Início » Vídeos Policiais

Vídeo do Curso de Ações Táticas da PCERJ

Publicado em 28/09/2007 - Categoria: Vídeos Policiais

A imprensa está aproveitando ao máximo o repentino interesse público pelas forças policiais táticas após a veiculação do filme Tropa de Elite, sobre o BOPE da PMERJ.

Agora eles foram até a Polícia Civil, e fizeram uma reportagem falando sobre o CAT (Curso de Ações Táticas) da PCERJ.

CAT - Curso de Ações Táticas - Polícia CivilEsta será a 5ª turma do curso, que exige do candidato um excelente preparo físico, habilidade no manuseio de armas de fogo, aprovação em exame psicotécnico e avaliação médica. Rompidas estas barreiras, o candidato inicia efetivamente o Curso de Ações Táticas, onde terão treinos específicos de tiro, defesa pessoal, primeiros socorros, direção defensiva e ofensiva, operações aéreas e marítimas, rapel, noções de explosivos, dentre outros.

Um de nossos planos para o Caso de Polícia é justamente falar sobre as peculiaridades de cada Divisão, Delegacia ou Setor Especializado, mas o assunto será abordado em época mais conveniente. Agora só nos interessa a negociação com o Governo, e a expectativa de que o governador cumpra efetivamente as promessas que fez para se eleger.

Enquanto isso aproveitem esse breve vídeo do Curso de Ações Táticas da PCERJ; enfim, não nos custa nada divulgar.

36 comentários »

  • Roger comentou:

    Esse tipo de trabalho é apaixonante. Mas convenhamos, o trabalho de polícia investigativa não passa perto disso. Em São Paulo, na polícia civil, temos o GOE, o GARRA e o GER, fazendo o mesmo trabalho (que seria esses lances de ações táticas. É bom pra dar imprensa e tal).

    Mas quando se precisa atuar, o GATE da PM ((que também faz a mesma coisa) sempre chega antes, e sabe fazer certo.

  • Marcus comentou:

    Infelizmente há realmente poucos agentes da PCERJ no CAT. Parece que quando surge um curso de nível para os profissionais se aperfeiçoarem eles não querem participar.

    Soube que na PMERJ o número de candidatos para o CAT deles já superou o de 500 candidatos, talvez por causa do filme Tropa de Elite, mas memso assim há vários voluntários querendo melhorar, aprender algo novo ou apenas se especilizarem.

    Pode-se até argumentar que a parte operacional não seria atribuição típica da PCERJ, mas este mesmo caso se aplica aos curso de investigação (homicídios, fraudes, português … ). Os voluntários geralmente são poucos também. Os únicos cursos que são concorridos são os de tiros e talvez o CPAR ou CETAI. Ao meu ver estes cursos deveriam fazer parte da formação do próprio policial antes dele ingressar aos quadras da PCERJ.

    A mentalidade do policial civil deve mudar.

    No que tange a falta de divisão de tarefas, neste ponto eu concordo. Todos sabem tudo e fazem tudo, ou pelo menos acham que sabem ou fazem. Talvez, por isso, os cursos geralmente ficam vazios. Sem falar naqueles que nem policiais civis são e trabalham na PCERJ, tais como (PMs, DESIPE, Guardas Municiapis, Datilógrafos e outros. Basta ver o BI, sem falar nos tais de “X9″ e “adidos”). Essa torre de Babel é a PCERJ, não poderia ser diferente em qualquer outro setor, inclusive o CAT. Pelo menos neste curso eles sabem que para merecerem adquirir qualquer conhecimento ou habilidade deverão “ralar” muito, se sacrificarem. Só por isso já merecem estar lá. Pelas pessoas que vi na PCERJ são poucos policiais civis estão dispostos a isso, pois já sabem tudo e fazem tudo.

  • Cathalá comentou:

    Não entendi quando vc disse que tem gente que não é policial no curso.

    Quem são?

