ALBERTO BOTELHO FONSECA RG:24.460.

    QUANDO CHEGO PARA TRABALHAR E ME DEPARO COM ESSES DOIS PILANTRAS
    TENHO NOJO E VONTADE DE VOLTARPARA CASA.

    TENHO ESPERANÇA QUE UM DIA ISSO VAI ACABAR.

  • PM do Paraná. comentou:

    Sou policial militar do Paraná e condordo com a revolta dos policiais civis do PCERJ, com os “adidos” infiltrados em sua corporação. Aqui no Paraná atualmente não tenho conhecimento de que ocorra algo semelhante, mas no passado ocorria com prequencia, não com policiais militares ou bombeiros, mas exitiam na polícia civil do paraná, indivíduos apelidados de “bate-paus”, que usavam arma e “trabalhavam” em companhia dos policiais civis de carreira. Funcionários em desvio de função é um costume antigo em todo o Brasil. vocês policiais civis do Rio de Janeiro que não concordam com essa situação devem cobrar de suas associações de classes (sindicatos) que pressionem o governo para reverter este quadro.

  • marcelo s. comentou:

    ANTES DE CRITICAR QUALQUER PESSOA EU QUERIA DIZER QUE SO HÁ DIGNIDADE QUANDO VALORIZAMOS E SOMOS VALORIZADOS. NÃO SEI QUAIS DEVEM SER OS MOTIVOS QUE LEVAM UM OU OUTRO A FICAR ADIDO OU NO QUARTEL TOMANDO BALA NA CARA O DIA TODO OU PEGAR 3 OU 4 INCENDIOS POR DIA POR UM SALARIO DE MERDA QUE MAL DÁ PRA CRIAR OS FILHOS MESMO SENDO HONESTO E MESMO ASSIM ACHAR QUE SE VOCE ENTROU NESSA JÁ SABIA COMO ERA DESDE O INICIO. TEM JENTE QUE QUANDO TEM UM SONHO OU UMA VONTADE MUITO GRANDE DE SER UMA COISA E NÃO CONNHECE MUITO BEM A PROFISSÃO FAZ A PROVA PASSA E DEPOIS VERIFICA QUE NÃO ERA BEM O QUE ELE PENSAVA . MEUS COLEGAS PENSAM ATÉ HOJE QUE EU FICO SENTADO TOMANDO SUCO DE LARANJA E COMENDO MISTO QUENTE ENQUANTO NÃO VEM UM EVENTO PARA REALIZAR, NÃO VÊEM QUE UMA UNIDADE MILITAR SEJA ELA DO CORPO DE BOMBEIROS OU DA POLICIA MILITAR TEM FUNÇOES QUE NAÕ TEM EMPREGADA DOMESTICA PARA FAZER(ELA ESTÁ DE FOLGA).OQUE QUERO QUE PERCEBAM É QUE O ERRO ESTÁ EM NÓS. NÓS ESTAMOS TÃO CALEJADOS POR ELES (MÁQUINA ADMINISTRATIVA) QUE NÃO RECONHECEMOS OS NOSSOS VERDADEIROS DIREITOS . DIREITOS A DIGNIDADE,AO RESPEITO COMO PROFISSIONAIS QUE NÃO TEMOS E QUE ALGUNS ESTÃO BUSCANDO FORA POIS DENTRO DE SUAS PRÓPRIAS CORPORAÇÕES NUNCA TIVERAM.MUITOS ESPERARAM DEZ ANOS PARA VIR UM NOVO CONCURSO PARA QUE VINDO NOVOS COMPANHEIROS A CARGA DE TRABALHO DIMINUISSE MAIS OS QUE VIERAM FORAM DEZ. VEJA BEM DEZ EM DEZ ANOS!!!!!!. ENTÃO QUEM ESTÁ ERRADO O MILITAR OU O SISTEMA? DESSES DEZ A SUA MAIORIA NÃO FICOU ADIDO NÃO! FOI PARA O GABINETE DE UM CORONEL NO PROPRIO QUARTEL E O RESTO QUE QUANDO ENTROU NÃO IMAGINAVA QUE SERIA ASSIM COM MUITA INTELIGENCIA PERCEBEU QUE UMA ANDORINHA SÓ NÃO FAZ VERÃO E SERIA MELHOR DAR O FORA JÁ QUE AINDA ERA NOVO E PODIA TENTAR COISAS MELHORES.POR QUE FICAR PRATICAMENTE SEM AUMENTO DURANTE QUATRO ANOS MANDANDO EM SI MESMO JA QUE NÃO CHEGAM NOVOS RECRUTAS TER QUE FAZER BICO NA FOLGA LOUCO PARA CHEGAR EM CASA E TIRAR AQUELA SONECA E DEPENDER DE POLITICOS PARA VOTAR LEIS QUE NOS FAVOREÇAM´CHEGO A CONCLUSÃO QWIE JÁ QUE ELES NÃO NOS RESPEITAM VAMOS DEIXAR DE SER CALEIJADOS IODITAS COM VISÃO SDE BURRO XUCRO E POBRES DE ESPIRITO E PROCURAR O MELHOR PARA NÓS POIS O QUE ESTÃO NOS DANDO CERTAMENTE NÃO É A MELHOR COISA DO MUNDO MAIS MUITOS VEEM COMO SE FOSSE.

  • j carlos comentou:

    COMPANHEIROS EM GERAL, VAMOS PARAR COM BALELA E LUTAR POR MELHORES SALARIOS, SOMOS TODOS FUNCIONARIOS PUBLICOS INDEPENDENTE DE INSTITUIÇÃO A PCERJ NÃO E UMA SUPER-PULIÇA, TEM POUCO EFETIVO, E DESMOTIVADA,NELA EXISTE A CORRUPÇÃO COMO EM OUTRAS POLICIAS OU FORÇAS DE SEGURANÇA ESSES COMENTARIOS FAZEM AS AUTORIDADES GOZAREM DE NOS POBRES POLICIAIS QUE DISCUTEM UM FALSO PODER RIDICULO E COMEM MISERIA…..ARREGO!!!!!! VOMOS CRESCER, ALIAS CRESÇAM !!!!

  • Marcelo comentou:

    J Carlos,
    Gostei do seu comentário, já no que se refere ser PCERJ, só que os nossos colegas não veem a questão de todos serem funcionários públicos e com vontade de trabalhar e por isso que a federal fica de sacanagem com nossas caras, pelas vaidades de certos funcionários, que se cagam quando veem uma bandido ao invés de unirem a e partirem para dentro. Sou Inspetor e assumo minha posição e presto auxílio, eu somo.
    Marcelo

  • leandro comentou:

    porque tantas criticas? parece uma rincha pessoal. sou um fucionario publico adido em uma delegacia policial do rio de janeiro, faço o meu trabalho respeitando o espaço de cada um. ajudo a todos sempre que sou solicitado. afinal estamos ali para somar forças e não para diminuir a posição do policial. muitos adidos como eu, carrega a PCERJ no coração, defende a policia com unhas e dentes, numa certa delegacia do rio um Guarda Municipal adido a mas de 10 anos, enfartou ao defender um policial que foi desacatado e agredido por um oficial das forças armadas que dizia ter prioridade no atendimendo. companheiros! não importa da onde venhão, vamos unir forças, descutir ideias. vejo vocês como um grade professor, por que aprendo com vocês o tempo todo. me orgulho muito dos que eu trabalho porque não vêm as coisas dessa forma. afinal se não fossem os adidos para fazer o serviço administrativo muitas delegacias estarião de portas fechadas. muitos aqui sabem que eu não to falando besteira. um forte abraço a todos!!!

  • mariana comentou:

    acho que esses comedias que estao defendendo eses sangue sugas adidos sao funcionarios recalcados.na minha opiniao pm e pm pc e pc e bombeiro e bombeiro, acho que fui claro
    esses bombeiros querem ser policiais que procure um concurso publico
    lugar de bombeiro e apagando incendio
    se nao tiver satisfeito pede baixa
    ficam impregnando as delegacias
    na minha delegacia esses sangue sugas naaooooo tem vaga.

    mais uma vez acho que ui claro

  • j carlos comentou:

    MARIANA NOS SEUS COMENTARIOS ANTERIORES TIVE A IMPRESSÃO QUE VOÇÊ FOSSE UMA NOVATA INESPERIENTE E REPRIMIDA, MAS AGORA COM ESSE SEU INFELIZ COMENTARIO (ULTIMO COMENTÁRIO) TENHO CERTEZA… SUA DELEGACIA ? REALMENTE NÃO ENTENDI. PORQUE VOÇÊ NÃO PENSA ANTES DE TECLAR, ACREDITO QUE ESTE SEJA UM ESPAÇO SERIO TEMOS MUITOS PROBLEMAS PARA DISCUTIR NÃO TEMOS TEMPO PARA MIMOS…ACORDA!!!!!!

  • mauricio comentou:

    os policiais militares,estao adidos a civil,porque sao os melhores.toda hora pedem ajuda dos pms.em favela,nunca vi a pm solicitar auxilio a civil.acorda ,policia aqui no rio e a pm,quem enfrenta bandido e a pm,civil tem que ficar sentadinho na dp.a civil tem algum filme conhecido mundialmente?a pm tem.BOPE.DESCULPA,SE TIVER EM APUROS ,ME CHAMA.

  • Freire comentou:

    Tanta discussão sem resolver nada,ainda bem que sou policial federal cada um faça o que realmente é de sua competência seja ela regulada ou criada por lei,as delegacias especializadas do Estado do Rio de Janeiro eu comparo com a Legião Estrangeira Francesa tá cheia de mercenários,Mas uma coisa Senhores não pode esquecer umas das Fontes do Direito é o costume quem estudou direito sabe o que eu to dizendo é o costume Politico e omisso dos órgãos do Estado que deixa a atividade legiferante e a politicagem manipular a segurança publica não só do Rio como em outros estados membros da Federação isso é lamentável então eu culpo o governo não o profissional seja ele estatutário ou militar. sem mais palavras

  • dududo762 comentou:

    vai tomar no cu do batalhão

Deixe seu comentário!

Escreva seu comentário abaixo, ou faça um trackback do seu site.

Aviso: Você pode comentar esse artigo e expor suas idéias. Mensagens com palavrão, ofensas, injúria ou difamatórias serã o sumariamente excluídas. Exerça seu direito de expressão respeitando o direito de terceiros.

Gravatar habilitado. Para ter uma imagem pessoal exibida, registre seu Gravatar.