Extinto Adicional de Periculosidade para a Polícia

É isso mesmo que você está lendo, os policiais não recebem mais a gratificação adicional por atividade perigosa. Duvida? Então vamos brincar de “pensamento lógico”.

Vejamos: qual o propósito do Adicional por Atividade Perigosa? Você está certo, é uma maneira de “compensar” o profissional que trabalha em uma atividade que lhe proporciona risco iminente de morte. Vale dizer que, para que um policial aceite o fato de que expõe a risco sua vida durante o exercício de sua atividade profissional (e costumeiramente na folga também), à ele é oferecido um benefício pecuniário, uma vantagem, um agrado para que ele aceite mais facilmente o fato de sair para trabalhar e não mais voltar, deixando sua família desamparada, e amigos desolados.
Mas que vantagem é essa afinal ?

No caso da Polícia Militar/RJ eu não sei, e como escrevo este texto de madrugada não dá pra saber, porém atualizarei o texto quando descobrir. O da Polícia Civil/RJ é fixado em 230% sobre o valor dos vencimentos.

Os vencimentos atuais de um Inspetor de Polícia Civil de 5ª classe são de R$ 432,36. Sobre ele incide o adicional de periculosidade, acrescendo ao contra-cheque o valor de R$ 994,42. Mas espere aí, o objetivo do adicional em comento não era “compensar”, gratificar o policial, uma questão de justiça face o perigo iminente que a qualquer momento pode tirar-lhe a vida?

Se você está acompanhando o meu raciocínio, então concluiu, como eu, que ao mencionarmos o valor do salário de um policial em comparação ao salário de qualquer outra atividade profissional, devemos ter em mente que o salário do policial é cerca de R$ 430,00. E digo isso na PCERJ, pois ao que me consta na PMERJ o valor é ainda mais aviltante.

Significa dizer que o salário do policial é mais ou menos: R$ 90 a menos que de um profissional da COMLURB; R$ 200,00 a menos do que de um garçom; R$ 80,00 a mais que de um empregado doméstico.

Este, senhoras e senhores, esse é o valor que o Governo do Estado do Rio de Janeiro dá aos seus profissionais de segurança pública (obviamente não é nosso objetivo desmerecer as categorias citadas). Significa que os governantes consideram que o valor de R$ 430,00 é o suficiente pelo trabalho desenvolvido pelos policias. Policiais cujo trabalho exige disciplina, equilíbrio, raciocínio rápido, tirocínio, inteligência, preparo físico, probidade, senso de justiça… senso de justiça ?? O que pode esperar um cidadão que por uma infelicidade precise do apoio da Polícia, quando os profissionais desta instituição já nem sabe mais o que significa JUSTIÇA!? Se são eles próprios alvos de tamanha injustiça que desabona e rebaixa a qualidade da profissão que exerce…

A não ser que a nova teoria do Estado seja a de que o exercício da profissão policial é igualmente perigosa à dos motoristas, garis, bancários, comerciários…

E na instituição policial – Militar ou Civil – que você trabalha ? Qual o valor dos vencimentos e do adicional de periculosidade ? E aí, estou “viajando”, existe ou foi extinto o adicional por atividade perigosa na Polícia ?

6 ideias sobre “Extinto Adicional de Periculosidade para a Polícia

  1. Parabéns pelo seu site… também sou “cana” em Brasília, aqui felizmente a realidade é outra, os políticos que nos governam respeitam o serviço da polícia. Digo para que vc não desista de lutar por melhorias, estas nossas conquistas aqui em Brasília, foram conseguidas através da união da categoria através do sindicato, antes nós recebíamos salários medíocres.. Sabe qual foi o episódio que fêz com que estes políticos nos respeitasem? uma manifestação no início dos anos 90 (governo Collor), em que colocaram a nossa irmã PM para nos impedir de fazer uma passeata próximo ao Palácio do Governo local e lá ouve trocas de tiros e colegas mordidos por cães da PM, resultado… notícia no Brasil e no mundo e logo em seguida o governo nos dando o aumento que pleiteavamos… Não que eu quero que vcs façam isso… trocar tiros entre policias.. mas sim reivindicar, ir para as ruas… agora recentemente a polícia federal precisou de nossa ajuda … sim da polícia civil do DF para realizar uma passeata pelas ruas de Brasília..e lá fomos nós engrossar a passeata deles.. apesar de que o aumento vindo para eles para nós é estendido.. resultado .. o governo federal irá dá o aumento de 30% dividido em tres parcelas a partir de setembro deste ano. E foi conseguido pela mobilização e por irmos as ruas gritar. Façam o mesmo!!! abraços.