  • dupcerj comentou:

    Marcus: essa é a verdade. Oferecem poucos cursos de reciclagem e especialização, e ao mesmo tempo poucos policiais se interessam pelos cursos. A maioria está afogada nos bicos de segurança e não tem interesse em evoluir, o que de fato é coerente, face o tratamento dispensado pelo Estado. A mentalidade é “não há futuro aqui”. Outra parcela está na PCERJ para roubar e arrumar dinheiro, não para fazer segurança pública. São vários pontos que resultam na péssima qualidade profissional da polícia judiciária…

    Cathalá: o último CAT, salvo engano, foi formado apenas por agentes da Polícia Federal. Neste agora a maioria é militar do Exército, ou policiais de outros Estados. Muitos PMs também fazem o CAT, vide informações do colega acima, já tem uma fila de mais de 500 milicianos incritos para as próximas edições…

  • Marcus comentou:

    Dupcerj,

    neste ponto vc se engana, geralmente a maioria dos alunos são da PCERJ. Neste última é que teve procura de poucos agentes (10, sendo um Del Pol). Nas outras edições sempre houve vários agentes da PCERJ, girando em torno de 50 % pelo menos. As outras vagas sempre foram abertas a instituições co-irmãs (PF, PMERJ, DESIPE, PC de vários estados ..). Acredito que esta intergração é saluntar, até para que haja um natural intercâmbio e não se fixe nenhuma idéia ou premissa imutável. Ninguém é tão bom que não possa aprender algo novo. Acredito que em todas as instituições são assim, não?

    Aqueles que conseguiram concluir o curso (rigor físico/psicologico e técnico, demanda inerente as atividades não-convencinais) sempre fizeram ótimas referências das instruções, tanto é que indicaram outros agentes a realizar.

    Há , inclusive integrantes do BOPE (cursado como o COESP) e outras unidades especiais como o GIT/DESIPE, CORE e outras que realizaram o curso.

    Ressalto que nunca houve nenhum CAT exclusivo para a PF ou qualquer outras instituição de segurança pública.

    Qto aos 500 é em relação ao curso do BOPE/PMERJ e não da PCERJ.

    Infelizmente o fato dos “bicos” são reais e dificulta àqueles que querem, mas não podem, se aperfeiçoarem. Por isso, sempre defendi a idéia de horários diferenciados (horário de prontidão e horário p/ instrução), uma gratificação especial para os operacionais e um critério rígido de seleção dos operacionais para acabar com os apadrinhamentos. Por conseguinte teremos operacioanais profissionais (e não de ocasião), bem treinados (VALORIZAÇÃO DO HOMEM) e, por conseguinte, mais eficiência e menor risco ao combatente e terceiros, haja vista que a resistência de uma corrente se mede pelo seu elo fraco, não?

  • dupcerj comentou:

    Marcus: que bom que você veio nos dar uma luz. Tinha entendido que os 500 eram pro CAT, beleza.

    Quanto ao pessoal da Federal, deve ter sido outro curso, eu sei que teve algo pois eles sempre estavam pela ACADEPOL. Talvez tenha sido o CPAR.

    De fato, é legal essa integração com outras forças policiais, ainda mais de outros Estados. Minha crítica, perceba, refere-se à contradição de ter um curso com tantos recursos, voltado para poucos, seja pela fila de inscrição seja pelo tempo necessário para se dedicar e parar tudo na vida; ao mesmo tempo em que os colegas da ACADEPOL fazem das tripas coração para manter funcionando cursos mais básicos de atualização e treinamento. Ao mesmo tempo em que vi colegas organizando cursos de progressão que não precisassem disparar a arma, porque não conseguiam munição. Ao mesmo tempo em que recebo 25 munições por ano, e de um calibre que nem posso comprar nas lojas, ainda que tivesse dinheiro.

    Quanto a gratificação especial acho que não seria correto. Primeiramente porque nossa atividade fim não é operacional, o operacional é o meio para alcançarmos o sucesso em um trabalho bem feito de investigação, e o cara que fez a investigação não pode ser preterido pelo que vive treinando para se expor ao risco. Até porque uma investigação séria, por si só, já representa um adendo no risco geral que o policial corre, você sabe, quando avançamos irritamos muita gente, e invariavelmente amealhamos novos inimigos.

    Enfim, acho que as prioridades têm que ser revistas. Eu gosto desses cursos também, apesar de não aceitar hoje me submeter a determinados cursos em que você é testado com humilhação e chutes na costela, já passei dessa idade. Me inscrevi no último CPAR mas o bendito caiu na semana de provas, então deixei rolar, só liguei pra avisar e colocarem outro no lugar. Enfim, eu também tenho meus momentos de vibração ;)

  • sergioluiz comentou:

    gostaria de saber se eu soldado da FAB TEM A POSSIBILIDADE DE FAZER ESSE CURSO DO CAT TENDO EM VISTA QUE O ESSE CURSO É UM DOS MELHORES DO RIO DE JANEIRO,E GOSTARIA DE ME APRIMORAR AQUI NA AERONAUTICA TENDO ESSA CONQUISTA,PARA TODOS OS POLICIAS TANTO DA CIVIL QUANTO DE OUTRAS FORÇAS UM ABRAÇO E BRASIL.

  • Eduardo/RJ comentou:

    Sergio, é freqüente a participação de membros de outras forças nos cursos promovidos pela PCERJ. O objetivo, é um intercâmbio de conhecimento, como o colega Marcus chamou a atenção nos comentários acima.

    A solicitação tem que ser feita, obviamente, de forma oficial, no seu caso pela FAB. O CAT é da ACADEPOL, então procure um contato por lá para que te expliquem como fazê-lo.
    Abraço.

  • Carioca comentou:

    Tenho de concordar com o colega Roger, realmente em SP temos vários grupos especializados dentro da PC, porém dificilmente estes grupos entram em ação. Um dos motivos é q por ser polícia judiciária e ñ administrativa como é o caso da PM, ñ possuímos uma linha direta com a população, q no caso da PM é o ’190′. Por este motivo, sempre q se faz necessária a presença da polícia, a 1ª a chegar é a PM e nunca a PC. Chegando primeiro ao local a VTR mais próxima ao local da ocorrência, e esta vendo-se na impossibilidade de dar solução ao caso, aciona o COPOM q imediatamente envia as equipes especializadas para cada caso. Por este motivo, sempre q a mídia televisiva veicula em seu noticiário operações de alto risco ou ñ, na maioria dos casos veremos sempre a GLORIOSA PM.

    Saudações Policiais a todos.

  • Eder Sobral comentou:

    Sou policial civil e tenho vontade fazer o CAT, por favor quem tiver as informações como datas locais e valores por favor me repassem.

  • tadeu costa comentou:

    Sou Policial Militar em São Paulo e gostaria de saber se tem condições de fazer o curso do CAT da PCERJ. Sou carioca e constantemente estou no Rio. Aqui em SP não conheço outro curso dessa modalidade, somente no GATE mas, é muito difícil de arrumar vaga, pois, o número de poilicias e muito grande. QRV….

  • Eduardo/RJ comentou:

    Amigos, é possível sim cursar o CAT da PCERJ. Para tanto, há de se entrar em contato com a ACADEPOL através de Ofício de sua corporação solicitando a inclusão do servidor na lista de candidatos.

    Em todas as edições policiais e militares de várias instituições participam.

  • fidelis comentou:

    Caros colegas nós policiais temos que esta preparados para todos os tipos de situações de combate,mas o problemas que criamos uma vaidade de homens de operações ,tropa de elite ,deveríamos respeitar uns aos outros em sua área específica,tenho a opinião que devemos resolver o problema da melhor forma possível porque no final o nome sujo ou bonito é o da policia que sai,contudo parabéns para o bope no RIO ,o gate em SP,a coe no ES, o ciosac em Pernanbuco vossos exemplos de garra e compromisso com a farda e com a justiça são notórios para dizermos nós resolvemos os problemas dos homens que estão ou pensão ficar a margem da lei. COM ISSO OBRIGADO…OPERAÇÕES ESPECIAIS.

  • Santos comentou:

    Quero fazer o curso, sou PM mas de outro estado qual é a chance q tenho de ir fazer??? Quando terá outro curso????

  • anderson comentou:

    estava lendo os comentários e percebi que o nobre colega fidelis relacionou vários grupo de operações, sendo lembrado o bope,coe,gate. Sei que a vaidade é a maior dificuldade que nós policiais enfrentamos, mais devemos sempre observar as coisas que funcionan, vejamos que o GATE da PM/M.G. é uma instituição das mais preparadas do país, como as outras já citadas e em momento algum foi citada neses comentários. Em minas gerais ambas as policias que já estão integradas oferecem vários cursos de atualização e treinamento, e nós sempre buscamos o aprimoramento e o conhecimento, por isso tenho/pleteio me inscrever nesse curso dessa instituição e quero saber como proceder? sei da importância e da qualidade do curso e por isso existe o interesse. um forte abraço de um amigo policial mineiro.

  • Cesar comentou:

    É com grande prazer que pude verificar a seriedade e destreza dos integrantes do CAT, pois acompanhei o 5º CAT de perto auxiliando meus companheiros de farda que participaram do curso e digo que para nós das Forças Armadas os conhecimentos adquiridos são de grande valia e me orgulho de ter ajudado na confecção da bandeira do curso a qual foi símbolo do orgulho daquele curso enaltecendo o trabalho da equipe de instrução. Prabéns PCERJ e aos CATIANOS!

  • Marcus comentou:

    Pessoal,
    Para aqueles interessados, segundo soube, está para sair o Curso do CAT da ACADEPOL. Maiores esclarecimentos entrem em contrato direto com a ACADEPOL. Os pretendentes policias de outros estados ,vejam rápido, pois as vagas para agentes de outros estados é limitada e são muitos os interessados. Aos policias da PCERJ se interessem e se motivem, pois podem salvar ou pelo menos evitar que sejam mortos nos combates urbanos do Rio. Infelizmente, até aquele que só vai da DP até a Chefia levar papel está sujeito a entrar em uma situação de risco. E ele deve estar preparado para isso. Infelizmente é a nossa realidade. Boa Boa sorte a todos. Nos vemos lá.

  • Arthur comentou:

    Marcus,
    Sou da Polícia Civil do Espírito Santo e requeri minha inscrição na segunda quinzena de julho deste ano. Desde o ano passado estou esperando para fazer o CAT. Agora estou ansioso para saber se vou conseguir ou não. Se souber de alguma novidade divulgue aqui por favor. Se Deus quiser nos vemos lá.

  • JOÃO CARLOS JUSTO DA SILVA comentou:

    Que me corrijam,mais a maioria dos policias que fazem o CAT,não estão em setores operacionais;As chefias não prestigiam os que fazem cursos na Acadepol,pensam que não queremos trabalhar,mais esquecem que para estar as 08:hs na Acadepol saimos de casa as 04:hs,pois é difícil estacionar e quando saimos só chegamos em casa por volta das 08:hs.Precisamos prestigiar a quem ama verdadeiramente a nossa Polícia.Sou 176,tenho diversos cursos operacionais, sempre trabalhei em delegacias operacionais e em equipes operacionas,mais parece que isso não vale na hora da promoção,vejo gente que chegou ontem,nunca combateu e não ama nossa Polícia,mas já são Comissários.Gostaria de saber como é feita a valiação.Tenho saudades de quando tinha-mos menos recursos e mais amor.

  • Eduardo comentou:

    João, pela sua matrícula você já deve estar cansado de saber, e eu, muito mais novo na casa descobri há alguns anos: as regras aqui acompanham as regras de quem manda. Quem manda na Polícia é a política, então, quem não tem “padrinho”, definitivamente “morre pagão”.

    Eu não era policial, mas tenho ouvidos atentos, e sei como foi na época das famosas pecúnias, a “gratificação faroeste”. Gente que nem trabalhava, secretárias de delegados, eram incluídos na listagem pedindo pecúnia e ganhavam, ao passo que quem levava o serviço a sério mas não cercava o chefe com bajulações era esquecido.

    A grande questão é aquela, inclusive mencionada em músicas populares, e que devemos seguir se pretendermos sermos valorizados: Eu só vou gostar de quem gosta de mim.

  • leandro comentou:

    olá sou leandro!

    gostaria de saber se a possibilidade , de uma pessoa civil, fazer esse curso , operacional, tenho vontade , de faze-lo para me aprimorar , pois sou segurança particular, quem puder tirar minha duvida eu agradeço!!

  • Eduardo/RJ comentou:

    Leandro: impossível, apenas órgãos de segurança e militares podem enviar servidores na forma de convênio e troca de informações.

  • leandro fernandes comentou:

    oi meu nome é leandro fernandes também gostaria de sabre qual as possibilidades de uma pessoa civil fazer este curso operacional nao sou policial e nem segurança mas eu gostaria muito de estar fazendo este curso e me formar na policia .

  • edilson comentou:

    bons ventos a todos. sou policial militar do estado do rio de janeiro ha 8 anos, sou oriundo do corpo ecfuzileiros navais mais precisamente do batalhao de op especiais btl tonelero, tenho 17 cursos, entre os principais o cescomanf, paraquedista, salto livre avançado, mestre em salto, guerra na selva, comandos , reconter e dompsa. acho que o aperfeiçoamento na vida do militar ou policial civil e importantissima eu acho que isso tem que partir do proprio militar ou civil sendo isso valorizado ou nao pelos chefes, esse ganho de conhecimento e pessoal e vale a pena.ja fui monitor do coesp da pmerj e me orgulho de todos os meus cursos. quem precisar de uma ajuda ou qualquer informaçao meu email é edalvfilho@hotmail.com vá e vença. caveira.

  • Eduardo/RJ comentou:

    Leandro: não há possibilidade.

    Edilson: seja bem vindo, comente sempre! ;)

  • Marcos PC comentou:

    Não concordo com alguns comentários que foram feitos.
    A Polícia Civil tem como principal atribuição a investigação, porém, não a exclui da parte operacional que é extremamente importante tambem e exatamente onde nós mais pecamos. Se tem alguma bagunça certamente não é no CAT.
    Com relação a ter pessoas que não são policiais não é verdade, e o fato de ter policiais de outros estados é muito interessante pois possibilita uma interação muito valiosa.
    Infelizmente esse tipo de curso por razões pissicológicas e de condicionamento físico não atende a todos, contudo, deveria ser criado um curso que possibilitase a estes policiais um conhecimento da doutrina de Operações Especiais, acabando com esses comentários equivocados, a sociedade teria um policial mais capacitado, melhoraria a nossa imagem e principalmente evitaria muitas mortes de policiais.

  • Gustavo Luiz da Silva Oliveira comentou:

    Gostaria de saber se os profissionais na área de segurança pode fazer esse curso, por exemplo sou segurança patrimonial e já realizei diversos cursos na área de segurança para o meu aperfeiçoamento será que poderia participar do c.a.t.e. também?

  • joão carlos justo da silva comentou:

    Alguns Delegados e chefes não gostam quando um policial de sua equipe vai fazer cursos, além de não incentivarem não dão a mínima para a sua formação. Todos os policiais deveriam ter treinamento especial. A diferença é sentida principalmente nas operações conjuntas.Quem treinou, além de se preocupar com o evento , ainda tem que se preocupar com o seu companheiro, que não fala a mesma lingua.Hoje trabalho em uma distrital, e minha maior preocupação ocorre com os companheiros da Civil e da Pm no que se refere a condução e manuseio de armamento. Há mais ou menos dois meses, um policial militar por pouco não dispara uma pistola em minha direção, sem qualquer cuidado ele queria colocar o carregador da pistola entre o gatilho e o guarda mata, para fazer fotos, depois de estar por mais de 2 horas com a arma apreendida ele não retirou a munição que se encontrava pronta para disparo.Serve como alerta, é preciso ser criado um procedimento padrão para transporte e manuseio de armas de fogo no interior de locais públicos (DELEGACIAS). Quanto aos “CAVEIRAS” , acredito que agora, com o incentivo financeiro, muitos voltem para a frente de combate.JUSTO-Comissário de Polícia – Inspetor Comissário – Comissário Inspetor……………….

  • JOSÉ FERNANDO NEVES DA ROSA comentou:

    Bom dia sou policial militar , trabalho no gam , sou tripulante operacional,gostaria de fazer o cat, queria me especializar e adquirir conhecimentos, seria uma honra para mim e minha unidade , quando tiver previsão do curso me informa. Obrigado.

  • davi comentou:

    Prezados camaradas!!! Esse bate-papo é muito salutar, pois é com base nessa simbiose de idéias que irá nascer o Curso de Operações Especiais da PCERJ. Brasil Acima de Tudo!!!

  • joão carlos justo da silva comentou:

    Ando preocupado com a forma dos aumentos que estamos recebendo, basta uma gripe e pronto, lá se vão as gratificações. E como ficam os nossos colegas que se aposentaram depois de anos de amor a nossa Polícia. Não é facil ser um bom chefe de famíla e bom policial, o bom policial não vai para casa e esquece do que tem de fazer, não dá para chegar em casa e só voltar a pensar nos problemas da polícia no dia seguinte ou só quando voltar ao plantão.Não podemos nos envergonhar perante nossas esposas e filhos de quem muitas vezes estivemos longe, ausentes mesmo , por hoje , os mais antigos serem rejeitados e preteridos. Os mais antigos as vezes só servem para o plantão.Jovens policiais deveriam começar pelo plantão junto aos mais antigos, depois sim ,poderiam ir para outros setores, sempre acompanhados de policiais sérios, competentes, doutrinadores e formadores de carater policial. È no plantão policial que se entende o que é polícia, e lá que entendemos o que acontece e como se pode resolver. Quanto aos velhos policiais poderiam ser lotados em especializadas como a Delegacia de Homicídios e outras que requerem expericia. Uma equipe mesclada de antigos e novos policiais

  • joão carlos justo da silva comentou:

    CONTINUAÇÃO. Uma equipe mesclada de antigos e novos policiais manteria sempre acessa a chama da unidade policial. Quem não se lembra de Pedro Lanzerie marinho, sabia muito de polícia, mais foi esquecido e se perdeu muito do que ele sabia. Com certeza temos outros casos de grandes policiais que não tiveram a oportunidade de ensinar o que sabiam. Quando aprendemos a andar acreditamos que nunca mais vamos precisar de quem nos ajude ou oriente, por isso muitas vezes caímos. Precisamos aprender a valorizar e respeitar tanto os mais antigos como os mais jovens, somos uma grande família, os antigos contam histórias, repassam experiências, os mais jovens ouvem e traçam seu próprio caminho. Não se cria o novo sem conhecer o velho. Não lutamos uns contra os outros e sim a favor de uma nova Polícia que sirva a sociedade.

  • César comentou:

    Ao policial João Carlos Justo da Silva fica a minha admiração e respeito pela atitude de demonstrar com sabedoria o valor do novo e do antigo.

  • Eduardo (Editor) comentou:

    Também assino em baixo das palavras do amigo! Parabéns.

  • Douglas comentou:

    Eu douglas sou de menor tenho 17 anos E eu queria relatar uma coisa aki Eu gostaria de entrar nessa profisão que eu acho muito bacana que é a policia civiL e eu queria saber aonde que eu começo a fazer esses Cursos para eu se profiçianalizar nessa profição ABRAÇO AOS AMIGOS !

  • cezar comentou:

    Alguem possa me informar pra qual endereço posso mandar o oficio para fazer o cat da policia civil.
    no demais agradeço a compreensão de todos.

Deixe seu comentário!

Escreva seu comentário abaixo, ou faça um trackback do seu site.

Aviso: Você pode comentar esse artigo e expor suas idéias. Mensagens com palavrão, ofensas, injúria ou difamatórias serã o sumariamente excluídas. Exerça seu direito de expressão respeitando o direito de terceiros.

Gravatar habilitado. Para ter uma imagem pessoal exibida, registre seu Gravatar.