  2. Enoque: é isso aí companheiro, a mentalidade que queremos dos tiras aqui no Rio é exatamente essa, mas a coisa está muito difícil. Não é só o governo que despreza a segurança pública, são nossos próprios colegas, os próprios policiais que estão deveras acomodados ou envolvidos em algum tipo de ilicitude. Tentamos organizar manifestações, mas a adesão é quase zero perto do efetivo. A maioria se contenta em tirar um plantão fazendo ROs mal feitos, que serão esquecidos, e depois ir pro segundo emprego onde efetivamente ganham o dinheiro que sustenta suas famílias. Outra parte se acomoda em funções burocráticas, e tem gente que nunca trabalhou na atividade fim de polícia desde que entrou. Só no prédio da Chefia escondem-se centenas de policiais, homens e mulheres, que nada produzem, são meros “secretárias”.
    A impressão é que ninguém quer que mude nada, ou seja, receber melhor para poder se dedicar à Polícia. Ninguém quer se dedicar, então o que ganhamos é o suficiente para eles.
    Mas um pequeno grupo se preocupa com a segurança pública, ciente de que os afeta, e está correndo atrás.
    E, caso consigamos fazer algo semelhante ao narrado por você, a PM não será problema, pelo contrário, vai aderir ao movimento. Afirmo isso com muita tranquilidade; principalmente os praças da PM, que estão em situação periclitante, eles não estão com medo das represálias típicas do militarismo, se acontecer algo eles vão enfrentar e ficar do nosso lado.
    Agora só falta acontecer. E esse é a parte difícil. 😉
    Quem sabe um dia não sejamos também respeitados, hein…
    Abração.

  3. Parabéns pelo site que acabo de descobrir…
    Aqui no Paraná a PM ainda tem o adicional de periculosidade porém este para o soldado (ou melhor, o pião do xadez) é de valor insignificante de R$ 90,00 e o soldo é de R$ 290,00, isto mesmo, 290 pilas. Vale dizer que este valor é menor que o salário mínimo e a diferença vem separada, ou seja, uma forma que o governo achou para não incorporar ao soldo para que os demais benefícios não aumentem gradativamente. Levando-se em questão que todas as pessoas são de igual valor e que a vida não se mensura valor, me pergunto: porque este valor não é igual para todos da corporação? Um soldado não deveria ganhar o mesmo valor do adicional de periculosidade que um coronel ganha? Isto me faz pensar que a vida de um soldado vale menos, aliás, muuuuuito menos que a vida de um coronel. Outro ponto importante é que: Nunca ví um coronel na linha de frente, ou seja, o risco dele morrer em combate é evidentemente muito menor que os policiais que estão nas ruas. Aqui também não existe sindicatos para as classes policiais militares, até o ponto que sei os policiais não podem se sindicalizar por aqui…A PM utiliza o RDE (Regulamento Disciplinar do Exército) por aqui como livro de cabeceira ao contrário de outros estados que têem seus próprios regulamentos.
    Espero que mude e para melhor…enquanto isso ficamos na luta do dia-à-dia.
    Abraços.

  4. Iras: esse tipo de discrepância é lugar comum em nosso país, é a recompensa pelo lobby e poder político.
    Eu entendo que um estrategista não deva estar na linha de frente, afinal se ele for abatido acaba-se a estratégia, mas é absurdo que o combatente que está na linha de frente receba uma compensação pelo risco menor que a do estrategista, o burocrata do ar condicionado…
    Não tenho conhecimentos para debater sobre a possibilidade de sindicalização por parte de militares, ou criação de associações, mas princípio se uma PM de um Estado faz algo de forma legal, nos outros imagino não poder ser diferente. Mas nesa de “achismos” acabo falando besteira, então paro por aqui 😉
    Obrigado pela visita, volte sempre para fomentar outros debates!

  5. Parabéns pelo site, estavamos precisando de um espaço como este no Amapá, ainda não recebemos adicional de periculosidade nem a Policia Militar nem o Bombeiro que desmembrado da Corporação da PM. Algumas co-irmães recebem valores vergonhosos de adicional de periculosidade mais recebem no Amapá as policiais não recebem absolutamente nada. Estamos na Luta.

  6. Sobre essa publicação da extinção da GRAT periculosidade da POLÍCIA MILITAR quando aconteceu isso?

    DATA?
    BOL INTERNO?

    QUALQUER INFORMAÇÃO É VÁLIDA.

    OBRIGADO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *